Livros infantis que discutem a questão de gênero e orientação sexual

De Mãe para Mãe - Educação - Somos todas iguais16/07/19 By: Ana Lú Gerodetti
(0) Comentários

 

Oi, moms!

Como vocês estão?

Passeando pelo Brasil Post, encontramos uma matéria super bacana para falar sobre a questão de gênero e orientação sexual. Eles selecionaram 11 livros infanto-juvenis que abordam o tema de forma delicada e bastante didática. Confiram o texto na íntegra!

 


 

Livros infantis que discutem a questão de gênero e orientação sexual

 

A garotinha Olívia tem dois pais e a curiosidade de saber como vai aprender a usar salto alto se não há uma mulher morando em sua casa.

Fernanda quer jogar futebol com um grupo de meninos, mas eles a rejeitam. Não entendem como uma menina pode praticar esse esporte.

Essas duas questões vêm de livros infantis e infanto-juvenis que abordam orientação sexual e gênero. A primeira vem de Olívia Tem Dois Papais, de Márcia Leite (Companhia das Letrinhas, 2010). A segunda, de Menina Não Entra, de Telma Guimarães Castro Andrade (Editora do Brasil, 2007).

A presença desses livros e dos assuntos que eles levantam na educação brasileira têm sido o centro de debates calorosos na sociedade.

Em recente votação, os vereadores de São Paulo decidiram que essas questões não devem ser abordadas na escola. Setores religiosos da sociedade – que têm usado o termo “ideologia de gênero” para se referir à ideia de incluir esse debate na educação – se manifestaram a favor da decisão.

Uma estudante de 12 anos, na sanção do plano municipal de educação, colocou o prefeito Fernando Haddad contra a parede ao dizer: “Existem famílias com dois pais, com duas mães e na minha escola eu convivo com muitas pessoas que são homossexuais e bissexuais. Então eu penso, por que omitir a palavra ‘gênero’ nas escolas se ela já é tão presente nas nossas vidas?”

“A educação na escola não concorre com a da família”, explica a psicóloga social Maria Sílvia Ribeiro, da PUC-SP. “Elas se complementam. Educação é responsabilidade do Estado e da família.”

Segundo a especialista, a presença desses livros em sala de aula não implica apenas na discussão de preconceitos de gênero e orientação sexual, mas “principalmente no direito da criança ao conhecimento”, diz.

“Crianças têm sexo e gênero. A sexualidade faz parte da vida e do corpo desde o nascimento. Crianças sabem fazer reflexão, questionar e se posicionar. É mais do que justo que elas possam discutir essas relações.”

O Brasil Post preparou para você uma lista com alguns desses livros. Você pode vê-la abaixo:

‘Menina Não Entra’, de Telma Guimarães Castro Andrade

 

‘O Fado Padrinho, o Bruxo Afilhado e Outras Coisinhas Mais’, de Anna Claudia Ramos

 

‘Olívia Tem Dois Papais’, de Márcia Leite

 

‘Do Jeito que a Gente É’, de Márcia Leite

 

‘Meus Dois Pais’, de Walcyr Carrasco

 

‘A História de Júlia e Sua Sombra de Menino’, de Christian Bruel, Anne Galland e Anne Bozellec

 

‘Meu Amigo Jim’, de Kitty Crowther

 

‘Ceci Tem Pipi?’, de Thierry Lenain

 

‘Olivia Não Quer Ser Princesa’, Ian Falconer

 

‘Amor Entre Meninas’, de Shirley Souza

 

‘Tal Pai, Tal Filho’, de Georgina Martins

 

Fonte: Brasil Post

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Leia também: