Eu te apoio – por Rafaela Carvalho

De Mãe para Mãe - Somos todas iguais29/04/19 By: Renata Pires
(6) Comentários

 

Olá!

Esses dias li um texto da nossa colaboradora Rafaela Carvalho, do A.Maternidade, que me identifiquei muito. Na verdade, todas as mães se identificarão, pois, no mundo atual, onde não podemos fazer nada que um dedo é apontado para nosso rosto, não é nada fácil a tal da maternidade. Precisamos nos apoiar. E saibam que, assim como ela: Eu te apoio!

Tenho certeza de que vocês irão se ver nesse texto!

Confiram!

Mil Bjsss

 

Eu te apoio - por Rafaela Carvalho - Just Real Moms

 

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………

 

Se você trabalha, você está perdendo a infância do seu filho.

Se você fica em casa, você está jogando sua carreira no lixo e não será exemplo de mulher independente.

Se você amamenta, precisa ser em livre demanda, caso contrário, você está “regulando” o amor.

Se você dá fórmula, então seu filho nunca vai entender o verdadeiro amor da amamentação.

Se você disciplina e coloca o seu filho de “castigo”, você é uma bruxa que está destruindo o emocional desta pobre criança.

Se você não coloca o seu filho de castigo, você é uma irresponsável que está criando um assassino em série.

Se você coloca o seu filho para dormir no quarto dele, você é uma egoísta insensível.

Se você compartilha a sua cama, ele será uma pessoa completamente dependente e jamais irá se ajustar na sociedade.

Se você vacina o seu filho, você está infestando o corpo da criança com químicos tóxicos que podem causar autismo.

Se você não vacina o seu filho, você é uma descompensada que está deixando a porta aberta para graves doenças.

Se você treina o seu filho para dormir sozinho, você é cruel e desumana.

Se você faz o seu filho dormir no colo, você está estragando a criança e o futuro de ambos será duro.

Se você deixa seu filho com os avós e vai viajar com o marido, você não tem coração.

Se você nunca viaja só com o marido, você é insensata e está abrindo mão do seu casamento.

Se você tem parto vaginal, você gosta de sofrer e sua vagina nunca mais será a mesma.

Se você tem parto cesariana, você é medrosa e jamais conhecerá a emoção de dar à luz.

Se você se exercita durante a gravidez, sinal que é uma neurótica superficial.

Se você passa a gravidez sonolenta e cansada, certeza que vai “embarangar”.

 

Que grande ironia justo nós, mães, os seres mais altruístas do planeta, criamos uma guerra estúpida, onde somos as maiores vítimas dos nossos pré-conceitos.

A forma como eu crio o meu filho não é para todo mundo. E a forma como você cria o seu filho também não é para todo mundo.

A maternidade não pode ser tamanho único. Casas diferentes, mães diferentes, rotinas diferentes e acima de tudo: Crianças diferentes.

Por que é tão difícil apoiarmos umas às outras? Quer saber?

Você compartilha cama?

Eu te apoio.

Seu filho dorme no quarto dele?

Eu te apoio.

Você quer mandar sua filha para escola de princesas?

Eu te apoio.

Você quer matricular sua filha no judô?

Eu também te apoio.

E mesmo que eu te ache uma louca varrida, e mesmo que você me ache uma maluca insuportável, nós duas sempre teremos algo em comum. Algo que nos une muito mais do que qualquer diferença de opinião possa nos separar.

É este amor louco que faz com que a gente mova montanhas em busca do bem-estar dos nossos filhos. E isso, por si só, já merece todo o nosso apoio.

 

Eu te apoio - por Rafaela Carvalho - Just Real Moms

 

Por Rafaela Carvalho, do blog A.Maternidade

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 Comentários:Eu te apoio – por Rafaela Carvalho
  1. Avatar
    ANDREA

    NOSSA!!! VERDADEIRAMENTE HONESTO……EU APOIO!!!!

  2. Avatar
    Helena do Rocio Caseli Pereira

    Concordo, não existe modelo unico de criar filhos…algumas condutas compartilhadas e que deram certo, costumam ser repetidas, todavia não significa que terão o mesmo resultado, porque, outro tempo, outros pais, outra vida. Como dizia o filosofo um rio nunca e igual e vivo e em movimento, a agua que parece a mesma ja não e, sofreu mutação.

  3. Avatar
    Fabiana

    Perfeito!!!!!

  4. Avatar
    ana maria de aguiar

    É mesmo, muito difícil, e o sofrimento é grande, quando a mãe tem que trabalhar e deixar seu filho, bebê, com outras pessoas da família, ou em uma creche.
    É um grande sofrimento, uma dor e as vezes, até traz até revolta.
    Mãe, sofre nessa época! Mãe que precisa sair para trabalhar, sofre sim, por experiência própria eu ratifico isso.
    É extremamente difícil, sair de manhã e deixar seu filho com alguém, principalmente quando são pessoasque não têm os mesmos cuidados que amãe, que entendem de outra forma,isso doe muito! Eu sofri muito com meus dois!

  5. Avatar
    Paula Vilar

    Demais! Eu te apoio!

  6. Avatar
    Juliane de Sousa Silva

    Eu apoio!!

    O amor materno fala mais alto, lindo esse texto.

X Leia também: