Este é o motivo pelo qual mantenho o meu círculo de amigos pequeno

De Mãe para Mãe - Somos todas iguais08/08/18 By: Ana Lú Gerodetti
(0) Comentários

Olá, meninas!

Tudo bem?

Quem aí consegue contar nos dedos a quantidade amigos que possui? Não estamos falando de conhecidos, colegas, mas sim amigos de verdade!

No post de hoje, encontramos um texto muito bacana, da autora Jorrie Varney, sobre esse assunto e fizemos uma tradução livre para as leitoras do Just Real Moms. Confiram!

________________________________________________________________________________

 

Este é o motivo pelo qual mantenho o meu círculo de amigos pequeno

 

Eu não tenho certeza se é a idade, a sabedoria ou só sorte mesmo, mas eu cai no grupo de amigos mais incrível que uma garota poderia querer ter. Meus amigos são do tipo que me apoiam em todas as situações e me amam – mesmo quando eu mesma não estou me amando. Eles guardam meus segredos, chamam a minha atenção quando estou errada e me fazer rir até as minhas bochechas doerem. Eu não sei o que fiz para merecer todo esse amor e apoio, mas sou imensamente grata.

Encontrar bons amigos não é exatamente um caminho de unicórnios, mas, para mim, esse tipo de amor nem sempre existiu. Eu sobrevivi à crueldade e tirania das garotas do ensino médio; tive meu coração quebrado algumas vezes e perdi amigos que pensei que estariam sempre lá. Eu não diria que sofri desconfiança incomum; não mais do que qualquer outra pessoa, todavia, depois dos 30 e poucos anos de experiência, eu tenho alguns problemas para confiar.

Ok, eles não são bem “problemas”, mas eu definitivamente não confio em muita gente. Talvez seja porque confiança leva tempo e energia, e eu não quero desperdiçar ambos com bobagens. Talvez eu tenha sido queimada muitas vezes. Seja qual for a causa primária, não tenho interesses em jogos e besteiras que nos cercam quando “colocamos a cara no Sol”, por isso eu pego leve. No meu livro, confiança é algo que se ganha, não é apenas dada automaticamente porque somos amigos. Construir confiança significa ficar vulnerável e, embora eu seja uma grande fã da vulnerabilidade e da transparência, não baixo a guarda totalmente.

Eu tenho muitos amigos, mas nem todos eles são tão próximos assim. Não é que não haja espaço na minha vida para todos eles, porque é claro que existe, mas amizades verdadeiras levam tempo e poucas pessoas podem corresponder às minhas expectativas – amor, apoio e confiança mútua sem julgamento. Eu sei, um pouco rigorosa, certo? No entanto, você ficaria surpreso com a rapidez com que as pessoas mergulham no “ônibus da confiança” no momento em que elas se beneficiam de alguma forma. Eu apenas não to aqui para isso… Consigo identificar uma amiga falsa a um quilômetro de distância, então não venha até mim com a sua falsidade, Helen. Sim, eu vejo você!

Alguma pessoas podem dizer que sou cautelosa, e elas não estão erradas. Mas eu estou bem assim. Sou cautelosa, seletiva e especial com quem me envolvo, porque nós somos as pessoas com quem andamos e eu sei exatamente quem eu sou ou deixo de ser. Se eu tenho a impressão que alguém pode não ser confiável, ouço o meu instinto, porque raramente ele está errado. É lamentável, mas algumas pessoas são um saco.

Esta é uma maneira gasta de olhar para tudo isso? Talvez. Mas a vida é curta e eu só mantenho por perto o que é bom e positivo. Protegerei minha felicidade e farei o meu melhor para manter as influências negativas afastadas, porque, quando se trata disso, eu sou uma pessoa sensível e que sente profundamente. Sempre fui alguém que aceita tudo de bom ou ruim – e sente tudo. Ser uma pessoa extremamente sensível é um benção e uma maldição, na verdade, por motivos de: sentimentos. Todos os sentimentos; o tempo todo.

Então sim, existe um muro aí. Porém, se você é uma pessoa boa e bem intencionada, essa parede desmoronará com facilidade. Uma atitude negativa e aquela “menina malvada” se fortalecerá dez vezes. Eu não sou muito analítica ou paranoica, apenas sou cautelosa e confiança não é algo que eu jogue fora como um papel de doce. É merecida e valorizada.

Aqueles que estão no meu círculo estão ali por uma razão; eles sentem a minha alma. Há amor recíproco, apoio, encorajamento e inspiração. Nós cabemos nos corações uns dos outros sem dificuldades ou expectativas, e, quando cometemos erros ou magoamos pessoas, assumimos isso e fazemos o que é certo.

Não existem mentiras ou desconfiança e eu nunca trairia a confiança deles, porque quando alguém confia em você, ela está lhe dando um pedaço do seu coração – e ela espera que você cuide dele.

Fonte/autora: Jorrie Varney

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Leia também: