Dúvidas frequentes sobre o uso da chupeta – por Dra. Camila Di Ninno

De Mãe para Mãe - Dicas dos especialistas - Saúde da Criança06/10/16 By: Camila Silveira Di Ninno
(9) Comentários

Oi, moms!

Como vocês estão?

No texto de hoje, a nossa colunista e fonoaudióloga clínica, Dra. Camila Di Ninno, ajuda a tirar algumas dúvidas que muitas mães têm sobre o uso da chupeta. Ela explica quais são os momentos que se deve oferecê-la, quando a criança deve parar de usar e muitas outras questões que sempre perguntam aqui no blog. Confiram!


 

Dúvidas frequentes sobre o uso da chupeta

Dúvidas frequentes sobre o uso da chupeta - por Dra. Camila Di Ninno

Chupeta: quando oferecer?

A maioria dos bebês que são amamentados no seio materno parece não ter necessidade de usar chupeta. Se este é o caso de seu filho, ótimo!

No entanto, se você observar que seu bebê está começando a se habituar a chupar o dedo, pode-se oferecer uma chupeta. Apesar de este hábito poder ser prejudicial se utilizado por muito tempo, os prejuízos causados pela sucção do dedo podem ser maiores. É importante diferenciar o ato de levar a mão à boca e de brincar com os dedos na boca, tão comum nos primeiros meses de vida, do hábito de chupar o dedo. Não se deve oferecer chupeta a todos os bebês indiscriminadamente.

Como minimizar os problemas causados pela chupeta?

Para minimizar os problemas deve-se dar preferência às chupetas mais anatômicas, com bico achatado, chamadas de ortodônticas. Nunca oferecer mais de uma chupeta para a criança. Além disso, deve-se usar a chupeta de forma controlada, ou seja, oferecê-la o mínimo possível, apenas para acalmar o bebê ou na hora de dormir. Depois de adormecer, retirar a chupeta para que ele não permaneça a noite toda com a chupeta na boca. Se durante o dia o bebê cuspir a chupeta, não recolocá-la automaticamente em sua boca, como vemos muitas mães fazerem. Conforme o bebê for crescendo, ir restringindo gradativamente seu uso, deixando-o limitado à hora de dormir. Se a criança vai brincar ou passear, não precisa estar com a chupeta na boca. Deixá-la à mostra, pendurada na roupa por exemplo, também não é recomendado.

Quais os problemas que a chupeta pode causar?

O uso da chupeta, dependendo da duração deste hábito, da frequência com que ele ocorre e da intensidade da sucção pode comprometer os dentes, a musculatura da boca e o crescimento da face. O tipo facial da criança também interfere. Crianças com a face longa tendem a apresentar maiores problemas com o uso da chupeta do que crianças com a face curta. A associação do uso de chupeta com respiração oral também prejudica ainda mais as arcadas dentárias, a musculatura e o crescimento facial.

A chupeta pode prejudicar a fala?

Falar com a chupeta na boca faz com que se crie o hábito de falar sem movimentar a ponta da língua. As principais alterações de fala decorrentes do uso de chupeta são as distorções na emissão dos sons L e R que precisam ser emitidos com elevação da ponta da língua. Como resultado podemos ter uma fala “embolada” e parecida com a de crianças com língua presa. Quando a criança começar a falar as primeiras palavras, acostume-a a tirar a chupeta da boca para falar. Esta é uma orientação simples e muito benéfica.

Até que idade pode-se usar chupeta?

O ideal é retirar a chupeta aos poucos até por volta de dois ou três anos de idade. Isso vai depender muito de cada criança. Quanto menos a criança utiliza a chupeta, mais fácil será a sua retirada.

Como ajudar a criança a largar a chupeta?

Não existe uma técnica que funcione com todas as crianças. Cada criança e cada família são únicas e o que funciona para uma pode não funcionar para outra. Pode-se vincular o uso da chupeta a uma atitude de bebês e valorizar o crescimento e as novas conquistas da criança. Com crianças maiores pode-se conscientizar dos problemas que o uso da chupeta está causando, em especial nos dentes. Combinar com a criança uma data/evento para largar a chupeta, como seu aniversário, Páscoa, dia das crianças, Natal. Pode-se fazer uma troca da chupeta por um presente, entregá-la para a “fadinha das chupetas”, dar para outro bebê. Pode-se também ir deixando a chupeta ficar velha ou fazer um furo nela de forma que não fique mais gostosa. O mais importante é que a família esteja segura do momento da retirada e que esteja disposta a enfrentar alguns dias que podem ser difíceis para a criança. Mostrar que entende que a chupeta é gostosa e que vão estar juntos para ajudá-la a superar isso, é muito importante!

E se a retirada da chupeta estiver difícil?

Neste caso, busque ajuda de um profissional especializado, fonoaudiólogo ou odontopediatra. Com certeza estes profissionais saberão como te ajudar!

Se você teve uma boa experiência na retirada da chupeta de seu filho, compartilhe conosco. Todas as dicas e ideias são bem vindas!


 

Dra Camila Queiroz de Moraes Silveira Di Ninno, é fonoaudióloga clínica (CRFa 2-5314), formada pela USP, especialista em Motricidade Orofacial pelo CFFa, mestre em Ciências da Reabilitação pela USP e doutora em Linguística pela UFMG. Atende gestantes, bebês, crianças e adultos em seu consultório no Campo Belo e na Clínica Ignês Maia Ribeiro no Itaim Bibi, ambos em São Paulo.

Site: www.camiladininno.com.br, www.ignesmaiaribeiro.com.br

Facebook: Camila Silveira Di Ninno, Clínica Ignês Maia Ribeiro

Email: [email protected], clí[email protected]

Telefones: (11) 3853.6667 / 9.7550.2309

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 Comentários:Dúvidas frequentes sobre o uso da chupeta – por Dra. Camila Di Ninno
  1. Talita Rodrigues Nunes

    Sim, nós tivemos uma experiência até que tranquila com a retirada da chupeta. Pedimos ajuda para o Papai Noel e deu tudo certo. Contei a história toda aqui: http://somelhora.com.br/index.php/2016/03/15/adeus-bico-chupeta/

    • Dra Camila Di Ninno

      Olá Talita, adorei ler sua história! Muitas vezes é mais fácil do as mães imaginam. Bjs

  2. Ana Silvia Chalita

    Ola! meu filho esta com 2 anos e meio e conseguimos tirar a chupeta dele ha 1 semana. Fomos retirando aos poucos na escola. so usava para dormir a tarde e dai fizemos o teste numa noite: dissemos que nao sabiamos onde estava a chupeta e que na manha seguinte iriamos procurar. E assim fomos conversando e prolongando o tempo sem chupeta ate que ele nao perguntou mais. Foi bem tranquilo :-). Abs

    • Dra Camila Di Ninno

      Oi Ana Sílvia, obrigada por compartilhar sua história conosco. Com certeza vai ajudar muitas famílias! Bjs

  3. Carla

    Só faltou dizer que muitas vezes, basta estimular a criança com brinquedos e brincadeiras, mordedores…etc…para se evitar o uso de chupeta e mesmo a sucção digital. Muitas vezes um simples estímulo favorece o desenvolvimento motor e o uso das mãos pra outros fins….

    Carla Santiago – fonoaudióloga

    • Dra Camila Di Ninno

      Bem lembrado Carla, ótima dica! Bjs

  4. Laryssa Molin

    Olá, muito bom o texto, infelizmente não tenho uma experiência positiva, estou em busca dela na luta para tentar tirar a chupeta e o dedo da minha filha, quando ainda bebê consegui substituir o dedo pela chupeta, mas como ela já está completando 3 anos e percebemos que já estava afetando a dentição e com a orientação da odontopediatra começamos o processo de retirada da chupeta mas infelizmente ela voltou para o dedo, agora estou procurando ajuda de um psicologo afim de entendermos a necessidade dela e buscar meios para conseguirmos eliminar a sensação de dependência dos dois hábitos.

    • Dra Camila Di Ninno

      Olá Laryssa, obrigada por dividir conosco esta dificuldade que com certeza é a mesma de muitas outras famílias. Não existe uma receita que dê certo para todas as crianças. Tentar perceber os momentos e os motivos que a levam a chupar o dedo pode ajudar muito! Nestes momentos, tente oferecer outro objeto que ela goste muito para ela segurar ou outra forma de aconchego. Bjs

  5. Cristina

    Texto muito bom, mas creio q algumas questões devem ser revistas e atualizadas: A SUCÇÃO DIGITAL NÃO É MAIS PREJUDICIAL DO Q O USO DE CHUPETA, nestes casos em que o bebê tem uma necessidade maior de sucção deve-se sim reavaliar esta amamentação e o uso das chupetas (não só a mamadeira)e observar ainda como esta a ejeção deste leite pelas mamas. AMAMENTE… 😀

X Leia também: