Deixe seu filho viver e faça parte da vida dele!

De Mãe para Mãe - Psicologia - Somos todas iguais17/06/17 By: Renata Pires
(54) Comentários

 

Olá, meninas!

 

Esses dias uma amiga me enviou um texto muito bacana que está rolando na internet chamado: “O dia em que parei de mandar minha filha andar logo”, da autora e professora de educação especial Rachel Macy Stafford, também dona do blog Hands Free Mama. Este texto foi traduzido pelo Portal do Aprendiz. Ele me fez pensar bastante e perceber que realmente temos que aproveitar os momentos com nossos filhos e deixá-los ter o tempo deles!

 

Andamos sempre apressadas e, mesmo quando não temos nada importante para fazer, ficamos com aquela sensação de pressa, concordam? Então, leiam o texto abaixo: tenho certeza de que muitas de vocês se identificarão e também pararão para pensar sobre isso!

 

Mil Bjss e aproveitem o domingo com os pequenos!

 

 

mom-and-daughter

 

 

………………………………………………………………………………………………………………………..

 

“Quando se está vivendo uma vida distraída, dispersa, cada minuto precisa ser contabilizado. Você sente que precisa estar cumprindo alguma tarefa da lista, olhando para uma tela, ou correndo para o próximo compromisso. E não importa de quantas maneiras você divide o seu tempo e atenção, não importa quantas obrigações você cumpra em modo multi-tarefa, nunca há tempo suficiente em um dia.

 

Essa foi minha vida por dois anos frenéticos. Meus pensamentos e ações foram controlados por notificações eletrônicas, toques de celular e uma agenda lotada. Cada fibra do meu sargento interior queria cumprir com o tempo de cada atividade marcada na minha agenda super-lotada, mas eu nunca conseguia estar à altura.

 

 

IMG_2328-e1373041122738

Rachel e as filhas

 

 

Veja bem, seis anos atrás, eu fui abençoada com uma criança tranquila, sem preocupações, do tipo que para para cheirar flores.

 

Quando eu precisava sair de casa, ela estava levando seu doce tempo pegando uma bolsa e uma coroa brilhante.

 

Quando eu precisava estar em algum lugar há cinco minutos, ela insistia em colocar o cinto de segurança em seu bichinho de pelúcia.

 

Quando eu precisava pegar um almoço rápido num fast-food, ela parava para conversar com uma senhora que parecia com sua avó.

 

Quando eu tinha 30 minutos para caminhar, ela queria que eu parasse o carrinho e acariciasse todos os cachorros em nosso percurso.

 

Quando eu tinha uma agenda cheia que começava às 6h da manhã, ela me pedia para quebrar os ovos e mexê-los gentilmente.

 

Minha criança sem preocupações foi um presente para minha personalidade apressada e tarefeira – mas eu não pude perceber isso. Ó não, quando se vive uma vida dispersa, você tem uma visão em forma de túnel – sempre olhando para o próximo compromisso na agenda. E qualquer coisa que não possa ser ticada na lista é uma perda de tempo.

 

Sempre que minha criança fazia com que desviasse da minha agenda principal, eu pensava comigo mesmo: “Nós não temos tempo pra isso.” Consequentemente, as duas palavras que eu mais falava para minha pequena amante da vida eram: “anda logo”.

 

Eu começava minhas frases com isso:

Anda logo, nós vamos nos atrasar.

 

Eu terminava frases com isso:

Nós vamos perder tudo se você não andar logo.

 

Eu terminava meu dia com isso:

Anda logo e e escove seus dentes. Anda logo e vai pra cama.

 

Ainda que as palavras “anda logo” fizessem pouco ou nada para aumentar a velocidade de minha filha, eu as dizia de qualquer maneira. Talvez até mais do que dizia “eu te amo”.

 

 

DSC_0007-e1373725744396

Filha de Rachel

 

 

A verdade machuca, mas a verdade cura… e me aproxima da mãe que quero ser.

 

Até que em um dia fatídico, as coisas mudaram. Eu havia acabado de pegar minha filha mais velha em sua escola e estávamos saindo do carro. Não indo rápido o suficiente para o seu gosto, minha filha mais velha disse para sua irmã pequena, “você é lenta”. E quando, após isso, ela cruzou seus braços e soltou um suspiro exasperado, eu me vi – e foi uma visão de embrulhar as tripas.

 

Eu fazia o bullying que empurrava e pressionava e apressava uma pequena criança que simplesmente queria aproveitar a vida.

 

Meus olhos foram abertos; eu vi com clareza o dano que minha existência apressada estava causando às minhas duas filhas.

 

Com a voz trêmula, olhei para os olhos da minha filha mais nova e disse: “Me desculpe por ficar fazendo você se apressar, andar logo. Eu amo que você tome seu tempo, e eu quero ser mais como você”.

 

Ambas me olharam surpresas com a minha dolorosa confissão, mas a face da mais nova sustentava o inequívoco brilho da aceitação e do reconhecimento.

 

“Eu prometo ser mais paciente daqui em diante”, disse enquanto abraçava minha filha de cabelos encaracolados. Ela estava radiante diante da promessa recém-descoberta de sua mãe.

 

 

eed90f1069338fdcaa84c1500fa0dbfe

 

 

Foi bem fácil banir o “anda logo” do meu vocabulário. O que não foi tão fácil foi adquirir a paciência para esperar pela minha vagarosa criança. Para nos ajudar a lidar com isso, eu comecei a lhe dar um pouco mais de tempo para se preparar se nós tivéssemos que ir a algum lugar. Algumas vezes, ainda assim, ainda nos atrasávamos. Foram tempos em que eu tive que reafirmar que eu estaria atrasada, nem que se fosse por alguns anos, se tanto, enquanto ela ainda é jovem.

 

Quando minha filha e eu saíamos para caminhar ou íamos até a loja, eu deixava que ela definisse o ritmo. Toda vez que ela parava para admirar algo, eu afastava os pensamentos de coisas do trabalho e simplesmente a observava as expressões de sua face que nunca havia visto antes. Estudava com o olhar as sardas em sua mão e o jeito que seus olhos se ondulavam e enrugavam quando ela sorria. Eu percebi que as pessoas respondiam quando ela parava para conversar. Eu reparei como ela encontrava insetos interessantes e flores bonitas. Ela é uma observadora, e eu rapidamente aprendi que os observadores do mundo são presentes raros e belos. Foi quando, finalmente, me dei conta de que ela era um presente para minha alma frenética.

 

Minha promessa de ir mais devagar foi feita há quase três anos e ao mesmo tempo eu comecei minha jornada de abrir mão das distrações diárias e agarrar o que importa na vida. E viver num ritmo mais devagar demanda um esforço concentrado. Minha filha mais nova é meu lembrete vivo do porquê eu preciso continuar tentando. E de fato, outro dia, ela me lembrou de novo.

 

Nós duas estávamos fazendo um passeio de bicicleta, indo para uma barraquinha de sorvetes enquanto ela estava de férias. Após comprar uma gostosura gelada para minha filha, ela sentou em uma mesa de piquenique e observou deliciada a torre gélida que tinha em suas mãos.

 

De repente, um olhar de preocupação atravessou seu rosto. “Devo me apressar, mamãe?”

 

Eu poderia ter chorado. Talvez as cicatrizes de uma vida apressada nunca despareçam completamente, pensei, tristemente.

 

Enquanto minha filha olhava para mim esperando para saber se ela poderia fazer as coisas em seu ritmo, eu sabia que eu tinha uma escolha. Poderia continuar sentada ali melancolicamente lembrando o número de vezes que eu apressei minha filha através da vida… ou eu poderia celebrar o fato de que hoje estou tentando fazer as coisas de outra forma.

 

Eu escolhi viver o hoje.

 

 

8b7e88455bd0518260867f2664c5982c

 

 

“Você não precisa se apressar. Tome seu tempo”, eu disse gentilmente. Toda sua cara instantaneamente abrilhantou-se e seus ombros relaxaram.

 

E então ficamos sentadas, lado a lado, falando sobre coisas que crianças de 6 anos que tocam ukelele gostam de falar. Houve momentos em que ficamos em silêncio, sorrindo uma para a outra e admirando os sons e imagens ao nosso redor.

 

Eu imaginei que ela fosse comer todo o sorvete – mas quando ela chegou na última mordida, ela levantou uma colheirada repleta de cristais de gelo e suco para mim. “Eu guardei a última mordida pra você, mamãe”, disse orgulhosa.

 

Enquanto aquela delícia gelada matava minha sede, eu percebi que consegui um negócio da China. Eu dei tempo para minha filha e em troca ela me deu sua última mordida de sorvete e me lembrou que as coisas tem um gosto mais doce e o amor vem mais dócil quando você para de correr apressada pela vida.

 

Seja comendo sorvete, pegando flores, apertando o cinto de bichinhos de pelúcia, quebrando ovos, encontrando conchinhas, observando joaninhas ou andando na calçada.

 

Nunca mais direi: “Não temos tempo pra isso”, pois é basicamente dizer que não se tem tempo para viver.

 

Tomar seu tempo, pausar para deleitar-se com as alegrias simples da vida é o único jeito de viver de verdade – acredite em mim, eu aprendi da especialista mundial na arte de viver feliz.”

 

 

DSC_0041-e1365991712751

Rachel e sua filha

 

Fonte: Portal do Aprendiz

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

54 Comentários:Deixe seu filho viver e faça parte da vida dele!
  1. Leonor Belmonte

    Lindo isso, parabéns !!!

    • Renata

      Lindo né Leonor? Queria dividir este texto maravilhoso com vcs. Que bom que gostou! Bjss

    • Maura

      Lindo, me identifiquei muito com este texto, sou assim acelerada, quero que minhas crianças sejam rapidas, agora percebí que estou fazendo tudo errado, a partir de agora vou tentar ser mais tolerante com o tempo deles rs

  2. Mariana

    Texto SENSACIONAL!! Impossível ler e não parar pra pensar e repensar….
    PARABÉNS, Rê!!
    Beijos
    Mari

    • Renata

      Oi Mari!!!! Que bom que vc gostou!!! Esse texto é incrível! Mil Bjss e muito obrigada!

    • selma

      é verdade eu mesmo falo vamos logo vamos chegar atrasada isto é para refletirmos

  3. Lara

    Ótimo texto!! Precisamos mesmo prestar atenção para esses momentos!

    • Renata

      Oi Lara! Exatamente! Precisamos prestar atenção ao que estamos fazendo com nós mesmas e com nossos pequenos! Mil Bjss

  4. Rita

    Amei,me vi nessa história,também, tenho duas filhas…….aprender é sempre bom.parabéns!

    • Renata

      Oi Rita! Este texto faz a gente refletir bastante né? Parabéns pelas filhotas!! Mil Bjss e obrigada!

  5. Adriana

    Texto maravilhoso!

    • Renata

      Oi Adriana! Maravilhoso o texto né? Faz a gente parar para pensar nas nossas atitudes!Bjss e obrigada!

  6. Visi

    Que texto maravilhoso! Muito emocionante! Parabéns por nos fazer refletir! Bjos!

    • Renata

      Oi Visi! Também achei muito emocionante! Fico feliz que tenha gostado! Mil Bjss e muito obrigada

  7. Marcinha

    Muito bom , este texto, incrível como eu me revi com essa agitação toda e como a minha filha Benedita
    Sente isso na pele….
    Depois de o lêr acredito que serei uma mãe mais tranquila…
    Obrigada
    Beijinhos

    • Renata

      Oi Marcinha!! Acho que todas as mães que lêem esse texto se identificam um pouquinho que seja… temos que parar um pouco né? Fico feliz que tenha gostado! Mil Bjss e obrigada!

  8. Denise Tavares

    Nossa, emocionante!
    Vira e mexe me pego apressando meu pequeno.. mas logo percebo que o tempo dele não é o mesmo que o meu.
    Inspirador esse texto!!!!
    Adorei!
    bjs

    • Renata

      Oi De!! Esse texto me fez parar para pensar totalmente tmb!! Eu vivo falando que os gemeos estao demorando, indo muito devagar… tadinhos, só tem 2 anos de idade!! É bom ler essas coisas para nos brecarmos um pouco, né? Mil Bjss e obrigada!

    • Rosana

      Muito lindo esse texto, me emocionei me lembrando do meu filho. As vezes faco a mesma coisa, com certeza esse texto vai me ajudar a fazer alguns mudancas, obrigada. bjos

      • Renata

        Oi Rosana!! Demais esse texto né? Esse texto me ajudou bastante também!!! Obrigada à você! Mil Bjss

  9. Fernanda cerri

    Lindo e emocionante!
    Emocionante pois ao fazer a minha auto-analise vejo que tambem estou sempre com pressa e muitas vezes me esqueco do real sentido da vida! Da coisas que realmente valem a pena…

    • Renata

      Oi Fernanda! Que bom que gostou! Esse texto realmente faz a gente parar para pensar, né? Nossos filhos não tem que e não devem ser apressados e tensos como nós!! Temos que nos policiar para não deixá-los estressados! Mil Bjss e obrigada!

  10. Juliana

    Rê, já tinha lido o texto, mas não resisti e mais uma vez me admirei com ele. Precisamos nos atentar ao que realmente vale a pena para nós, com certeza vivenciar cada segundo ao lado dos nossos filhos. Mesmo com meu pequeno me incomodava demais chegar atrasada nos lugares (pra quem é super hiper mega pontual isto é quase uma tortura), porém estou a cada dia aprendendo que vivo em outro mundo, com alguém que depende muito de mim e que tem seu tempo, que deve ser respeitado!!!! Vivendo e aprendendo né….a cada dia hehe. Super bjo

    • Renata

      Ju!!!! Demais esse texto né? Eu amei!!! Faz a gente parar para pensar o que estamos valorizando! Temos que aproveitar cada minuto ao lado dos nossos pequeninos, pq cada dia tem uma nova descoberta! Mil Bjss e muito obrigada!!

  11. Luiza B. Campos

    Sensacional e muito bom para abrimos os nossos olhos apressados e vivermos a vida dando mais valor as coisas realmente importantes! Obrigada!

    • Renata

      Oi Luiza!! Que bom que gostou!! Às vezes só conseguimos enxergar as coisas quando lemos algo desse tipo né? Me vi um pouco no texto e estou tentando me policiar para deixar meus filhos terem o tempo deles! Mil Bjss e obrigada à você!!!

  12. Maria

    Parabéns por essa descoberta e conquista na sua vida!
    Muito belo!
    Que Deus abençõe sua família!

    • Renata

      Oi Maria! Muito obrigada querida! Achei esse texto lindíssimo! Amém! Mil Bjss

  13. cibele

    Maravilhoso!!

    • Renata

      Oi Cibele! Demais esse texto né? Me identifiquei muito!!! Bjsss

  14. Telma

    Meus filhos ja estao crescidos, meu primeiro neto vai nascer em breve e hj aprendi e chorei muito com seu testemunho. Parabens.

  15. Cris

    Boa Tarte!
    Este texto me tocou muito, pois tenho uma filha de 11 anos e me vejo agindo exatamente assim, sempre correndo comtra o tempo e perdendo momentos prteciosos com minha querida e amada filha.

  16. Regiane

    Caraca faço o mesmo com meus filhos.
    Foi muito bom ler este texto. Obrigado por dividir conosco

  17. Fernanda

    Ótimo texto!!! Tenho um filho de 6 meses e quando ele crescer mais um pouco com certeza colocarei isso em prática…quero aproveitar meu pequeno ao máximo.

  18. Cintia

    Adorei o texto e me vejo agindo da mesma forma todos os dias com minha pequena de 3 anos…

  19. debora

    Muito muito bom!! me abriu os olhos.. sou mãe e moro com duas filhas!!
    E sou vc antes…rs estou sempre acelerando elas…falando o “vamos logo, vou me atrasar”… “vamos logo quero dormir”.. “vamos logo pra vcs jantarem”…a correria frenetica do meu trabalho e da minha vida de mãe solteira me deixou muito acelerada…e lendo seu texto me vi inteira…. esses dias a maior falou praticamente a msm coisa…eu falando vamos vamos…a maior disse pra pequena que ela era muito lerda…
    Gente;…como eu nao vi que estou praticamente sequelando minhas princesas???Rs O texto é muito bom…e acho q tb está na hora de fazer essa promessa!!!!

  20. JUCELÉIA

    ME VEJO FAZENDO A MESMA COISA COM MEUS FILHOS! TRISTE ISSO MAS QUERO MUITO TAMBÉM CONSEGUIR MUDAR!!!

  21. Vânia

    Perfect story. Uma realidade que deve ser lida e refletida por todos os pais que vivem sob o stress da atualidade.

  22. Talita

    Lindo…nos faz aprender.

  23. Deborah

    Maravilhoso este texto. Independente da idade dos filhos,sempr vale a pena respeitar o tempo de cada um. Parabéns!!!!

  24. marselha bessa da silva

    “…e faça parte da vida dele”…foram estas palavras que mais refletiram a mãe que fui… por causa da pressa, do corre corre do cotidiano,eu não fiz parte da vida de minha filha… Certo dia, já adulta, depois de um conflito, ela se abriu comigo …” na infancia e adolescencia eu nunca tive mãe, e de repente(me tornei apenas dona de casa) me vejo com uma super mãe??? Desculpe, eu aprendi a viver sozinha…agora não consigo conviver com toda esta atenção que vc quer me dedicar….me sinto oprimida”…. estou compartilhando isto… e espero ter contribuido
    Vale lembrar que hj estou com 67 anos, e ela com 36…é mãe do Pedro, 4 anos…e com a maturidade,aos poucos temos conseguido quebrar aquela barreira…

  25. marselha bessa da silva

    Parabens pelo texto, Renata!

  26. Neusa Caetano

    ” Parabéns por vc ter percebido a tempo de curtir e participar destes momentos que são preciosos e passam muito rapido. “Deusabençõe voces.”

  27. Isabela

    Seja forte! Teu segundo filho sempre vai te lembrar quem tu foi, mas sua primeira filha quem tu és! O Tempo é a maior loucura que nós inventamos pra não encararmos a vida: nascer, comer, crescer, comer e morrer. Essa é a nossa dimensão, nossa realidade. Se aproprie do seu aprendizado, é pra isso que viemos e nascemos e é pra aprendermos que iremos morrer, pra aprender!
    Suas filhas são demais, a primeira e a segunda e valorize as duas! Fique com Deus, bjim.

  28. Carol

    Lindo texto… Na verdade, eu já tinha o lido anteriormente, e não deixei de me emocionar mais uma vez! Obrigada por nos fazer refletir!!! E parabéns pelo blog, meninas! Ele é sensacional!!! Bjs

  29. Rafael Costa

    Lindo texto… é uma reflexão excelente para nós, pais, também.

  30. Rafael Costa

    A pressa nos impede de experimentar a delicadeza e a pureza e a docilidade das crianças… A minha filha me ensina muito: paciência, simplicidade, carinho inesperado, amor de verdade!!!

  31. eleuza

    ADOREI EU TAMBEM TENHO DOIS FILHOS UMA MENINA DE 5 E UM MENINO DE 7 . E SO PRESTARMOS ATENÇAO QUE NOS DEPARAMOS COM A REALIDADE DOS FATOS …COM SERTEZA VOU REFLETIR.

  32. Andreia

    Rachel,

    Caiu como uma luva para mim… tenho duas preciosidades que ouviam isto de mim, o TEMPO TODO.
    Chorei ao ler…. mudou a minha vida este texto.
    obrigada!
    Andreia Crespo

    • Karen

      Acompanho o blog e amo!
      Quando li esse texto pela primeira vez, chorei muito pois é exatamente como eu sou, fazendo o que não quero fazer…
      Então não esqueço dele e às vezes, venho ler novamente. Hoje mandei o link para o marido… ele está precisando ler também…
      Muito obrigada!

  33. rosangela

    Eu também tenho alguém que sabe apreciar a beleza da vida e se chama Ana clara

  34. Claudia

    Perfeito!!
    Precisava ler esse texto.
    Meu bebê(1 ano e 11 meses)diz:AMO,AMO,AMO = vamo,vamo,vamo!Me imitando…
    Que pecado andei fazendo…um dia desses me dei conta disso… e parei de apressar ele.
    Esse texto veio a calhar, fis o certo!

    Muito Obrigada!
    <3

  35. catiakassinow

    Rachel tudo que vc viveu com a sua filha é simplesmente o que todas nós mães deveriamos viver para aprender com nossos pequenos aquilo que não conseguimos viver com nossas mães quando crianças também. Porém vc foi escolhida para nos lembrar de como nossos filhos são mais importantes do que qualquer outro compromisso, não justificando falta de tempo ¨nunca¨!!! Que belo exemplo vc nos deu!!! obrigada.

  36. Tatiana Fontana

    Lindo……Me vi no contexto de não ter tempo

X Leia também:

Você sabe o que é Ortorexia? Quais as consequências desse comportamento em seus filhos?

17/06/17Ver a matéria   >>