Por que você não deve ensinar seu filho a compartilhar

Dicas dos especialistas15/07/15 By: Usuário sem Nome
(52) Comentários

 

Olá, moms!

No post de hoje eu trouxe um artigo muito interessante que li no site Pop Sugar. Resolvi traduzir e mostrar para vocês. Fiquei de boca aberta quando li o título!

Com certeza, todas nós acreditamos que ensinar a compartilhar é algo bom e que deve ser incentivado. Porém, a Dra. Laura Markham, autora do livro “Peaceful Parent, Happy Siblings”, diz o contrário. O incrível é que ela justifica isso de uma maneira válida, trazendo informações valiosas para criarmos nossos filhos e torná-los pessoas gentis e equilibradas. Vale muuito a leitura!

Confiram!

 

Ensinar a compartilhar - Just Real Moms

 


 

Um dos princípios da educação na primeira infância é ensinar as crianças a se darem bem, o que normalmente remete a ensinar a compartilhar e dividir. Se você, algum dia, já viu três crianças brincando, você sabe que mesmo que haja 10 brinquedos, todas elas vão querer o mesmo, e é aí que acontece a explosão de choro quando uma das crianças não consegue pegá-lo.

Mas talvez dividir não devesse ser um objetivo da educação infantil. Existe um novo movimento alertando para não ensinar os filhos a compartilhar. Ele tem ganhado força e aceitação pelos pais de crianças pequenas.

 

Ensinar a compartilhar - Just Real Moms

 

Não ensine seu filho a compartilhar

“Forçar crianças a compartilhar não ensina as lições que nós queremos que elas aprendam”, diz Dra. Laura Markham, autora do mais recente lançamento “Peaceful Parent, Happy Siblings” (“Pais tranquilos, irmãos felizes”, em português). “Vamos concordar que o objetivo é que nossas crianças cresçam e se tornem pessoas generosas, que sejam capazes de perceber e corresponder com as necessidades dos outros.” Na primeira fase da educação, a criança está aprendendo a ser capaz de reconhecer as próprias obrigações, o que, neste ponto das suas vidas, inclui fazer suas atividades e brincar nos seus círculos sociais. “Nós não queremos que as nossas crianças sintam que devem interromper seu trabalho para ‘dar’ alguma coisa para outra criança só porque ela pediu”, acrescenta a Dra. Markham.

De acordo com ela, em vez de ensinar as crianças a falarem por si mesmas, ensinar a compartilhar, forçando-as, resulta apenas em:

– “Se eu chorar o bastante, eu consigo o que eu quero, mesmo que alguém já tenha pego.”

– “Os pais estão no controle de quando eu posso pegar o brinquedo, então dependendo do coração deles e da minha manha, eu posso simplesmente implorar pela minha vez.”

– “Meu irmão e eu estamos em constante competição para pegar o que nós precisamos. Eu não gosto dele.”

– “Eu acho que eu sou uma pessoa gananciosa, mas é isso que eu preciso ser para ter o que eu mereço.”

– “É melhor eu brincar rápido e de qualquer jeito, mesmo que seja descuidadamente e quebrando tudo, porque não terei este brinquedo por muito tempo.”

– “Eu ganhei! Mas logo vou perder de novo. É melhor eu protestar bem alto quando acabar a minha vez para aproveitar cada minuto que eu tiver. E depois, protestar de novo assim que acabar a vez do meu irmão. Se eu conseguir deixar meu pai ou minha mãe cansados, eu terei mais tempo com o brinquedo.”

 

Ensinar a compartilhar - Just Real Moms

 

No lugar de ensinar a compartilhar, ofereça recursos

Então, o que as crianças devem aprender? De acordo com a Dra. Markham, é preciso dar algumas ferramentas para que elas lidem com essas situações. “Nós queremos que nossas crianças PERCEBAM quando a outra quer brincar, e que elas GARANTAM que essa criança vai poder brincar”, diz. “E quando o outro tiver alguma coisa que a criança queira, nós esperamos que ela tenha o controle sobre seus impulsos e não arranque o brinquedo da mão dela, pelo contrário, queremos que ela use suas palavras para entrar em um acordo e poder brincar depois”.

Ao ensinar as crianças a se defender e falar por si mesmas (e não imediatamente compartilhar seus brinquedos), elas não estão esperando que alguém diga quando é a vez delas com o brinquedo e assim, podem brincar mais livremente. “A abordagem convencional, de forçar a criança a compartilhar, enfraquece a habilidade de aproveitar a brincadeira, além de minar a relação com o irmão, criando competição constante”, explica a Dra. Markham. “A criança acaba não absorvendo a experiência da satisfação e nem da generosidade com o outro”.

 

Ensinar a compartilhar - Just Real Moms

 

Então o que os pais e os educadores devem fazer?

“Eu encorajo para que haja uma autorregulação dos turnos com os brinquedos, então, é a criança que decide por quanto tempo brincar e assim, aproveitar completamente. Depois disso, ela pode dar para a outra de coração aberto”, diz a Dra. Markham. Ela acredita que isso ajudará a criança também com a sensação de satisfação por fazer outra pessoa feliz, acabando por ensinar a generosidade. Por sua vez, ela acredita que a experiência mais educativa ensina que:

– “Eu posso pedir o que eu quero. Algumas vezes eu consigo o brinquedo mais rápido e às vezes eu preciso esperar um pouco.”

– “Tudo bem chorar, mas isso não significa que eu vou conseguir o brinquedo.”

– “Eu não consigo tudo o que eu quero, mas eu consigo algo melhor. Meus pais sempre me entendem e ajudam quando fico para baixo.”

– “Depois de chorar, eu me sinto melhor.”

– “Eu posso brincar com outra coisa e aproveitar também. Estou ficando bom em esperar!”

– “Eu não tenho que chorar para convencer meus pais para dar a vez para mim. Todos têm que esperar pela sua vez, mas acabam conseguindo cedo ou tarde.”

– “Eu gosto de quando meu irmão me dá o brinquedo. Eu gosto dele.”

– “Eu posso brincar por quanto tempo eu quiser; ninguém vai me fazer entregá-lo para o meu irmão. Quando eu termino de brincar e dou para ele, me sinto bem por dentro. Eu sou uma pessoa generosa.”

No final, o resultado é uma criança paciente, empática e bem preparada para lidar com situações maiores do que essas no futuro.

 

Ensinar a compartilhar - Just Real Moms

Fonte: Pop Sugar

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

52 Comentários:Por que você não deve ensinar seu filho a compartilhar
  1. Sheila Sampaio

    Excelente texto! Bom estudo, resta aplicar!

  2. Isa Sarkis

    Meu filho Gabriel, de 2 anos, nunca foi uma criança que exigiu por um brinquedo que está na mão do outro e tb, sempre que pedido pela outra criança, ele empresta, sem nenhum problema.
    Ele só agora está começando a exigir o brinquedo, mas qdo é das nossas mãos, da mãe ou do pai, dizendo que é dele, e nós o distraímos, com outras coisas, ensinamos ele a esperar, ou melhor, a gente tenta, né…

  3. Helena souto

    Fiquei muito surpresa com a matéria… Me idebtifiquei bastante…Tenho duas filhas uma de 5 anos e Outra de 1 ano…e a mais velha…não divide…não compartilha nada… É a luta…uma verdadeira quebra de braços…

  4. val

    Tenho uma bebê de 3 meses, adoro ler essas dicas, obrigada!!

  5. Teresinha I. B. Gomes

    Sou avó e gostei deste estudo e da perfeita explanação.
    Passarei para meus filhos tomarem conhecimento desta importante matéria.

  6. Maria de Fatim

    Muito bom o texto,exclarece.bem explicado de fato e o q acontece. Resta agora aplicar

  7. Pamela

    Muito interessante !

  8. Josiany

    Excelente texto para quando a criança em questão tem um ou mais irmãos. Eu tenho apenas um filho, as raras vezes que ele brinca com outras crianças (primos ou vizinhos) é sempre uma “guerra” e não dá pra usar esse tipo de técnica quando as outras crianças não são minhas. Da mesma forma que eu não aceito que outras pessoas queiram interferir na educação do meu filho eu também me recuso a tentar aplicar qualquer disciplina a filhos alheios. Enfim, pra mim vai continuar complicado!

    • Juliana

      Eu vivo essa situação também. Principalmente com os primos de meu filho. E acaba sendo um estresse entre os adultos.

  9. ana claudia cukier

    adorei esse texto. Eu sempre fico sem saber o que fazer quando acontece de o meu filho não querer compartilhar o brinquedo. acho essa um ótima maneira de ensiná-lo a esperar por algo, que pode ser o brinquedo ou sua vez na brincadeira.

  10. Gilmara Albano

    Nesse mundo imoderado, onde os adultos não conseguem uma pausa,para olhar o outro, é válido voltarmos os olhos para as nossas crianças, para que sejam adultos pacientes e prestativos. Ótima reportagem para quebrar os paradigmas dos pais.

  11. Giselle

    Adorei! Obrigada por compartilhar textos tão enrriquecedores e que tanto nos orienta e nos direciona na educação dos nossos filhos! Forte abraço: Giselle

    • Noemi

      Acho muito difícil ” ensinar ” a criança a ser egoista. Ela já o é por natureza. ..

  12. Ivy Kaff

    Oi, tudo bem com vocês?! Meu nome é Ivy e tenho uma filha de 1 ano e 3 meses chamada Giulia, ela é muito esperta, engatinhou com 5 meses e com 10 já andava, fala bastante e é muito ativa, acorda as 9 da manhã e só dorme 11 da noite, sou bem rígida com horários e ela só come coisas saudáveis, ainda não deu nenhum tipo de doce, e pretendo dar peito até 2 anos. Gostaria de saber qual a melhor idade pra colocar na escolinha e com quanto tempo é bom introduzir doces(não que eu queira da). Adoro o blog de vocês!

  13. Aline

    Olá meninas!

    Amei o texto! Realmente a autora prova que a tese tem fundamento! O que mais me surpreendeu foi a questão de despertar a generosidade e o saber esperar!
    Obrigada por compartilhar textos tão bacanas!
    Bjs

  14. Fer

    Compartilhar brinquedos

  15. Vera Elena

    Quando conhecemos bem as crianças,um recurso é oferecer outras opções para aquele que está dominando um brinquedo,de forma que ele abra mão do que está usando sem que seja obrigado a compartilhar, e sim porque ficou interessado por outra coisa.
    Recentemente li sobre a inadequação de elogiar os filhos excessivamente. Acredito que seja bom conhecer diferentes pontos de vista, porém procuro tomar cuidado com radicalismos

    • Tati

      Ola, vc poderia me passar o link fo texto original em inglês?
      Obrigada!

  16. elizabeth

    Adorei, é uma pena q alguns pais não compartilham desta ideia

  17. Viviane

    Gostei da matéria, mas não deixa de ser ensinar a dividir. A questão é apenas como se ensina. Eu estou ensinando minha filha a dividir: emprestando um brinquedo quando ela tem vários, pedindo o brinquedo que ela quer e aguardando a resposta é não arrancando da mão dos amiguinhos, fazendo acordos, pintando ou montando quebra cabeças junto com os outros, e falando para os amiguinhos esperarem ela terminar de brincar antes de dar o brinquedo. No final das contas é apenas uma questão de bom senso.

    • Ro

      Pensei a mesma coisa: o problema não é o ensinar a compartilhar e sim como esse compartilhamento deve acontecer. O sistema de turnos também implica compartilhamento, mas envolve a questão da paciência e trabalha a ansiedade da criança.

  18. Rosângela Gonçalves

    Olha muito bom saber disso, pq eu fui frustrada sendo criada assim, e crianças absorvem muito rápido, então vamos ao novo método para que nossas crianças não sejam frustradas, e sejam felizes!!! muito grata por me dar a certeza de que o que eu estava fazendo não estava errado!

    • Poliana oliveira

      Adorei o texto,pois já errei várias vezes em tomar o brinquedo do meu filho e dá para outra criança,hoje ele tem6 anos e só empresta se ele quiser afinal o brinquedo é dele,e foi comprado para ele,tenho uma bebê de 9 meses que já ensino brincar com seus brinquedos e depois eles trocam.

    • Elonha

      Meu filho de 1 ano e 1 mês compartilha brinquedos e comida sem q lhe peçam. Estou tentando tirar esse hábito dele mais está difícil, msm pq nessa idade ele ainda não tem a compreende de muita coisa.

      • Elizabeth

        Elonha não tire nunca isso dele.ELE DESDE PEQUENO ESTÁ DEMONSTRANDO SER GENEROSO E GENTIL.Acho q devemos sim, ENSINAR NOSSOS FILHOS A COMPARTILHAR,SEMPRE, serão certamente pessoas melhores.Não sofrerão quando sairem perdendo em alguma situação da vida, pq nem sempre podemos ter tudo q queremos. O saber compartilhar é um ensinamento sábio e de grande importância.Assim teremos pessoas melhores,c sentimento de amor ao próximo e grande capacidade em compreender qdo algo não puder ser seu, materialmente falando e tbm em várias outras áreas de sua vida.A pessoa feliz é aquela q é despreendida e q sabe compartilhar tudo q lhe é favorecido.

  19. Debora

    Gostei. No início achei que nao fazia muito sentido mas é isso mesmo!

  20. Danielle

    Adorei…Minha filha de 2 anos e 1mês faz tud o isso, de não dividir nada, com o irmão, pois com outros, aceita numa boa….assim já estava perdida com o meus filhos!

  21. Isabelle

    Muito interessante. Nunca havia pensado por meio dessa perspectiva. Pensei bastante nos meus dois primos pequenos, eles estão tendo problemas com compartilhamento e nós acabamos por “decidir” sempre qual é a vez de ou de outro. Muito interessante mesmo!

  22. Andrea

    Sempre fiz isso e dava outro nome rsrs. Nunca gostei de força meu filho a compartilhar e nem pedia o brinquedo de outra criança para ele, mesmo que ele chorasse. Sempre tive em mente que a vida não gira em torno de nosso umbigo, então se deve aprender a esperar desde cedo. Bom saber que minhas atitudes estão corretas! Bom texto, boa reflexão!

  23. Rosana

    Sou totalmente contra obrigar a criança dividir seus brinquedos, na escolinha na sexta é o dia do brinquedo, minha filha saiu da escola por conta disso, não quis dividir o brinquedo a prof colocou de castigo, ela não gosta nem de passar na frente da escola, detalhe: ela só tem 3 anos.

  24. Valdice SSSREIS

    Sou avó,tenho um neto de 06 e outra de 06 anos. Atualmente estão bem juntinhos! Está sendo difícil a história de compartilhar. Este texto é muito valioso. Deu-me orientações e discernimento para aprender a conviver com esta situação.
    Obrigada!

  25. cleide marcia

    adorei,vou colocar em prática.

  26. Emília Floripa

    Amei o texto e q bom descobrir e apender uma nova abordagem sobre este assunto…

  27. Marcia

    Hum! tenho uma filha com 09 anos,ela não compartilha o que é dela com outras pessoas seja criança ou adulto. Confesso que fiquei surpresa com o texto.

  28. Liana ribeiro

    Achei muito interessante nunca pensei por esse lado muito bonita essa matéria.

  29. Lindenberg

    Legal a matéria… fico apenas pensando que a explicação que dão aos comportamentos e, em especial, ao pensamento das crianças são a partir de nosso repertório linguístico. Concordo com a ideia da matéria, estimula nossa reflexão. Mas imaginar que uma criança de 3 ou 4 anos formula pensamentos incorporando conceitos como ganância é um pouco demais. Reconheço que estas situações de hoje despertarão futuramente ações gananciosas mas crer que a criança se retrata como “sou ganacioso” penso ser forte demais.

  30. samantha baiochi

    Perfeito…mto interessante!!

  31. vanessa

    Tenho uma filha de três anos e quando ela está com um brinquedo e outra criança quer o brinquedo eu sugiro para ela brincar junto com a criança, claro, tem dias que ela não quer mas geralmente ela brinca juntamente, cada uma da um pouco de mama pra boneca, cada uma da uma martelada e passa o martelo pra outra… dividem o brinquedo. .. mas nunca tirei da mão da minha filha pra outra criança brincar sozinha

  32. andreia

    Nossa..fiquei chocada com os argumentos… estava ensinando errado pras minhas filhas… vou tentar consertar a partir de hoje mesmo…

  33. Elza Sanchez Christófaro

    resumindo numa palavra só : – pertinente

  34. Joana

    Excelente! !!!

  35. eliandra

    Adorei o texto bem interessante

  36. nathalia

    Sempre gostei muito do conteúdo do site de vcs. Muito Mesmo! Desde a gravidez e atualmnete o meu Theo tem 1 ano e 11 meses eu sempre leio e me identifico comos posts. Mas essa dra. Laura simplesmente não me convenceu. Sou a favor de ensinarmos nossos filhos a dividirem e não a simplesmente deixa-los no comando de quando emprestar algo a alguém. Não estou de acordo com as colocações dela nem um pouco!! Mas adoro o site de vcs. Parabéns !!

    • kelly

      Concordo com você Nathalia ,sempre ensinei minha filha a compartilhar desde pequena ela hoje esta com quase 7anos ,é uma criança boa,generosa etc.

  37. nice

    Adorei o conteudo. Fez me crescer mais ainda como mãe.
    Obrigada pela oportunidade

  38. Creusa

    Achei os argumentos muito interessantes,a abordagem merece reflexões.

    • iSABELA

      Tenho um filho de 1a10m e ele não gosta de compartilhar. Tambem ja adoto essa técnica. Se ele esta com o brinquedo e nao quer compartilhar, falo pra ele nao dar de jeito nenhum. Só deve ceder caso não queira mais brincar. Mas ele tambem nao deixa que peguem qualquer brinquedo dele mesmo que nao esteja usando, nesse caso, eu falo que ele nao estava brincando e que deve deixar o amigo brincar com o objeto. Muito difícil educar …

  39. Iara Maria

    Olá, sou professora de creche e ainda não tinha lido algo tão singular como o texto, mas foi muito bom saber que mesmo sem ter acesso direto já estamos colocando em prática. O nosso único dilema que bate de frente com o texto é o tempo de brincar. Eles não podem ficar o tempo que querem, pois temos horário para tudo, mas estipulamos um para que eles saibam que quando o colega se aproxima mesmo que não seja o tempo estimado que propusemos, eles dão o brinquedo de livre e espontânea vontade e partem para uma nova exploração, vale ressaltar que eles tem a capacidade de saberem que já brincaram muito ou pouco diante do tempo que estipulamos. Eles questionam algumas poucas vezes e são ouvidos e na grande maioria atendidos até mesmo pelo coleguinha.

  40. Marcela

    otimo texto,otima explicaçao e raciocinio porem um titulo muito polemico,achei que nao combinou ate pq seguindo este raciocinio estamos ensinando a compartilhar

  41. Raquel

    O título do tema achei exagerado, provavelmente a intenção era chamar atencao e impactar, mas em suma o que realmente pode se extrair de importante do texto é que melhor do que obrigar seu filho a dar um brinquedo só pq VC está mandando é a criança saber compartilhar envolvida pelo sentimento de generosidade e auto satisfação, o que não quer dizer ” não compartilhar”

  42. Rafaella

    Eu acredito que não só funcione bem com irmãos mas com amigos que visitam a casa, por exemplo e querem mexer, conhecer e explorar os brinquedos novos penso que se faz inevitável o choro, o ter que ceder, dar preferência para quem visita. São situações parece das porém diferentes!! Texto super válido!!

  43. IDAMAURA

    MUITO PRODUTIVO ESSA MATERIA VOU PASSAR PARA TODA MINHA FAMILIA…AMEIII

X Leia também: