Convulsão febril nas crianças! – por Dr. Jairo Len

De Mãe para Mãe - Dicas dos especialistas30/09/17 By: Dr. Jairo Len
(4) Comentários

 

Olá!

Nosso colunista pediatra, o Dr. Jairo Len, escreveu um artigo super completo sobre convulsões febris em crianças.

Tenho certeza de que muitas de vocês conhecem alguma criança que teve convulsão febril. É muito mais comum do que imaginamos. Minha sobrinha e a filha de uma amiga minha tiveram e lembro-me bem do desespero delas e o quanto gostariam de ter tido mais informações sobre este assunto.

Por esse motivo, pedimos para ele escrever algo para que nós, mamães, realmente entendêssemos e o conteúdo está excelente.

Vale ler para saber como agir nessas situações!

Espero que gostem!

Mil Bjsss

 

convulsao_febril_em_criancas-just_real_moms-5

 

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

 

Convulsão Febril

A convulsão febril simples é uma doença que assusta a grande maioria das mães e pais, apesar de sua baixa incidência. Ainda que seja muito temida, é bastante rara e também benigna, não trazendo quaisquer complicações neurológicas a longo prazo.

 

Convulsão Febril em Crianças - Just Real Moms

 

– Idade: A convulsão febril (CF) pode ocorrer em crianças entre os 6 meses e 5 anos de idade, mas a maioria dos casos a CF ocorre até os 2 anos de idade.

– Frequência: A porcentagem de crianças que vão ter uma CF é em torno de 2%. Existe característica hereditária nas convulsões febris, como casos na família (pais, tios, primos).

– Causas: A convulsão febril é causada única e exclusivamente por causa da FEBRE, ou seja, não há relação com qualquer doença neurológica – como as meningites ou epilepsia. A causa, na verdade, é o aumento rápido da temperatura – dos 36,5°C para os 38,5°C em poucos minutos.

– Qual temperatura? A temperatura em que a CF ocorre é em torno dos 38,5°C. Temperatura mais altas (como 40°C) mantidas por várias horas não causam convulsão febril.

As doenças febris que mais comumente se relacionam com as convulsões são aquelas das vias aéreas superiores, que sempre causam febres que sobem rapidamente: faringites, amigdalites, otites – e também as doenças infantis virais, como o exantema súbito (ou roséola). Pneumonias e infecções urinárias também têm relação com a convulsão febril.

– Como é a convulsão? A convulsão febril normalmente é “tônico-clônica generalizada”, ou seja, todos os músculos da criança têm uma movimentação cíclica ao mesmo tempo. A criança tem perda transitória de consciência na maior parte das vezes. Tem início súbito e duração máxima de 15 minutos na maioria dos casos. Porém, na maioria das vezes dura cerca de 3 minutos. Quando temos uma convulsão febril que dura mais de 15 minutos, o que é muito raro, chamamos de convulsão febril complexa, e uma avaliação por neurologista é sempre indicada, desde a primeira convulsão.

– O que fazer? Em primeiro lugar, mantenha a criança em algum lugar seguro, aonde não tenha risco de se machucar (no colo, por exemplo). Retirar da boca da criança qualquer coisa que ela esteja mastigando (tipo: bolachas, balas) ou chupetas. Caso se note que a criança está com febre (na maioria das vezes os pais não percebem a febre devido a todo o estresse do momento), pode-se colocar um supositório infantil antitérmico à base de dipirona (o único disponível no Brasil). Um banho morno seria indicado, mas é difícil ser dado na criança em convulsão.

A criança deve ser levada a um pronto-socorro para uma completa avaliação do quadro: se a convulsão é exclusivamente febril, se não há outras doenças associadas. DEVE-SE DIRIGIR ATÉ O PRONTO-SOCORRO COM CALMA E CUIDADO. Existem estatísticas mostrando que o índice de acidentes de trânsito é muito grande quando os pais levam em emergência os filhos ao pronto-socorro.

No pronto-socorro, a criança geralmente chega após a convulsão ter terminado. Caso a criança chegue ao PS convulsionando, a equipe médica vai tomar as condutas necessárias. Sempre é realizado um exame físico completo para se achar a causa infecciosa da convulsão febril e, se necessário, são feitos exames laboratoriais para afastar possíveis complicações: hemograma, tomografia, líquor.

Caso se chegue a conclusão que houve uma CONVULSÃO FEBRIL simples, a criança não necessita de internação. Deve ser medicada para a causa da febre: antibióticos e antitérmicos, se necessário.

– Recorrência: Mesmo sem usar remédios anti-convulsivantes, o risco de uma criança ter uma segunda CF é baixo: só 25% a 30% das crianças que tiveram uma CF vão ter a segunda.

– Tratamento a longo prazo: Atualmente, não são utilizados remédios a longo prazo para as crianças que tiveram uma só convulsão febril ou mesmo convulsões febris simples de repetição. Caso a convulsão febril se repita, deve haver uma investigação mais completa por um neurologista.

– IMPORTANTE: Existe uma reação que ocorre logo antes de um quadro de febre alta, que é a viremia ou bacteremia, muitas vezes confundidas com a convulsão febril. Nestes casos, as crianças ficam pálidas, com os lábios e extremidades mais arroxeados (cianose), e também leves tremores em extremidades. Em poucos minutos vem a febre alta, e estes sintomas desaparecem – permanecendo só a febre, que deve ser medicada normalmente.

 

Convulsão Febril em Crianças - Just Real Moms

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 Comentários:Convulsão febril nas crianças! – por Dr. Jairo Len
  1. Nagela Cardoso

    Materia sensacional, como tudo neste blog!!! bjs

  2. Cláudia R.I.N.Braga Costa Le

    Oi meu filho teve a primeira vez que ele pegou gripe aos 6 meses ou 7 de idade , nossa como fiquei assustada, n sabia o que estava acontecendo, do nada passava um tempo e ele abria os braços duros como se tivesse dando um trancoe depois chorava, dava p ver q ele estava assustado tbm com aquilo,levamos ao ps, tomou banho morno e dps deram dipirona .Depois disso n deu mais febre e ele melhorou da gripe, a médica disse q era inicio de convulsão q era pra dar remedio da febre antes de ir pro hospital pq ele podia morrer, eu estava tda hora medindo a febre dele ele até suou e mais tarde as 6h da matina isso aconteceu.Experiência q não quero passar outra vez, fiquem atentas meninas! BEIJOS CLAU

  3. candida

    Minha filha teve convulsão com apenas 8 mêses, fiquei desesperada sem saber o que fazer, para mim ela estava morrendo. Fui diretamente para as urgências para que ela voltasse ao normal, e la me disseram que não era grave que ela iria ficar bem.A cconvulsão foi causada por otites que levaram a uma febre de 40 graus e uma descida brusca de temepratura. Depois dessa ela nunca mais reve convulsão

  4. Tainara Kappaun

    bom dia, a criança que tem febre convulsiva, tem que ter um acompanhamento com um neuro-pediatra ou nem sempre?

X Leia também:

Você sabe o que é Ortorexia? Quais as consequências desse comportamento em seus filhos?

30/09/17Ver a matéria   >>