5 motivos que mostram como ser mãe e pai em 1984 era mais fácil

De Mãe para Mãe - Somos todas iguais13/07/17 By: Ana Lú Gerodetti
(1) Comentários

 

Olá, meninas!

Tudo bom?

Encontramos um texto no site Scary Mommy que falava um pouco sobre a realidade das mães modernas.

De uma forma simples e divertida, a autora nomeia 5 coisas que fizeram 1984 (quando ela tinha 5 anos) ser um ano muito mais fácil para ser pais do atualmente.

Confiram a nossa tradução livre!

 


 

5 motivos que mostram como ser mãe e pai em 1984 era mais fácil

 

EJ faz cinco anos em três meses e criar um filho de cinco anos é muito mais complicado do que eu havia pensado! Eu tinha cinco anos em 1984. Parecia um momento mais fácil para os pais. Eu não acho que a maternidade, em qualquer geração, foi sempre fácil, mas agora temos muitas coisas que a tornam muito mais difícil. Percebi ultimamente que estou com inveja de nossas mães e a simplicidade de 1984. Principalmente, tenho inveja de que não tinham internet, o que parece ser a raiz de todas as ansiedades da minha maternidade.

 

1. Netflix
Quando começamos a usar Netflix, alguns meses atrás, pensei que não poderia melhorar. Agora estou um pouco convencida de que a Netflix é administrada pelo demônio. EJ é obcecado por Netflix. “Mãe, basta pegar na Netflix. Não está na Netflix? Posso ver agora? No seu celular? No meu notebook? Na TV?”
A natureza instantânea faz um impaciente de 4 anos de idade, ainda mais impaciente. “Por que não está carregando? Não tá no WiFi?” Na outra noite, EJ entrou no meu quarto enquanto eu estava assistindo TV. “Mamãe, você está assistindo Netflx?” “Não.”
“Net Now?”
“Não…”
“O que você está assistindo?”
“TELEVISÃO…”
Tente explicar por que certos shows estão na Netflix enquanto certos shows e episódios não estão. Não tem graça. Eu tinha duas opções com os meus 5 anos: assista o que estava atualmente na TV (90% do tempo não era algo em que eu estava interessada) ou jogos. A escolha era muito mais fácil naquela época.
Além disso, a Netflix levou à redescoberta de Caillou. Nossas mães nunca lidaram com Caillou…
2. Facebook
Esta é realmente a pior coisa que já aconteceu às mães. O Facebook pode ser usado como uma ferramenta de comparação. Sally publica fotos de seu filho fazendo projetos inspirados no método Montessori e eu tenho que sair e comprar mesa sensorial. Mary tira fotos de seu filho no zoológico enquanto eu estou no trabalho, e, de repente, estou tentando me lembrar da última vez que o EJ foi ao zoológico. Agora eu me sinto como uma idiota por não levar meu filho ao zoológico em meses e tenho certeza de que ele vai ter medo de pedir. Eu renovo a nossa adesão prontamente, prometendo ir o tempo todo, apenas para lembrar na próxima vez que Mary publicará.
Há fotos de um jantar delicioso e saudável, mas acabei de alimentar meu filho com pizza pela terceira noite seguida. Fotos de mães trabalhando enquanto eu mal consigo almoçar de noite. Depois, há mensagens “informativas” de outras mães sobre o que você não deveria estar fazendo e deveria estar fazendo.
“Não alimente seu filho assim”.
“Meu filho nunca assistiria…”.
“Ótimo artigo sobre por que Tal e Tais são ruins.”
Pode ser esmagador, especialmente para novas mães. Nossas mães nunca tiveram que “assistir” outras mães e suas vidas tão próximas. Elas nunca tiveram um assento na primeira fila, atualizados diariamente, sobre como outras crianças / famílias / mães estão lidando com isso. Elas nunca tiveram que lutar com a ideia de permanecerem conectadas enquanto existe a opção de estar desconectada e curtindo o momento. O Facebook pode ser uma ótima maneira de construir uma comunidade de pessoas que você gosta, ver fotos bonitas, ficar conectado com amigos e rir, mas também pode ser uma dificuldade em eliminar as informações esmagadoras e permanecer na realidade. Nossas mães só tinham realidade… O que estava ali na frente delas.
3. Pinterest
Houve inúmeras postagens de blog sobre Pinterest. Nossas mães não tiveram que ver a mãe de Johnny colocar todos os artesanatos que ela faz com ele, ou infinitos printables para usar para o seu mini-jardim, ou como sua casa poderia ser muito mais organizada e elegante se você tivesse algum tempo ou habilidade. Elas não precisaram apontar e refazer centenas de receitas, artesanatos, livros e projetos de DIY que nunca aconteceriam e só assombravam. Com isso, você se sente como uma mãe inadequada, esposa e cozinheira. Nunca vou fazer biscoitos de renas, mas, pelo menos em 1984, não teria percebido que era uma opção.
4. Google
O Google fez das mães em todos os lugares o pânico e a paranoia armados com informações falsas. Eu “Google it” (pesquiso no Google) tudo e, como resultado, eu vejo loucos. Eu sei que não estou sozinha. O Google faz uma pequena erupção vermelha um sinal da peste bubônica. Permitiu que as mães impacientes diagnosticassem seus filhos com base em um pequeno sintoma e chamassem o pediatra em pânico. O pediatra de EJ me disse, na semana passada, “apenas não “Google it“. Me chame, mas não o “Google it“. “Então, falei com a minha irmã ontem, que teve uma conversa muito parecida com seu próprio médico. O Google nos torna neuróticas e proporciona um nível de ansiedade a nós mesmas!
5. _____ Free
Eu gasto 50% do meu tempo pensando se as coisas não são tóxicas: BPA Free, sem hormônio, sem corantes, e o que quer que outras pessoas me digam que precisa ser sem. Eu analiso cremes, brinquedos, alimentos, sucos e água. Eu faço mais perguntas sobre do que as coisas são feitas – e tenho certeza de que o Mike só compra um produto se está escrito LIVRE DE na embalagem. Embora esta seja uma mudança positiva e saudável ao longo dos últimos 30 anos, é suficiente para te deixar louco. E as pessoas adoram pesar.
“Você não come glúten?”
“Não tenho ideia… Talvez? Eu deveria comer?”
Eu me livro e adiciono produtos dependendo do que me falaram, ou do que eu li, e simplesmente não dá mais! Não tenho certeza de que posso comer mais nada e tenho certeza de que tudo na minha casa vai me matar. Na semana passada, eu realmente mandei uma mensagem para Mike, “eu vi que o suco que você comprou era da China. Nós não comemos ou bebemos nada da China”.
Quando fui pressionada para explicar o motivo, percebi que não tenho certeza do porquê.
“Nós simplesmente não fazemos!”
Nossos pais não leram essas coisas. A única mania que experimentamos foi “sem gordura”! Não tenho lembrança do meu pai lendo um rótulo e estou quase certa de que tudo na minha casa era tóxico. E ainda estou viva para falar sobre isso.
FONTE: Scary Mommy

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comentário:5 motivos que mostram como ser mãe e pai em 1984 era mais fácil
  1. jeanne

    Adorei o texto,ri e me identifiquei muito sobre tudo, me vi em varias situações, daria pra acrescentar tantas outras! Muito bom! Parabéns!

X Leia também: