O papel do pai na qualidade do sono do bebê

Bebê - De Mãe para Mãe - Dicas dos especialistas - Fases - Perspectiva do pai - Psicologia - Sono09/04/17 By: Renata Soifer Kraiser
(8) Comentários

 

Olá, moms!

Tudo bem?

Nossa colunista e psicóloga especializada em sono, Renata Soifer Kraiser,  nos explica no post de hoje o papel do pai na qualidade do sono do bebê.

Confiram!
____________________________________________________________________

 

Olá, mamães,

Hoje eu quero conversar com vocês sobre uma figura muito importante, mas pouco falada quando o assunto é desenvolvimento infantil.

O pai, ou quem faz o papel de pai, é uma figura que tem grande importância no desenvolvimento do bebê por várias razões. É ele quem corta o segundo “cordão umbilical”, possibilitando ao bebê ligar-se a outra realidade afetiva além da mãe. Ele é o primeiro representante do “mundo além” da simbiose mãe-bebê, ou seja, é por meio dele que o bebê fará o primeiro contato para além do peito e/ou mamadeira.

É o pai quem vai dizer para a mãe que aquele bebê também é dele, e vai dizer para o bebê que aquela mulher não é só sua.

É por isso que o pai é tão importante no processo de adormecer.

Para que o bebê consiga dormir, ainda que em cama compartilhada, ele precisa conseguir se desligar desse mundo, o mundo consciente, para então mergulhar no mundo do sono e dos sonhos. Um mundo que é só dele e que ninguém pode entrar além dele próprio, sozinho.

Para fazer esse movimento de desligar-se desse mundo, mergulhar no sono, para então voltar para esse mundo de forma tranquila, o bebê precisa ser capaz de desligar-se da mãe, ainda que por algumas horas, com a certeza de que no dia seguinte, ela estará ali, inteira e pronta para prover suas necessidades.

Quando o pai gradativamente rompe a simbiose mãe/bebê, por volta dos 5 meses, o bebê começa a se ligar de maneira mais efetiva ao pai e não sobrecarrega tanto a relação mãe/bebê, a ponto de ter que permanecer ligado nela ininterruptamente.

Desta maneira, podemos dizer que o pai é um facilitador do processo de adormecer.

O que usualmente ocorre com as crianças que têm dificuldade para iniciar e/ou manter o sono, é que a maneira como o vínculo acontece não abre espaço para o tempo de dormir. Os pais induzem o sono da criança, levando-a até o sono profundo, de modo que ela não tem a chance de conhecer seus próprios meios de fazer esse percurso.

O medo de traumatizar, de abandonar, de frustrar, de desligar e a culpa que os pais sentem diante do choro do bebê, fazem com que a criança se torne dependente dos indutores do sono.

Por isso que a insônia do bebê está intimamente ligada a aspectos psicológicos e não se resume a um treinamento. É importante entender como o vínculo acontece, como o os pais se relacionam, como está a psique dos pais, e muitas vezes, como foi ou como é a própria relação dos pais do bebê com os avós da criança. Como foi a infância, seu próprio processo de adormecer, seus próprios medos e compensações.

Quando o casal está em crise, também é muito comum a mãe se ligar ao bebê de maneira tal que o pai não consegue participar da relação. Ou também é natural que o vínculo mãe/filho acabe compensando a ausência do pai ou seu afastamento.

Desta maneira, é muito importante que o pai do bebê exista de fato na vida dele, participe da rotina, atue, opine, alimente, dê banho, cuide. Ser pai não se resume a pagar contas e brincar 10 minutinhos. Ser pai é muito mais que isso. É acima de tudo abrir um espaço entre a mãe e o bebê. Espaço esse que vai ajudar a criança a reconhecer o que é ela e o que é o outro. Vai ajudar o bebê a se desligar da mãe para poder dormir e também dar a ambos, mãe e bebê, tempo de vida para oxigenar a relação e depois voltar a ela de maneira mais tranquila, menos estressada, mais gostosa.

Porque a saúde mental do bebê não depende só da mãe.

Um grande abraço!

Renata

 

Renata Soifer Kraiser é psicóloga e Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP. Autora do livro “O sono do meu bebê”, ed.CMS, fruto de seu mestrado sobre este tema.

Para conhecerem melhor o trabalho da Renata, acessem: www.terapeuta.psc.br.

Telefone: 11-3031-4043

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 Comentários:O papel do pai na qualidade do sono do bebê
  1. Patry

    Bellísimo artículo, muy claro e interesante, un abrazo desde Uruguay

  2. Fernanda

    A partir de que idade podemos começar a ensinar o bebê a adormecer sozinho? Como saber se ele tem essa capacidade?
    Obrigada

    • Daniela

      Fernanda, não existe uma idade pre determinada, vai de cada família e de como vocês acostumaram o bebe adormecer.
      O meu bebe com 6 meses não acordava mais no meio da noite para mamar e com 8 meses já adormecia sozinho no seu berço.
      Porem o mesmo foi acostumado desde o primeiro dia de vida a dormir em seu espaço, talvez isso tenha ajudado bastante.Ha e outra coisa que esqueci de falar com 3 meses já dormia em seu quartinho.
      Então você tem que fazer sua própria avaliação, pois para isso não existe uma receita. BOA SORTE

  3. Tiago Dória

    Aqui está uma nova responsabilidade que assentará que nem uma luva na personalidade do meu sobrinho Tiago. Beijinhos da tia Fatinha

  4. Lílian cristian

    Linnnndoooooo!!!!! Muito verdade!! Meu marido é sempre citado por meus parentes no quesito PAIZÃO, e uma de suas especia~idades é botar nossas princesinhas para dormir…

  5. Lidice

    E quando, por motivos diversos- internos e externos, o pai tem dificuldades de ajudar nesse processo, avós ou outros cuidadores poderiam ser bem sucedidos nesse papel de facilitadores do adormecer? Tenho uma neta que já está com um ano e 4 meses e que tem uma enorme dificuldade para dormir, acordando várias vezes durante a noite. Minha filha, insone desde que ela nasceu, ainda amamenta e dorme no quarto dela. Embora algumas vezes eu ou a babá, que vai duas vezes por semana, consigamos embalar minha neta no colo ( sob seus protestos), ela chora chamando pela mãe e acorda assim que é posta na cama.

  6. Saraiva

    Sou pai e já fazia meu filho dormir sem saber de toda essa importância…

    Gostei muito do artigo e já recomendei para alguns pais, avós e amigos!

    Num mundo onde o pai é “mero coadjuvante”, onde a educação parece ser algo exclusivo de mães e avós, é bom saber que o pai tem um papel importante.

    Parabéns Renata, que Deus continue te iluminando.

  7. Will

    Muito interessante esse texto, Renata. Parabéns!
    De fato, não havia relacionado a ideia de o pai ser um elo entre a mãe e o mundo exterior para o bebê. O que de fato faz muito sentido, porque o bebê meio que enxerga mãe um espelho durante os primeiros meses após o nascimento. Eu tive uns problemas de sono com meu filho menor e consegui resolver isso com alguns cursos voltados a pais e cuidadores de crianças. Este, por exemplo, me ajudou muito: https://www.marianazanotto.com.br/site/curso/meu-filho-nao-dorme-163.html
    Não estou recebendo pra fazer isso, então não é propaganda de nada rs. É realmente um material muito qualificado e a Mariana Zanotto é uma expert no assunto!

X Leia também: