Aprendizagem Socioemocional – por Andrea Racy

De Mãe para Mãe - Dicas dos especialistas - Psicologia21/11/18 By: Ana Lú Gerodetti
(0) Comentários

Olá, moms!

Tudo bem?

Vocês sabiam que as emoções dos pequenos estão diretamente ligadas a forma como eles interagem com o meio em que vivem?

Para falar um pouco sobre esse assunto, a nossa colunista, psicóloga e psicopedagoga, Andrea Racy, fez um texto abordando o tema e explicando várias curiosidades legais sobre o assunto.

Além de escrever para o Just Real Moms, a Andrea também é Diretora Executiva da Associação Brasileira de Psicopedagogia – Seção São Paulo e Associada Titular da ABPp-Nacional.

Boa leitura!

______________________________________________________________________________

 

Aprendizagem Socioemocional - por Andrea Racy

 

As competências e habilidades socioemocionais não são inatas, são construídas ao longo da vida para a formação de indivíduos seguros, críticos, criativos, empreendedores, que interagem com seus pares e em grupos de forma saudável, enfrentando os desafios e encontrando a melhor forma para solucionar seus problemas, sempre com respeito e ética, buscando uma vida plena e feliz.

Uma criança segura e confiante é uma criança feliz, com boa autoestima, capaz de encontrar estratégias diversas para lidar com os desafios de seu dia a dia.
Quando uma criança se mostra insegura, precisamos acolhê-la e oferecer recursos para que ela enfrente as situações acreditando em seu potencial.

As emoções dão origem aos sentimentos, que muitas vezes ficam encobertos. Conhecer e saber nomear as emoções e os sentimentos é essencial e dá a possibilidade para a criança entender o que acontece com ela e com o outro. Por isso, a importância dos pais e educadores falarem às crianças quando estão felizes, tristes, com raiva, medo, nojo e também nomear para a criança a emoção dela.

Quando os adultos estão sorrindo e dizem que estão felizes, ou quando estão chorando e dizem que estão tristes, fica mais fácil para a criança entender, pois está visualizando a emoção e o sentimento do outro.

As relações afetivas podem dar segurança ou não à criança, por isso, é relevante exercer a parentalidade de forma positiva, com muito diálogo, com respeito e dando modelos apropriados, permitindo que a criança vivencie suas emoções, os seus conflitos, e encontre formas adequadas de resolver os seus problemas.

Os pais e educadores devem estar atentos para poderem perceber e explicar o que está acontecendo com a criança, as consequências de suas ações, a conveniência de ouvir e se expressar, podendo discordar ou concordar com a ideia do outro, mas sempre tendo consideração pelas diferenças.

Ensinar os valores da família também orienta as escolhas da criança e fortalece suas relações afetivas.

Uma pessoa emocionalmente equilibrada consegue ter empatia, disciplina, organização, é otimista, objetiva, autônoma, cooperativa, está aberta ao novo e tem projetos de vida.

Então, vamos exercitar, ensinar e aprender as competências e habilidades socioemocionais e contribuir para um mundo mais justo e feliz, com mais respeito e tolerância.

______________________________________________________________________________

 

Andréa de Castro Jorge Racy

Sou Pedagoga, Psicóloga e Psicopedagoga, Diretora Executiva da Associação Brasileira de Psicopedagogia – Seção São Paulo e Associada Titular da ABPp-Nacional. Trabalhei muitos anos como Coordenadora Pedagógica e Orientadora Educacional em escolas particulares e hoje atuo como Psicóloga e Psicopedagoga Clínica e dou Consultoria e Assessoria Educacional em escolas de Educação Infantil.

E-mail: [email protected]

Cel: (11) 99133-7143

Instagram: andrearacy

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Leia também: