Finlândia será o primeiro país a eliminar matérias escolares individuais

De Mãe para Mãe - Educação - Escola19/01/18 By: Ana Lú Gerodetti
(1) Comentários

 

Olá, moms!

Como vocês estão?

Esses dias encontrei um post super intrigante no site Bright Side e resolvi compartilhá-lo com vocês!

Recentemente, o Departamento de Educação da Finlândia anunciou que eles vão acabar com as matérias escolares. Sim, parece um choque à primeira vista, mas confiram o texto (traduzido livremente para o português) e entendam a proposta educacional finlandesa!

 


 

Finlândia será o primeiro país a eliminar matérias escolares individuais

 

O sistema de educação da Finlândia é considerado um dos melhores do mundo. Nos rankings internacionais, o país sempre aparecem no Top 10. Entretanto, os finlandeses ainda não estão contentes com esses resultados e resolveram fazer uma verdadeira revolução nas escolas.

As autoridades finlandesas querem tirar as matérias do currículo escolar. Não haverão mais aulas de física, matemática, literatura, história ou geografia.

O chefe do Departamento de Educação de Helsinki, Marjo Kyllonen, explica as mudanças:

“Existem escolas que estão educando à moda antiga, o que era algo positivo no início dos anos 1900 – mas as necessidades atuais não são mais as mesmas [daquela época] e nós precisamos de algo que se encaixe no século XXI”.

Ao invés de matérias individuais, os estudantes passarão a estudar os eventos e fenômenos de uma forma interdisciplinar. Por exemplo, a II Guerra Mundial será examinada do ponto de vista histórico, geográfico e matemático. Em outro exemplo, no projeto “Trabalhando em um Café”, eles poderão absorver um grande leque de conhecimento sobre língua inglesa, economia e habilidades de comunicação.

No começo, o sistema interdisciplinar será introduzido para estudantes do Ensino Médio, começando aos 16 anos. A ideia geral é que eles possam ser livres para escolher quais tópicos ou fenômenos querem estudar, levando em conta suas ambições futuras e suas capacidades. Desta forma, nenhum estudante precisará passar anos estudando física ou química e se perguntar “para que eu preciso saber disso?”.

O tradicional método de comunicação entre professor e aluno também irá mudar. Os estudantes não sentarão mais atrás de carteiras ou ficarão ansiosos/nervosos com o fato de poderem ser chamados para responder uma perguntar a qualquer momento. Ao invés disso, eles trabalharão juntos em pequenos grupos para discutir os problemas.

O sistema de educação da Finlândia irá encorajar o trabalho coletivo, que é o motivo pelo qual as mudanças afetarão os professores. A escola reformada irá visar uma grande cooperação entre professores e estudantes de diferentes matérias.

Cerca de 70% dos professores de Helsinki já começaram um trabalho preparatório para se adequarem à nova forma de educação finlandesa e, como resultado disso, eles terão um aumento salarial.

As mudanças educacionais estão previstas para começarem a valer a partir de 2020.

Fonte: Bright Side

Meninas, o Just Real Moms quer saber a opinião de vocês sobre o assunto: O que vocês acham sobre esse novo método de ensinar os alunos? Contem para a gente!

 

1 Comentário:Finlândia será o primeiro país a eliminar matérias escolares individuais
  1. Talita A. Abrahão

    Boa tarde! Este método está sendo aplicado por uma escola na cidade em que moro – Ribeirão Preto. O grupo também abriu uma unidade com o mesmo método em Salvador, pretendendo ampliar sua atuação nas capitais do Rio de janeiro e São Paulo nos próximos anos. A escola tem parceria com instituição educacional da Finlândia. Aplicam a educação por meio de Projetos Pedagógicos, respeitando a individualidade dos alunos. Minha opinião: não devemos ter resistência ao novo, mas cautela sim. Nem tudo que é praticado no primeiro mundo vai se tornar plenamente viável no nosso Brasil. A começar porque teríamos que acreditar que o vestibular não vai mais existir em nosso país, não nos moldes atuais. Outro ponto de fundamental importância é o preparo pedagógico dos profissionais que estarão com nossos filhos neste trajeto. Acredito também que apostar em uma escola desta neste momento deva ser algo muito bem planejado, visto que transferir uma criança de uma escola com este método para outra “tradicional” após alguns anos letivos seja prejudicial ao aluno. Enfim, este é meu ponto de vista e motivos pelos quais minha pequena (hoje no 1º ano do ensino fundamental) não foi matriculada na escola aqui existente com esta proposta pedagógica.

X Leia também: