As doenças mais comuns no primeiro ano de escola – por Dr. Jairo Len

De Mãe para Mãe - Dicas dos especialistas - Saúde da Criança09/02/17 By: Dr. Jairo Len
(7) Comentários

 

Olá, moms!

Tudo bem?

Quando o assunto é saúde, sabemos que todos os cuidados são necessários. É muito comum que no primeiro ano na escola os pequenos contraiam doenças que não tinham antes, o que pode deixar os pais preocupados. Na verdade, isso é bem comum, pois nossos filhos estão entrando em contato com germes e bactérias que seus organismos não conheciam.

Nosso colunista de pediatria, Dr. Jairo Len, nos explica sobre as doenças mais comuns no primeiro ano de escola, além de dicas de como preveni-las!

Confiram!

 

dr_jairo_len

 

_______________________________________________________________________________________

 

A entrada de uma criança na escola é um fato que marca muito a vida da família. Desde a difícil escolha da escola, seus métodos pedagógicos e educacionais, a distância de casa, os valores de mensalidade, entre outros.

Muitos pais me perguntam sobre isso, mas, principalmente, querem saber “o que vão encontrar em matéria de saúde e doenças” nos primeiros anos escolares de seus filhos.

Da parte pediátrica, o primeiro ano da escola, em geral, trará novidades.

Vamos falar de crianças que ingressam em escolas, ao redor dos dois anos de idade. Salvo que tenham irmãos mais velhos, será o primeiro contato destas crianças com vírus e bactérias, no seu dia a dia.

Sem dúvida, quanto mais cedo (a partir de 4 meses de idade) uma criança vai para um berçário, maior será a chance de adquirir doenças infecciosas. Ao redor dos 2 anos a imunidade já está mais amadurecida, e a chance das doenças vai diminuindo bastante – mas os pais vão conhecer novos nomes para seu dicionário: estomatite, IVAS (a infecção das vias respiratórias superiores), escarlatina, doença mão-pé-boca, sapinho, otite, eritema infeccioso… São as chamadas DPIs, ou doenças próprias da infância.

Infelizmente, muitos pais ainda não aprenderam a lição pediátrica número 1: lugar de criança doente não é na escola. E por esse motivo noto que o índice de DPIs nas escolas é tão grande. Pais me mostram seus whatsapps dos grupos da escola – é um comunicado de doença atrás do outro… Além dos casos confirmados pela escola, “prints” de inúmeras doenças que circulam nos grupos da internet. Não está fácil para os pais…

Mas pouco vejo, nesse mundo da comunicação instantânea, uma menção ou recomendação por parte da escola ou dos próprios pais: se seu filho teve febre nas últimas 24 horas, não deve ser levado à escola. Além da necessidade de se elucidar a causa da febre, a criança merece, quando está doente, o aconchego de casa, o repouso, oferta permanente de líquidos e alimentos que ela esteja aceitando, a presença de um adulto cuidando, se preocupando individualmente. Se for o caso, avaliação médica.

É importante também, sem dúvida, que tenhamos os cuidados de higiene e alimentares, o que pode ajudar a diminuir o impacto das doenças. Crianças devem sempre lavar as mãos (água e sabão ou álcool gel, se não há sujeira visível). Nas escolas, obrigatoriamente antes dos lanches e refeições, após o horário de recreio – e, sempre, após o uso do banheiro. Parece óbvio? Mas nem sempre é realizado pela escola. O mesmo fazemos em casa, rigorosamente. Esta medida básica pode diminuir bastante a transmissão de vírus e bactérias comuns do dia a dia.

A alimentação saudável também contribui para a saúde dos nossos filhos no início da idade escolar, lembrando que o café-da-manhã é uma importante refeição. Além do leite, tentar oferecer uma porção de cereais (incluindo pão), alguma fruta em pedacinhos, e se possível, fazer esta refeição com a família ao redor da mesa.

Em geral, esta fase de doenças seguidas pode acontecer, de forma mais importante, no primeiro ano de escola. O que os americanos chamam de “terrible first year”, o terrível primeiro ano. Talvez um pouco de exagero, afinal, não são todas as crianças que passam por isso. De qualquer forma, cada criança deve sempre ser avaliada individualmente, analisar se está dentro dos parâmetros de “normalidade”, se há necessidade de eventual reforço de vitaminas e sais minerais, assim como dos controversos medicamentos para aumentar a imunidade.

 

As doenças mais comuns no primeiro ano de escola - por Dr. Jairo Len

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 Comentários:As doenças mais comuns no primeiro ano de escola – por Dr. Jairo Len
  1. cleide da silva sandes

    gostaria de saber como prevenir as doenças no primeiro ano de escola

  2. Vanessa

    Eu vivi na pele a “terrible first years”. Precisei dar uma pausa na carreira p cuidar do meu filho e tirei o da escola. Ele pegava uma bacteria atras da outra (otite, resfriado, problemas respiratorios, estomatite, sapinho, viroses, conjuntivite) ficava em casa p os cuidados necessarios e qdo retornava a escola, voltava sempre c alguma outra coisa. Dps de 2 meses fora sa escola, não teve mais nada…

  3. Eva Andrade

    Olá pessoal! Grata pelo artigo sobre as doenças mais comuns no primeiro ano escolar! Só gostaria de saber se possuem alguma dica para aumentar a imunidade da criança em relação a resfriados. Meus filhos (sete anos, cinco anos e três anos) depois que ingressaram na escola me dão muito trabalho para conter os resfriados. Abraços.

  4. Lilas

    Muito bom o artigo, ele deve ser visto por todas os pais.

  5. Márcia

    Achei interessante…

  6. Celia

    Texto bem útil que vai ajudar muita gente. Creio que um dia isso possa virar um vídeo e se feito um intercâmbio de conteúdo entre as pessoas que querem o melhor para seus filhos.

  7. Gustavo Silva

    coloquei o meu filho na escola com uma ano. Hoje, três meses depois, o médico nos orientou tirar da escola pois tem sido comum doenças respiratórias.
    Minha esposa e eu não aguentamos mais emergências, pediatras, alergologistas, etc.
    Os médicos sempre tratam as doenças com uso de antibióticos, e quando a criança retorna a escola, em menos de dois dias as doenças retornam.

    Não sabemos mais o que fazer!

X Leia também: