O que é o “olho de peixe”? – por Dra. Juliana Macéa

De Mãe para Mãe - Dicas dos especialistas09/11/17 By: Juliana Macéa
(1) Comentários

 

Olá, moms!

Tudo bem?

Com o verão se aproximando, os casos de “olho de peixe” começam a crescer. Muitas mães ficam preocupadas com aquela verruga que aparece geralmente nos pés.

Para falar um pouco mais sobre o assunto, a nossa colunista e dermatologista, Dra. Juliana Macéa, fez um texto super explicativo para nenhuma mom se desesperar ao ver um olho de peixe em seu filho!

Confiram!

 
________________________________________________________________________________

 

O que é o “olho de peixe”?

 

O que é o “olho de peixe”? - por Dra. Juliana Macéa

 

“-Dra Juliana, eu não sei o que é isso, mas me falaram que pode ser olho de peixe”. Começar uma consulta infantil ouvindo essa frase dos pais é muito comum no consultório. Mas afinal, o que é olho de peixe?

O chamado olho de peixe é um termo popular para se referir ao tipo mais comum de verruga plantar, ou seja, uma verruga na planta dos pés. Como outras verrugas, ela é uma lesão benigna, mais comum em crianças e adolescentes e causada por alguns subtipos de papilomavírus (HPV). A transmissão ocorre na maioria das vezes de forma direta quando se pisa descalço em áreas de muita circulação de pessoas como piscinas ou academias esportivas, por exemplo.

A verruga plantar tem algumas particularidades em relação às localizadas em outras áreas. Geralmente ela causa dor ao pisar e seu tratamento costuma ser mais demorado. Isso porque o peso do corpo limita o crescimento da verruga “para fora da pele” e ela vai sendo pressionada e se aprofundando. Muitas vezes a lesão parece ser pequena mas, quando retiramos a pele superficial com uma lâmina ou cureta, observamos que ela pode ser muitas vezes maior na profundidade como a ponta de um iceberg.

Em minha opinião, não existe um tratamento que seja o melhor e há casos em que a lesão desaparece espontaneamente. Cada caso deve ser avaliado de acordo com o número e tamanho das verrugas, grau de cooperação e rotina de atividades da criança. Eu acho que vale a pena começar com uma opção terapêutica menos dolorosa e dentre as que eu mais utilizo, destaco:

– Aplicação de ácido de efeito esfoliante em casa. Deve ser feita toda noite, sendo necessário ocluir a verruga e desbastar a lesão com uma lixinha pela manhã. Pelo menos um mês de tratamento costuma ser necessário.

– Aplicações quinzenais de ácido nítrico fumegante ou outros ácidos no consultório. Esses ácidos são mais fortes do que o que se pode usar em casa. A vantagem é que não causam dor, mas podem ser necessárias algumas sessões até a cura.

– Crioterapia, que é o congelamento da lesão com um spray de nitrogênio líquido. Causa desconforto na hora – e às vezes até depois – por conta da formação de uma bolha. A vantagem é que geralmente requer menos sessões do que o tratamento com os ácidos.

– Laser de CO2 para remoção mecânica e térmica da lesão.

– Puncturas ou mesmo injeção de bleomicina em casos muito resistentes. Minha última opção pelo desconforto.

Espero ter ajudado.

Um abraço,

Dra Juliana Macéa.

 
________________________________________________________________________________

 

Dra. Juliana Macéa

Instagram: @juliana_macea

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comentário:O que é o “olho de peixe”? – por Dra. Juliana Macéa
  1. Zoraia

    Curei o meu em menos de uma semana. Fiz 3 vezes ao dia curativo com uma pastinha de meio comprimido de ácido acetilsalicílico e água, uma consistência grossa. Sarou muito rápido e sem dor.

X Leia também: