5 motivos para você não engolir o choro (nem mandar seu filho engolir) – por Ana Paula Puga

De Mãe para Mãe - Psicologia - Relacionamentos05/12/17 By: Ana Paula Puga
(0) Comentários

“Ela sempre me dizia:

– Não chore.

– Isso não é motivo para chorar.

– Engole o choro.

– Não seja chorona.

– Se chorar fica velha e feia.

Eu nunca a vi chorar, nunca. Sempre forte. Decidindo as coisas com firmeza. Sem titubear. Não era não e sim era sim, e ponto.

E aqui estou eu, repetindo as mesmas frases com meus filhos agora.”

Foi esse o assunto da sessão naquele dia.

Chorar ou não chorar?

Deixar as crianças terem esse “direito”?

Deixá-los nos ver debulhando em lágrimas? Tendo dúvidas? Arrependimento?

Quantas dúvidas aquela mulher/mãe/filha trazia.

E são as mesmas dúvidas que eu, você, sua amiga, a vizinha, e talvez nossas mães (mesmo que não admitam) também temos.

 

5 motivos para você não engolir o choro (nem mandar seu filho engolir) - por Ana Paula Puga

 

Então vamos lá.

Vamos entender de uma vez por todas algumas coisas importantes para nos relacionarmos bem com os filhos, conosco mesmas e com os nossos sentimentos:

1) “Isso é motivo para chorar sim”. Se uma criança chora ela tem seu motivo. Pode não ser um motivo que faria um adulto ou outra criança chorar, mas para seu filho é. E menosprezar esse seu motivo não é o caminho. Deixe ele expressar o que sente.

2) “Vai passar”. Ao contrário de tentar convencer a criança a parar de chorar, ou convencê-la que se ela não estivesse feito isso ou aquilo ela não estaria chorando agora, ou que ela merece, apenas acolha. Se possível (e sempre é) abrace-a e apenas a acalme dizendo “vai passar”.

3) “Chore sim”. Isso vale para você mãe. Permita-se chorar, afinal de contas você é humana portanto HUMANIZE (e não demonize) seus sentimentos.

4) “O que está sentindo?”. Quando você chorar e seu filho vir, explique para ele que está chorando porque está triste, está com saudades, está com medo. Isso mostra para ele que às vezes os sentimentos se tornam grandes demais para suportamos e então choramos. Assim ensinará a ele dar nome para os seus próprios sentimentos, a colocar para fora e aceitar carinho e ajuda de quem o ama.

5) “Põe para fora”. Fica mais fácil lidar com aquilo que aparece, isso vale para os sentimentos. Se ele só ficar aí, dentro de você, fica difícil acessar, e sem acessar não dá para modificar. Tudo que não encontra saída pela via da fala pode fazer você adoecer (física e psiquicamente). Tolere seus próprios erros, limitações, medos. Tolerando mais a si e a sua humanidade acaba tolerando mais as outras pessoas, com seus acertos e seus erros.

 

5 motivos para você não engolir o choro (nem mandar seu filho engolir) - por Ana Paula Puga

 

Por Ana Paula Puga

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Leia também: