Meu filho especial – por Marina e Henri Zylberstajn

De Mãe para Mãe - Perspectiva do pai - Somos todas iguais27/08/18 By: Ana Lú Gerodetti
(0) Comentários

Olá, moms!

Tudo bem?

O post de hoje é mais do que especial e veio cheio de amor, pois conta a história de uma família que adoramos e já acompanhamos há algum tempo! A Marina e do Henri são pais de três crianças: A Nina (6), o Felipe (3) e o Pedro (6 meses).

Em fevereiro deste ano, nasceu o terceirinho deles, o Pepo. Apesar de prematuro, todos os exames anteriores tinham tido resultados esperados e nada parecia fora dos conformes para a chegada do pequeno. Marina contou, inclusive, que a 3ª gestação foi a mais tranquila de todas.

A surpresa veio depois do nascimento do Pepo. Com UMA chance em 1027 e contradizendo todos os exames pré natais, o pequeno nasceu com síndrome de down. Mesmo com toda a tecnologia avançada que a medicina possui, o pequeno foi este um.

Hoje, o Pedro faz alguns minutos de exercícios de fono diários e se dá muito bem com os irmãos, a Nina e o Felipe. Henri contou que Pedro veio mudar sua visão de mundo e o fez olhar mais para o que realmente é importante: a família, os pequenos e a vida abençoada que levam. Segundo Marina, o casal costumava fazer planos e mais planos para o futuro, mas o terceiro filho veio mostrar que todos eles podem ir por água abaixo em alguns minutos, por isso passaram a viver e apreciar mais o presente.

O pais de Pepo fizeram um Instagram (@pepozylber) onde compartilham o dia a dia com o pequeno, informações úteis e contribuições para famílias que passam pelo mesmo! Eles também nos enviaram um texto emocionante, escrito no dia seguinte ao nascimento do Pedro, em que podemos sentir – um pouco que seja – de todos esse amor imenso que tem superado tantas barreiras na família Zylberstajn.

Boa leitura!

________________________________________________________________________________

 

Meu Filho Especial

Meu filho especial - por Marina e Henri Zylberstajn

 

2ª feira de Carnaval (12-Fev-18) pela manhã eu e a Má fomos fazer um ultrassom de rotina para ver a evolução da gravidez do Pedro, que completava 36 semanas e 6 dias. O exame caminhava bem, até que ao verificar o fluxo do cordão umbilical, a Médica achou melhor interromper a gestação. Era importante fazer o parto naquele mesmo dia não por conta de algum risco iminente, mas porque o ambiente dentro do útero não estava mais em condições ideais. O Bebê estava bem e a Marina, apesar da preocupação, também. A internação se deu às 14h e o trabalho de parto aconteceu sem grandes intercorrências. A Má já está “craque”… afinal de contas tratava-se do 3° parto normal em pouco mais de 5 anos. No mesmo dia, às 21h16 o Pepo nasceu, LINDO com notas 8 e 10. Por conta de ser pré-maturo, teve que ficar em observação na Uti (semi-intensiva) para acompanhar temperatura, glicemia, peso, etc. Fomos dormir felizes!

No dia seguinte a Má foi amamentar e eu fui tomar café. Na volta, a obstetra me esperava no corredor. Ela já tinha examinado a Marina e voltou comigo ao quarto para contar que nosso filho nascera com Síndrome de Down.

Tínhamos feito todos os exames possíveis e imagináveis ao longo dos últimos 8 meses e nenhum deles apontou qualquer indício de anormalidade. O mais próximo que chegamos foi de “1 chance em 1027” num exame (que mesmo assim foi) considerado normal. Ou seja, a chance era tão remota que não se considerava a possibilidade.

Mas meu filho foi este “1”. O Pedro é Especial.

É difícil imaginar o que uma notícia inesperada como esta, logo após o êxtase de ganhar um filho, pode fazer com você: é um turbilhão de angústias, sentimentos e questionamentos cujo processo digestivo está apenas começando. Ao mesmo tempo, acredito muito em D´us. Acho que nada vem por acaso e que Ele sabe o que faz. D´us não confia missões difíceis para quem não pode lidar com elas. Entendo que momentos como este fazem parte de um processo maior de aprendizado, cujo resultado final é sempre positivo e engrandecedor – independente de quão aguda seja a dor de uma de suas fases.

Um amigo uma vez me disse que cada filho, ao nascer, traz uma benção à família: neste caso, além do próprio Pedro ser uma benção em nossas vidas, acredito que ele trará ainda mais união e, quem sabe, nos mostrar um caminho de vida diferente. Para Pais como eu e a Má que estão sempre pensando no futuro (muito mais do que no presente), quem sabe ele nos ensine que o HOJE tem tanta ou mais importância que o AMANHÃ.

O apoio dos amigos e dos familiares tem sido fundamental. E o Pepinho tem a sorte de nascer numa família com toda a estrutura para recebê-lo e apoiá-lo em suas necessidades – pensando não só nele, mas também nos 2 irmãos MARAVILHOSOS que tem. E nós temos a sorte de tê-lo como filho caçula que além de nos completar, nos fará ver a vida sob uma nova perspectiva, JUNTOS. E serei eternamente agradecido por isto.

 

Pepo, você é mais do que Especial… você é Maravilhoso!

 

TE AMAMOS DEMAIS. Seja bem vindo!

Com muito carinho, Papai e Mamãe.

 

 

 

 

Confiram a história completa do Pepo:

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Leia também: