Como consegui seguir após a perda do meu marido – por Camila Klein

Cuidados especiais - De Mãe para Mãe - Psicologia - Relacionamentos14/08/17 By: Renata Pires
(9) Comentários

 

Olá!

Uma vez, no estacionamento da escola dos meus filhos, uma mãe me parou e me perguntou se eu escrevia o blog. Disse que sim e ela, no mesmo momento, comentou que havia perdido o marido de ataque do coração e que estava completamente perdida com tudo isso.

Então fui atrás de alguém que tivesse passado por isso e conseguido seguir a vida após a perda do seu companheiro.

Há tempos conheço a história da Camila Klein: uma mulher linda, bem sucedida (é designer de bijuterias belíssimas), mãe de um casalzinho (de 9 e 10 anos de idade). Dois anos atrás ela perdeu o marido. Luiz Fernando La Selva foi queimado por uma água-viva em uma viagem que fez com os amigos à Cuba e, provavelmente pelo ferimento ter ficado aberto, foi contaminado por uma bactéria e faleceu em poucos dias.

Uma fatalidade que não gostamos nem de imaginar. Porém, diversas mulheres passam por isso.

Entrei em contato com a Camila e ela, muito gentilmente, escreveu um texto que relata essa reviravolta em sua vida. Emocionante, lindo e cheio de sensibilidade!

Espero que gostem!

Mil Bjsss

 

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

 

Camila Klein

 

Olá a todas as mulheres que se interessam por uma boa colheita e gostam de comer chocolate.

Penso eu, Camila Klein, mãe de dois filhos, Ana Laura, 10 anos, e João Paulo, 9 anos, que o resultado da educação de nossos filhos depende de como nós, mulheres, estamos plantando.

A forma como escolhemos o que apresentamos a eles e qual semente vale a pena plantar, vai depender do que gostaríamos de colher.

Parece simples e é como comer chocolate.

Há dois anos eles perderam o pai, eu o marido e meus sogros, o filho.

Uma tragédia, uma dor, um sofrimento. Eu diria uma semente.

Em minha nova plantação, no canteiro das sementes indicadoras de felicidade, eu rapidamente identifiquei que essa, não deveria ser plantada, nem mesmo regada, e muito menos podada, pois se assim fizéssemos, a colheita seria o sofrimento, a poda e o adubo dariam força às raízes que cresceriam em nossas mentes cheias de lembranças, que não cessariam e não o trariam de volta.

Resolvi, então, pôr em prática toda a força adquirira pela vida ou estudada pelas escolhas das minhas sementes. Tinha chegado a hora de colher a energia e a coragem que eu tinha em minha plantação. E os meus “bebês”, que rapidamente cresceram pela dor, viraram crianças que sabiam que algumas sementes não poderiam e nem deveriam ser plantadas, pois a flor seria uma tristeza profunda.

Então, de uma forma simples, eu coloquei a natureza em suas vidas como responsável pelo acidente ocorrido. Quando percebi o que havia feito, me questionei se deveria agir dessa forma já que aprendemos que o amor vem da dor. Porém, quando o meu filho verbalizou genuinamente que o papai foi embora igual a uma planta que nasce, cresce, se reproduz e morre, no mesmo instante, respondi: Sim meu filho, a vida é assim, vamos agradecer por ele ter sido tão feliz ao nosso lado e por ter ido embora sem sofrimento, o papai está em paz para voltar de onde nós viemos.

No mesmo dia passamos a rezar e a agradecer a Ele por esse presente, e pedir para que quando a nossa viagem chegar ela seja tão abençoada quanto foi a do pai.

Com essa seleção, estamos fazendo a nossa plantação de experiências, vivências, aprendizados, união, amor e muita coragem para viver a vida como ela é: separar os grãos, plantar, regar, colher e comer chocolate.

O que me indica hoje que os meus filhos estão bem? Eles estão plantando sementes e aprendendo que as escolhas são feitas por nós e o destino feito por Ele.

 

Camila Klein - Just Real Moms

Camila Klein - Just Real

Camila Klein - Just Real Moms

Camila Klein - Just Real Moms

Camila Klein - Just Real Moms

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 Comentários:Como consegui seguir após a perda do meu marido – por Camila Klein
  1. Ana Carolina

    Que lindo! Parabéns Camila! Está no caminho certo com certeza! Bjs.

  2. Thais

    Texto incrível, que sensibilidade! Parabéns!

  3. Márcia Csibak

    Que linda mensagem… me deixou emocionada. Me fez pensar que as vezes a gente perde tanto tempo com coisas fúteis, desnecessárias e deixamos de lado coisas, pessoas e momentos importantes em nossa vida.

    Que Deus nos ajude a amar mais, respeitar mais, plantar sementes boas em nosso jardim da vida, quem sabe assim, possamos até distribuir frutos excelentes da nossa colheita, né?

    Obrigada pela mensagem maravilhosa!

    Bjs ;*

  4. Leda

    Que lindo Camila. Você realmente é muito especial.Tenho muito orgulho ^de sua madrinha.Seus filhos estão grandes e lindos! Bjs para os três.

  5. Leda

    Você realmente é muito especial.Tenho muito orgulho ^de ser sua madrinha..Bjs

  6. maria ines

    Não saberia, em idade tão tenra quanto a tua, ser madura igual….
    Mas, não há que ser diferente, por mais cruel que seja, a vida continua ….
    E, você que me parece ter uma mente privilegiada, tem que brilhar o seu brilho próprio.
    Siga sua trilha e seus filhos idem. É assim que tem que ser.
    Paz acima de tudo!

  7. sueli

    Lindíssimo, sensível, tão maduro, tão tranquilo.

    Paz, muita Paz!

  8. lMarluce Moreira

    Camila, que lindo essa maturidade! acredito que com toda tristeza da perda
    quando ainda temos filhos, principalmente dessa idade, aparece uma força extraordinária para seguir em frente. Você é uma grande mulher. Deus que lhe
    fortaleça cada vez mais.

  9. lMarluce Moreira

    Camila, que lindo! Acredito que quando temos filhos dessa idade, temos que
    nos fortalecer para seguir em frente. Você é uma grande mulher! Deus lhe fortaleça sempre. Linda sua mensagem!

X Leia também: