10 dicas para assumir o papel de madrasta e melhorar a relação com os enteados!

De Mãe para Mãe24/02/14 By: Renata Pires
(237) Comentários

 

Oi, meninas!

 

No post de hoje, vou falar um pouco sobre a relação entre madrastas e enteados e dar algumas dicas para que ambas as partes tenham uma boa convivência!

 

 

madrasta2

 

 

Segundo o IBGE, a cada ano, cerca de 340.000 casais se divorciam no Brasil, o que faz com que novos relacionamentos se formem e a relação entre madrastas e enteados seja cada vez mais comum. Este relacionamento é um dos mais complexos, pois as crianças já vêm “prontas”, muitas vezes com uma educação diferente daquela que as madrastas idealizam, daí vem o desepero de não saber lidar com essa situação e isso causar um mau relacionamento com as pessoas que seu marido mais ama.

 

Meus pais são separados desde que tenho aproximadamente 2 anos de idade. E eles resolveram se casar novamente quando eu tinha 9 anos. Posso dizer que tenho uma relação incrível com minha madrasta! Hoje, a considero uma amiga e uma aliada! Por isso, tentarei ajudar as mulheres que estão nessa situação, mostrando o lado dos enteados!

 

 

madrasta1

 

 

Vamos às dicas:

 

1) Não transforme essa relação em uma competição!

Essa é uma falha muito comum das madrastas e dos enteados! A relação do marido com os filhos é completamente diferente da sua relação com ele. Esta competição é iniciada, na maioria das vezes, pela briga da atenção do marido, o que, aliás, é motivo de frequentes queixas em terapia, segundo a psicanalista Dra. Rita Flórido. Nesses casos, também é importante a intervenção do pai, delimitando claramente o lugar e papel que cada um tem na nova família.

 

 

2) Respeite as diferenças!

A madrasta precisa entender que os filhos do marido não são seus filhos. Portanto, ela não tem que educá-los, mas apenas administrar a relação. Eles já vieram “prontos” para ela – isso quer dizer que têm outras vivências, experiências, costumes etc. Não tente mudar isso e jamais desautorize as regras passadas pela mãe das crianças!

 

 

3) Controle seu temperamento e não caia nas provocações dos enteados!

Gentileza é algo sempre bem-vindo e não pode faltar. Nada de agressões gratuitas, menos ainda de jogar a própria raiva em cima deles. Controlem-se, madrastas! O melhor mesmo é sempre procurar se lembrar de que o final de semana vai acabar e logo as coisas voltarão a ser como eram antes.

 

É natural que as crianças sintam ciúmes e, por esse motivo, agridam a madrasta verbalmente. Prepare-se para ouvir algumas vezes algo como: “Você não é minha mãe!”, ou até mesmo “Só obedeço aos meus pais”, e por aí vai… Mas é muito importante que você se contenha e tente entender que essas atitudes são naturais e vão melhorar conforme avança o tempo, quando a fase de adaptação dessa situação já estiver digerida!

 

 

4) JAMAIS fale mal da mãe dos seus enteados!

Muitas vezes a complicação surge por ciúme da mãe das crianças, o que pode voltar você contra seus enteados! Jamais, em hipótese alguma, fale mal da mãe das criancas para eles. E, se possível, evite falar dela para seu marido também. A melhor atitude é que ambas tenham uma boa relação. Se tiver abertura (e com a autorização prévia do seu marido), tenha uma boa conversa com ela, deixando claro que você não quer tomar o seu lugar e quer ser uma ótima pessoa para os filhos dela! Dê seu telefone, caso ela queira ligar quando os filhos estiverem na casa do pai. Se essa boa relação for possível, você com certeza terá 90% da aceitação dos seus enteados!

 

 

5) Incentive uma aproximação entre o pai e as crianças!

Como eu já disse, as madrastas não têm, necessariamente, a responsabilidade de educar, a não ser, e ainda esporadicamente, que o pai seja viúvo. Caso contrário, essa atribuição só diz respeito ao pai e a mãe das crianças. Por isso, o pai precisa estar mais presente na vida dos filhos. E a madrasta, como “amiga deles”, pode tentar aproximá-los. Isso fará com que ganhe uma admiração maior do pai e dos filhos!

 

 

6) Seja agradável, sempre!

Não tem nada mais chato do que você ir passar o final de semana na casa do seu pai e encontrar uma mulher com quem você ainda não tem intimidade e ela ainda ser desagradável com você! Se a criança disser para o pai que gostaria, por exemplo, de ir ao shopping, compre a ideia! Defenda os filhos para o pai, para que eles consigam vê-la como uma aliada e não como uma rival!

 

 

7) Cuide da criança você também!

Você é mãe também? Se for, sabe do que estou falando. Se não, saiba que as crianças precisam de cuidados que nem sempre os pais sabem ou têm facilidade de fazer. Faça penteados na sua enteada, se ela quiser, ajude-a a escolher a roupa, preocupe-se com a alimentação dos pequenos; se sabe que eles gostam de tal coisa, compre antes da chegada deles; ajude seu marido a preparar um quarto agradável e adequado para eles. Todos esses gestos farão as crianças sentirem confiança em você e ajudará muito na construção dessa relação.

 

 

8) Dê espaço para os filhos ficarem com seu pai!

Como normalmente a guarda é dada para a mãe, os filhos acabam não vendo o pai tanto quanto gostariam. Assim, quando chegar o final de semana das crianças irem para a casa dele, saia por algumas horas sozinha e permita que seu marido fique apenas com os filhos. A relação com o pai é MUITO importante para as crianças e, muitas vezes, eles querem fazer confidências, pedir conselhos, ou apenas serem eles mesmos sem ter que se preocupar com uma terceira pessoa. É fundamental você dar este espaço para ambas as partes!

 

 

9) Saiba entender os gastos que o pai tem com os filhos!

Uma boa madrasta também deve levar em conta a questão financeira: nada de fazer economia para os filhos dele só para sobrar mais para você! Isso pode sair muito mais caro no futuro. Claro que cada caso é um caso, mas generosidade nunca matou ninguém – e vai continuar não matando. Deixe que o seu marido gaste o que quiser com os filhos dele! Afinal, principalmente quando o dinheiro é dele, não se pode perder de vista que cada um deve ter o direito de usar os seus recursos como quiser. Isso vai evitar muito atrito.

 

 

10) O lado bom de ser madrasta!

Os desenhos da Cinderela e da Branca de Neve (Disney) fizeram todos nós termos uma má impressão das madrastas. Mas vou contar uma coisa para vocês: é muito legal ter uma “boadrasta”! Não é tão difícil assim ter uma convivência gostosa com os filhos da pessoa que você mais ama, seu marido! É claro que todo relacionamento é construído, não espere que da noite para o dia você comece a amar seus enteados e vice-versa. Você é a adulta da situação, portanto, cabe a você construir essa relação, tijolo a tijolo! Sinta carinho por essas crianças, afinal, você escolheu se casar com um homem que já tinha filhos, mas elas não tiveram escolha, foram obrigadas a conviver com você. Dedique um pouquinho do seu tempo para eles e torne essa relação leve! Tenho certeza de que você criará uma relação deliciosa e receberá muito amor em troca!

 

 

madrasta5

 

Fontes: G1 / Vila Mulher / Rita Flórido / Família.com.br / Conversas ao meio-dia

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

237 Comentários:10 dicas para assumir o papel de madrasta e melhorar a relação com os enteados!
  1. Li

    Este texto só fala mesmo do ponto de vista de um enteado que quer uma madrasta perfeita. Que nunca perca a paciência. Eu sou madrasta e me dou mto bem com meu enteado. Eu o amo como se fosse meu filho. Mas tenho muitas dificildades com a mãe dele e com familiares do meu namorado. A mãe dele fala que eu sou uma bruxa, alguém falou pra ele que eu sou madrasta e como ele tem apenas 3 anos ficou confuso achando que eu era ruim pq toda madrasta de desenho é ruim. Então o texto só diz o quanto a madrasta tem que ser santa esquecendo da parte das outras pessoas inclusive o pai das crianças que além de dar limite para os filhos e ex mulher não desrespeitarem a madrasta muitas vezes tem remorso da separação, aceitando tudo que a criança fala e dando tudo que ela quer. Isso não é ser generoso, é tentativa de compensar. E prejudica a educação da criança.
    Para uma relação dar certo e ser construída não depende só de um, mas de todos. Este texto exige demais da madrasta, esquecendo que ela é tambem humana.

    • Dora Miranda

      Oi Li, entendo-a perfeitamente, pois infelizmente, seu caso também é comum … Mas, lembre-se: Para tudo existe alguma saída, muitas vezes, difícil de encontrar, mas não para os bem determinados! Sempre que tiver oportunidade de encontrar esta criança, minha dica é que ignore tudo, inclusive os pais dela e o que antes já aconteceu. Apenas brinque de esconder seu rosto e de reapresentá-lo com um grande sorriso e só. Repita isto por 3 ou mais vezes em cada começo de reencontro, até que ele também sorria para você, pois é aí, que conseguirá criar o seu vínculo mais precioso com qualquer criança: Através de sinceros, independentes e pequenos gestos que os façam sorrir. A princípio é isto: Fale o mínimo possível, esqueça o que aconteceu até o momento, ignore os pais, sorria e crie situações para que a criança sorria com você, crie um vínculo independente de tudo e de todos, como se houvesse um mundo particular só seu e da criança. Bem, esta é a minha dica, espero realmente poder ter lhe ajudado e já estarei torcendo muito aqui, para que tudo dê certo*

      • Renata

        Oi Dora!!! Adorei sua dica!!! Muito obrigada por compartilhar conosco!!!! Mil Bjsss

        • Anónimo

          As minhas enteadas são adolescentes. Bem, a mais velha nem é filha do meu namorado, ele apenas lhe deu nome e gasto. O ponto é que não me sinto muito confortável às vezes porque quando elas cá vêm a casa quase não abrem a boca, o meu namorado também não e eu desgasto-me de estar a falar só eu. Concordo perfeitamente com a ideia de que a madrasta também é humana e tal como os filhos do companheiro, ela não tem culpa do lugar em que está. Ninguém escolhe apaixonar-se…

      • Larissa

        Oi Li. Concordo plenamente com vc. Só quem sabe é quem passa. Tento fazer a minha parte, mas será que os pais estão fazendo a parte deles? Ou será que a madrasta tem que vestir-se de mulher maravilha e ser a perfeita, ignorando os outros sujeitos da relação? Legal sua colocação! 🙂

        • dani

          Vivo ssituação semelhantes, meu companheiro tem 3 filhos do primeiro casamento, o mais velho vai completar 16 anos, nunca me dei bem com a mãe deles e não faco questão,porque ela ainda gosta do meu companheiro.
          Meu maior problema sao finais de semana e periodo de ferias, que os filhos nao fazem questao de ficar na minha casa,mas os pais praticamente obrigam, fazendo da minha vida um transtorno total.
          Somos de uma educação muito diferente,e hoje tenho um filho de 6 anos com o meu companheiro.E nao quero que meu filho temha as maneiras e costumes dos irmaos.

          • G

            Dani,
            A minha situação é um pouco parecida com a sua, meu companheiro também tem três filhos do primeiro casamento e eu ainda não tive coragem de ter um filho em virtude disso. Eles também tem uma educação complicada, moram em um bairro perigoso e fico louca quando meu esposo pede para eles passarem um tempo em nossa casa, até por que meu esposo trabalha muito e não pode dar a atenção que eles necessitam e eu não me sito na responsabilidade de estar cuidando deles sozinha.
            É muito complicado!

    • Rose

      Nossa tbm to na mesma situação

    • karen

      Concordo com a Li, o texto fala como se madrasta fosse do mal, mas na pratica conviver com criancas que são envenenadas pela mãe, avos, torna os momentos com a madrasta uma verdadeira tortura, vivo isso na minha casa, pois quando recebo enteadas em casa é só tristeza, o velho VC não é minha mãe, não manda em mim. Agora a dona da casa são elas que ditam as regras e ai de quem questionar ou reclamar de bagunça ou malcriação, o bom mesmo é cada um na sua casa. Pois madrasta vira empregada de enteado mal educado e mimado.

      • Maria

        Verdade, aqui em casa é assim! Eu só sirvo para fazer o que eles gostam! Não me respeitam e não me obedecem..(eles moram conosco). Se deixar transformam a casa num cortiço! Quando estão na libertinagem, eu presto; mas quando tento educá-los (pois passam o tempo todo comigo) e colocar regras e limites, (pq qdo chegaram pra nós, não conheciam nem regras e nem limites, fruto da má educação da mãe)aí não obedecem, não ouvem e ainda fazem pouco da gente…ofendem de forma severa, com atitudes lastimáveis para crianças. Isso mesmo, só entende que vive isso. O texto trata de um único lado, a enteada! No máximo, de uma madrasta que levou sorte de ter uma enteada respeitosa, educada e obediente. Pega dois guri mal educado e sem limites pra ver como é bom!!!!!! Eu sei dizer que estou cansada, exausta, a beira de um ataque de nervos, e eles não estão nem aí com isso!

        • Mary

          Maria, estou na mesma, parece que esta contando minha historia, hoje tem apenas um enteado que mora comigo, mais parece que é 10, estou pegando raiva desse menino, ele mora comigo desde os 4 anos, hoje ele tem 12, e tem uns 3 anos que estou enfrentando serio problema com ele e o pior que o pai ainda acha que estou errada, socorroooo…

      • leidiane

        concordo. é uma relação que quase sempre não da certo, principalmente se o enteado tem uma mãe carniça… estou quase para me separar pq não aguento mais viver pagando pelo um preço que não foi eu quem cometi.

      • dani

        Adorei seu comentario e concordo plenamente.
        Cada um na sua casa e o pai tem que visita-lo e fazer ele a parte de pai e nao a madastra.

    • Paula

      Concordo com vc em tudo o que disse, pois já passei por isso e meu casamento acabou porque não tive o apoio das outras pessoas. No meu caso, eu tinha que fazer sim o papel de mãe, porque a mãe do meu enteado já havia falecido. Eu colocava regras e essas regras causaram muitos conflitos com os familiares. Porém eram regras para o bem da criança, por exemplo, o refrigerante que já estava desgastando os dentes da criança eu comecei a controlar, mas a família achava isso um absurdo, porque coitadinho, já não tinha mãe e, coitadinho, ainda tirar o refrigerante… (Detalhe: não fui tão radical, pois ele podia beber uma vez na semana, além de Tb poder beber nas festas, que eram muitas)

      • andréia

        Estou na mesma situação que a Paula, pois vou me casar e o filho do meu noivo não tem mãe pois ela faleceu há 2 anos. E é muito dificil lidar por que a ele é um menino bem agitado cheio de energia e advindo de varias manias. Tento educar pois o pai dele não tem tempo para cuidar porque trabalha demais.Então faço de tudo para tentar mudar ele porque ele tem varias manias como: não escova os dentes,deixa as coias e roupas espalhadas pela casa toda, pra tomar banho precisa toda hora mandar, só gosta de comer chocolates, não come verduras e nem frutas…etc .Então convivendo com uma situação dessa e vendo que a educação alimentar e fisica está errada , tento o maximo ajudar a criança a ensinar a fazer as coisas certas, porque ele ja tem 9 anos já ta ficando rapaz, mais um menino muito independente de tudo pois sempre pede o pai pra fazer as coias pra ele . Preciso de ajuda conselhos porque a situação é dificil pra mim ainda mais que ele não tem a mãe , não sei lidar com certas situações pois nem sempre podemos fazer muita coisa porque não é filho da gente e não temos autoridade como os pais verdadeiros..

      • elo

        Verdade viu, pior de vc criar um enteado ou enteada, e ter q lidar com a intromissão da familia do marido, colocando sempre q nao somos as maes para corrigir, brigar etc. Sofro muito com isso, pq minha enteada hj com 11 anos, mimada pela vo, ja fez varios infernos dizendo q quer ir morar com a vó. Pq nao posso brigar, chamar atencao, corrigir etc. Dificil viu.

    • Ana Paula

      concordo totalmente com vc

    • Lana

      Perfeito Li. Texto bem parcial o do blog.

    • Aline

      Oi… realmente é mito lindo isso, e eu particularmente venho feito tudo isso, mas de um tempo pra cá as coisas não ficaram boas como antes. Eu conheci meu marido quando a filha dele tinha apenas 6 meses, e desde então estamos juntos (hoje casados),e hoje ela tem 5 anos (faz 6 em março), e a relação com a mãe era até boa,eramos amigos nós 3, mas de um ano pra cá piorou depois que ela começou a namorar um homem q chegou achando que mandava na situação(com quem hj ela é casada) e começaram a insultar meu marido por mensagens de texto, daí partiram brigas e discussões e a nossa paz acabou…. Sei q a criança é a vitima de tudo, mas meu coração se fechou muito depois de tudo isso e não consigo parar de sentir raiva da mãe dela por tamanha falta de consideração, até porque ele sempre foi um ótimo pai, e todos TODOS os finais de semana ela está com a gente, e por esse motivo sou bem envolvida, só que a educação que a mãe dá não concordo e sofro com isso também pois vi ela crescer, andar, falar… só não gerei mas fiz tudo que uma mãe faz, e hj estou com esse sentimento ruim dentro de mim, pois se tornou insuportável ouvir o nome da mãe da menina. E isso está refletindo em mim como pessoa, na minha relação com a criança e no meu casamento.

      • ANA

        CONCORDO

    • Sandra Cristina Franco Canhetti

      Perfeito

  2. Dora Miranda

    Querem mais uma dica de quem teve madrasta: Não seja a madrasta, seja uma amiga mais velha, com quem os filhos de seu marido sintam que podem contar. Não imponha nada, apenas respeite o espaço e o tempo deles lhe observarem e só deixe claro, desde o primeiro contato, que não abrirá mão do respeito mútuo! Tente lembrar de como se sentia na idade desses filhos e, de como se sentiria se estivesse no lugar deles. Responda a si mesmo: – Se eu tivesse que, obrigatoriamente, conviver com uma nova mulher na vida, na casa do meu pai, como eu iria preferir que ela fosse ? O resto, para que tudo fique bem, o tempo se incumbirá. Lembrando sempre, que todos somos diferentes e que cada um tem o seu tempo. Bondade no coração, paciência, calma e naturalidade nas atitudes, também sempre serão bem vindas. Fácil não é, mas sempre é possível para mulheres de bom caráter, nobres objetivos e que amem, completamente, os seus companheiros* 😉

    • Renatta Limma

      Amei Dora,

      meu problema é que eu nasci a “super mãe” que cuida, brinca, faz rir, se preocupa e educa… Tenho uma dificuldade absurda em ver criança mimada e respondona. Meu futuro marido tem uma filha de 7 anos e eu um menino de 11 anos, ele (o marido) é aquele da turma do deixa disso, sem crise e sem problemas, deixa ela fazer e escolher tudo, isso me mata de raiva!! Não sei como será conviver com ela mesmo aos fins de semana, sendo a doninha do mundo.

    • clara

      oi meu caso e que a mae da minha enteada e toda a damilha dela mim odeiam. entao nao querem que eu conviva com ela, o que eu faco??

  3. Sheila

    Tenho um enteado desde os seus 5 anos, hoje está com 16 e à completar 17 em junho……minha história é muita mais complexa….mas nossa relação foi sempre maravilhosa, desenvolvemos um carinho mútuo e de respeito…..a convivência com a mãe e a família da mesma não foi e não é possível até porque já nos conhecíamos……minha preocupação foi sempre focada no meu enteado…tudo que planejamos e desfrutamos foi com ele e para ele…..há 2 anos pai e filho se desentenderam por divergências da “guarda” para não mais se falarem……nada que eu faça ou escreva muda o seu silêncio….apesar de sentir a sua ausência e não entender os motivos, aprendi que há filhos que nascem do ventre e mesmo respeitando o lugar da mãe, às suas necessidades, há filhos que nascem no coração…….assim é a minha história….como MADRASTA (“dos desenhos”…rsrssrsrs) eu deveria estar feliz pela ausência, não há mais convivência, não deveria haver preocupações, não há necessidade de qualquer situação constrangedora…..mas sinto que ter um amor à distância, um filho do coração que não podemos ver faz com que reflitamos melhor nossos caminhos, nossa família, nossas escolhas……pedimos proteção à Deus a cada dia para acompanhá-lo à escolher em ser feliz……razão cada um sempre terá a sua….continuo acreditando na força do texto de quem planta colhe…….espero colher os frutos de tudo que está gravado em nossas vidas…….vivemos uma relação de muitas alegrias e brincadeiras….fiz por ele mais do que hoje faço pelo meu filho……e com eles aprendi a respeitar as escolhas e contribuir apenas com as coisas que somam. Não desisto…..permaneço escrevendo e dizendo o quanto lhe amo e espero o dia em que a vida nos colocará frente à frente…….o dia que estaremos preparados….para nos tornarmos seres melhores! Obrigada pelo texto…..espero ter acrescentado um pouquinho nesta experiência.

    • Renata

      Oi Sheila! Que emocionante Sheila, muito legal você considerar seu enteado desta forma! Obrigada também por dividir conosco sua experiência. Lute por ele! Mil Bjs

      • kelly menezes, Quaraí rio grande do sul

        boa tarde, li todas as dicas e comentários das madrastas
        pois bem tenho uma historia bem complicada, tenho apenas 21 anos de idade e meu marido 30, ele tem 3 filhos (13,7,2)e cada filho de mulher diferente. estamos juntos a 2 anos e poucos meses. e ha 9 estamos morando juntos, não tenho o que reclamar do companheiro que tenho, agradeço a Deus pelo homem que ele é comigo, quando decidimos nos casar ele me fez uma proposta de cuidarmos da filha mais velha, já que a mãe não foi boa mãe, e ele nunca foi presente na vida dela, apesar de ter morado um tempo com a mãe e a avo, depois disso ela sempre morou com outras pessoas como: a madrinha, e mãe do pai(sua vó)…
        pois bem, eu aceitei sem a conhecer, vinhemos pra uma cidade bastante distante do nordeste que é onde ambos tem sua família, ele é militar e veio transferido pra cá e nossa vivência começou aqui.
        desde o inicio, quando nós conhecemos foi difícil, era muito ciumes
        eu queria esta sempre com ele por que me apeguei assim, pois antes era só nós dois e dividi-lo ficou impossível
        ela também porque não tinha muita convivência com ele, só o via quando ele ia visitar que não era sempre. mas mesmo assim com este conflito vinhemos todos juntos.
        confesso que no inicio não foi nada fácil, pois ambos os ciumes nos afastava, meu marido sempre conversava e tudo mais, as crises diminuirão por um tempo, e hoje com quase um ano de vivencia estamos sem nos falar, sei que é uma situação bem difícil para ele, mas pra mim também é, ela já tem 13 anos de idade mas não parece, tem atitudes de uma mulher adulta coisa que muito me incomoda e me faz ter tantos ciumes, ela já não tem mais ciumes de mim com o pai, deu uma mudada, mas é muito carente e mimada, eu queria muito que ela fosse uma boa adolescente e por isso existe tantos conflitos, queria que fosse minha amiga, me ajudasse na casa, fizesse as coisas bem feita, porque eu sou doente por limpeza e arrumação , e essas coisas me estressa muito.
        antes quando estávamos bem era muito bom, quando o pai estava de serviço ela dormia comigo, me abraçava, sempre foi bem educada ao sair da escola e ao chegar e até mesmo quando ia dormir, me dava sempre um beijo e um abraço muitas vezes apertado, quando eu ficava chateada por algo ela sempre vinha e me pedia desculpas, reconhecia seus erros, o lado bom é que nunca lhe desrespeitei nem ela a mim, porem nossa ultima conversa foi mas seria, sentamos os três e eu falei das coisas eradas que ela faz na casa que me aborrece, ela se defendeu, e o pai me deu razão, mas também deu suas ordens, porém sei que ela tem uma educação diferente da minha, que não é tão organizada como eu sou, mas essa foi a pior discussão que tivemos, já pensei diversas vezes em ir embora e esquecer esse amor, pois sei que meu papel de mulher é esse aceitar, ou não. sei que ele fica muito confuso pois ama a filha e quer lhe ajudar num futuro melhor e queria muito que nossa família fosse completamente feliz, e ele acredita nisso. eu sinto falta dela não ao vou negar, e se eu pudesse mudar alguns comportamentos dela eu mudaria, mas ela já tá bem grandinha e já tem sua própria personalidade e já veio educada de outra forma que não se adequada a minha, e minha grande dificuldade é aceitar isso, e principalmente o maior problema é o meu ciume doentio da filha, que para mim é o pior problema que enfrento hoje e corro um serio risco de perde-lo por isso, já que fui eu mesma que aceitei e hoje estou mudando de ideia
        conviver é bem difícil de vê-los só nos finais de semana, é uma tarefa árdua e difícil e se não tem paz fica impossível ter felicidade no lar. (ah não tenho problemas com a mãe, nem algo do tipo, com isso não tenho com que me preocupar, até porque a mãe no caso sou eu )
        só queria que tudo isso acabasse pois esta afetando o meu relacionamento!

        poderia me ajudar RE?abç

        • Dayane Monteiro Antunes de Avila

          Oi Kelly estou passando a mesmo coisa que vc,estou noiva prestes há se casar daqui 4 meses meu noivo tem uma filha de 11 anos, e eu tenho um alinda menina de 3 anos,estou com ele 1 ano e 8 meses, mas a filha dele não gota nem de mim e nem da minha filha e isso é muito difícil, pois ele sempre defende, ela me fez vários desaforos mais ele nunca vê nunca me entende e sempre defende ela,estamos quase terminando tudo,eu tenho 30 anos ele tem 33 eu quero me casar pra ser feliz,mais parece que isso não vai acontecer..nao oq fazeer..abraços

        • MARINA

          ola KELLI

          MINHA HISTORIA E QUASE IGUAL A SUA

          JA ESTOU COM MEU NAMORADO A 8 ANOS , ELE TEM UMA FILHA DE 16 ANOS ELE RECONHECEU A PATERNIDADE DELA A POUCO MAIS DE 1 ANO , POIS A MAE DELA FALECEU E SO DEPOIS DE MUITO TEMPO QUE ELA VEIO PROCURA-LO, UMA MENINA MUITO BONITA QUASE UMA MULHER , QUANDO ELE ME FALOU E A LEVOU PRA EU CONHECE-LA TIVE UM CHOQUE .
          ELA GOSTOU MUITO DE MIM . NA INTENÇÃO DE AGRADAR ELE TAMBEM GOSTEI MUITO DELA .ELA VEIO MORAR COMIGO,GRAÇAS A DEUS ELA NAO E PREGUIÇOSA SABE FAZER DE TUDO E ME AJUDA COM LIMPESA DE CASA.

          O UNICO PROBLEMA E O CIUME ,
          ELA TEM CIUMES DELE COMIGO, PRINCIPALMENTE SE ELE SENTAR NO SOFA E EU CHEGAR E SENTAR ELA FICA DE CARA FEIA . SAI DA SALA E VAI PRO QUARTO, SO QUE QUE ELE FICA ABRACANDO DANDO ATENÇAO PRA ELA , AI FICA TUDO BEM, E ISSO ME DEIXA NERVOSA,BOA ELA FAZ ISSO SO PRA ELE IR ATRAS E AGRADAR. EU TINHA UMA VIDA MUITO BOA COM ELE ERA SO
          NOIS DOIS , INFELISMENTE SE GOSTO DELE TENHO QUE SUPORTAR ISSO. TA DIFICIL DE AGUENTA

    • vilma

      DEUS te der forcas e sabedoria pra resolver da melhor forma essa situacao posso imaginar sua dor pois crio meu enteado des de um anininho ele va fazer 7 anos tenho um relacionamento praticamente de mae e e filho pois q mae deixou muito a desejar entao ate aos 5 anos ele praticamente morou comigo pra ela e o pai saber oq ele tinha em questao de saude tinha que me peguntar o trabalhva muito e a mae nem aos fins de semana tinha tempo pra ele e crianca nessa idade dar trabalho quem e mae sabe como e, ela sempre envenenadora e muito servera em seus insultos para COMIGO mas passei por tudo em amor a ele que nao teve culpa e fui me apaixonando cada vez mais pq eu pensava que alguem deveria poupa lo de um mundo que ele no seu tempo tera que enfrentar mas temo isto porque praticamente mae nao e mae apesar de todo cuidado e carinho as vezes serem ate maior se eu e ele nao nos falarmos mas por algum desentendimento eu perderia uma parte de mim pois sao anos de dedicacao… mas acho que com a maturidade seu enteado vai voltar a procura la cedo ou tarde suas sementes estao com ele e nao tem como apagar

  4. Stéphanie

    Tenho uma enteada de apenas 4 aninhos. Sou muito ligada a ela e graças a Deus sinto que ela também a mim. No começo foi bem difícil, ela mal falava comigo, mas sem ler seu texto, segui algumas coisas que estão escritas ali. Fui com calma, com carinho, com jeitinho e finalmente consegui. Hoje em dia quando ligo para a mãe dela, ouço os gritos no fundo dela pedindo para falar comigo, me pede para buscá-la…enche meu peito de alegria ver que essa criança que aprendi a amar, demostrando afeto por mim. Sou uma Boadrasta, essa história que madrastra é ruim com certeza não se aplica na vida real, pelo menos na minha vida. Meu conselho é que as mãedrastas sigam o seu coração, dê chance de conhecer esse pequenino(a), tente ser agradável, ponha-se no lugar deste ser. Hoje em dia sou até mais feliz, antes só de saber que meu namorado iria na casa da mãe da menina já ficava com meu coração apertado, hoje em dia, eu vou mais que ele. Rs É isso pessoal, espero ter ajudado. Adorei o Texto Dora.

    • Renata

      Oi Stéphanie! Adorei sua história! Super incentivadora e feliz! Muito obrigada por compartilhar com a gente! Mil Bjss e parabéns!

    • Renatta Limma

      quero muito chegar neste nivel Stephanie!

  5. Ariane Silva

    Desculpe, mas não consigo concordar com vários pontos desse textos. Quando você diz: “Lembre-se que o final de semana vai acabar e logo as coisas voltarão a ser como antes”. Ser uma madrasta (ou boadrasta, como vc diz no texto) não se resume a ser uma pessoa agradável somente aos finais de semana. Enteados fazem parte da sua família e estão sujeitos a qualquer tipi de decisão que os adultos venham a tomar. Vida escolar, uma doença, um novo desafio que eles venham a enfrentar podem acontecer a qualquer momento. Amar e respeitar não somente quando estão presentes.

    • Juliana

      Seu ponto de vista é muito importante, Ariane. Ideal seria se todas as madrastas pensassem assim, mas infelizmente não é o que acontece. Obrigada por participar de blog!
      Bjs

  6. Angela

    De esse conselho a madrasta dos meus filhos, pois ela agrediu com palmadas, ate no pinto dele ela bateu, e ainda falou que não quer meus filhos lá, ele tem apenas 2 anos e oito meses, e a minha filha de 15 anos ela já convenceu o pai a não leva-lo para sua casa. exigiu, e ele concordou. Sempre pedi que meus filhos tivesse educação e nunca respondesse ela e sempre fizesse tudo que ela pedisse. Sempre falei que Deus sabe todas as coisas e saberá a hora certa de agir. Pois se a lei dos homens é falho a de deus não.

  7. Renata

    Muito bonito o texto. Mas esse texto, cabe qndo temos uma ex mulher normal, que automaticamente não fará dos seus filhos manipuladores. Normalmente não é isso o que acontece. Temos ex mulheres frustadas, que jogam todas as frustrações em cima dos filhos, fazendo joguetes e coisas do tipo. Minando o relacionamento da madrasta. Eu sou madrasta hj meus enteados são adultos, mas nunca me envolvi em nada. As vezes minha casa parecia que tinha passado um furacão, olhava para o lado e fingia que não via. Hoje meu filho, irmão por parte de pai tem 10 anos, e não os considera como irmão; Infelizmente o relacionamento foi sempre cheio de mentiras, intrigas, e sujeira. Acho muito bacana qndo a ex mulher consegue ter uma postura madura, e não entra achando que fazendo assim ( jogando os filhos, contra a gente, irão ganhar alguma coisa), muito pelo contrário, faz mal apenas para as próprias crianças. Mas enfim… Cada um com sua história,. A minha sobre madrasta, não é uma das piores, só não é nenhum conto de fadas. Os filhos do meu marido, são filhos do meu marido apenas. Trato-os bem qndo vem na nossa casa, mas faltou algo no meio do caminho, que se perdeu. E hj após 14 anos não se recupera mais.

    • Dani

      Sou madrasta há 3 anos e concordo muito com sua opinião Renata! Triste quando a parte que deveria ter mais interesse no bem estar da criança, quer mais é ver intrigas por orgulho. Cabe a nós, mantermos o controle emocional dessas questões, que não são nada fáceis!

      • RAQUEL

        Nossa, eu sou casada a 2 anos, tenho uma enteada de 5. O começo foi muito tranquilo, ela era muito bebê quando nos conhecemos e isso facilitou. Mas o tempo foi passando e está piorando. Meu marido quer compensar a ausência fazendo todas as vontades, ela é mimada e mal educada pela mãe, tem péssimos hábitos que eu desaprovo mas fico quieta pois sei meu lugar, e é desobediente e jamais posso nem levantar a voz pois como toda madrasta já carregamos o stigma de MÁ e todos ficam na defensiva. A mãe dela nos odeia e faz de tudo para colocar a menina contra eu e o pai dela.

        Discordo com você em relação a deixar o pai gastar o que quiser com os filhos, pai tem obrigação de pagar as necessidades básicas e não sair esbanjando e deixando as contas de casa nas costas da mulher. Tem que haver um equilíbrio e não é bem como você falou.

        Sou uma enteada e respeito muito a vida que meu pai leva com a atual mulher (que não me aceita por ciúmes). Querendo ou não, ela convive com ele todos os dias e segura as barras dele em todos os momentos. Hoje tenho outra visão pois estou do outro lado da história.

        Fato é, ser madrasta implica em carregar o passado do marido e as consequências de tudo isso. Hoje tenho pavor de ter filhos pois não quero um filho igual minha enteada. Isso que ela só tem 5 anos, ou seja, só piora.

        • Raquel Silva

          Cara xará, concordo com você! Tenho uma enteada de 8 anos, que a conhecí quando tinha 5, nossa relação é horrível porquê a mãe dela tem uma forte influência negativa sobre ela. Está sempre minando nosso convívio, sempre colocando algum defeito em coisas que não dizem respeito a ela. Com isso deixa a menina insegura e muito mal educada, sem limites pra fazer e dizer o que quiser. Isso é muito estressante e tem horas que dá vontade de ir embora, apenas pelo motivo que meu marido fica em cima do muro e não reprende a menina.

        • Larissa

          Raquel minha história também é bem parecida com a sua (e de muitas outras que estou lendo aqui). Sou casada ha 5 anos e meu enteado tem 6 anos. A mãe dele explicitamente o joga contra nós. Ele é um menino quietinho, mas muito ciumento, inseguro, mimado, mal educado. Claramente a mãe tenta nos atingir atraves dele. Até pensei em traze-lo para morar conosco, mas depois que passou uma semana inteira comigo percebi que não ia dar certo. Sinto que minha casa está sendo invadida. Durante o final de semana, posso dizer que temos uma relação amistosa, faço e fiz de tudo pra dar certo e de certa forma dá, só que as pessoas colocam agente (madrastas) como se tivessemos que aceitar absolutamente tudo porque somos madrastas. (me entendem?) acho que por mais que agente faça, sempre seremos madrasta. Por mais amistosa seja a relação, sempre há um desconforto. É muito dificil. Acho que só quem é madrasta sabe o que é. Ah e o pai, sempre se sente o culpado e por isso acaba ficando nas “mãos” das vontades da criança.

        • Cristina

          Me identifiquei com sua história. há 3 sou casada e tenho uma enteada de 4 aninhos. Tenho um filho de 7 anos do primeiro casamento. Quando minha enteada vem passar o fim de semana em casa tudo vira um inferno, temos nossa rotina, mas a menina não segue, não deixa meu filho dormir direito, é birrenta e mal educada. Eu nunca falo nada, mas não suporto. Meu casamento esta acabando por causa disso. Para ajudar, minha sogra não esconde em nada a preferencia pela ex dele inclusive me distrata as vezes. Me deem o parecer de vocês antes que eu enlouqueça…

        • Cristiane

          Olá Raquel, me identifiquei com sua história, tenho uma enteada de 5 anos tbm, ela é super mimada o pai da tudo o que ela quer para compensar a separação e a recente morte dos avós paternos, ela é uma criança mimada, autoritária e gosta de aparecer todos tem que ficar o tempo todo prestando atenção nas gracinhas dela senão ela emburra, e o pai acha isso lindo, e eu nunca posso falar nada, fico como a ruim da história, até meus pais saem na defensiva dela, pq é uma coitadinha de uma criança de 5 anos, mas minguem ve que essa coitadinha vai crescer e se tornar uma adolescente problema e quem vai aguentar o tranco sou eu, a parte financeira é outro problema, a mãe dela não gasta um centavo com a filha, tudo tem que ser o pai, a menina fica todos os finais de semana com a gente, levamos em todas as viagens e festas que vamos, e agora que estamos a mais de um ano de namoro ele quer casar, mas eu fico na duvida se a intenção é ter alguem p ajudar com a filha ou quer uma esposa mesmo, pq ele sempre diz q depois do casamento vai levar ela p morar com a gente. é uma situação dificil Raquel, estou prestes a desistir dele por isso!

          • Joao

            O que está ruim pode ficar pior e isso será pro resto de sua vida ou pelo menos enquanto estiver com ele, e pior do que está fica.
            Na minha opinião você deveria procurar uma outra pessoa pra você, se não está feliz sai fora dessa.
            Se você não tem filhos, procure quem também não tem, do contrário vc vai ter que dividir sentimentos, atenção, etc com uma pessoa que não é sua filha e nunca vai lhe considerar como mãe.

  8. Ana

    É bem fácil de seguir as orientações do texto quando o enteado vem pra sua casa só de 15 em 15 dias por 1 final de semana. Tenho enteado de 12 anos que mora na minha casa, é impossível não me meter na educação dele, até pq eu e mu marido tivemos um filho que não quero que seja mal educado como meu enteado é. É muito difícil a convivência com um filho do casamento anterior que nem pai nem mãe queiram a responsabilidade de educar e a madrasta ter que assistir essa criança fazer e acontecer dentro da sua casa. E pior ainda, quando a madrasta tenta ensinar o certo para essa criança, aparece até parene desaparecido dessa criança para recriminar a madrasta.

    • JF

      estou passando pela mesma coisa…é dificil

      • [email protected]_ AQUARIANA

        TENHO DOIS ENTEADOS UM DE 8 E UM DE 11. MS SAO MUITOS MIMADOS TANTO PELO PAI KANTO PELA MAE. E MEU MARIDO NAO FZ ND P EDUCA-LOS. SOU CASADA A 3 ANOS JA SEPARAMOS POR CONTA DELES PQ O PAI NAO SABE EDUCAR SO KER SABER DE FAZER OS GOSTOS DOS FILHOS. NAO TENHO CIUMES. E NAO SOU A MADRASTRA RUIM SO KERO Q TENHAM BOA EDUCAÇAO P KE NA FRENTE NIMGUEM OS ENSINE. PQ A BOA EDUCAÇAO VEM DENTRO DE CASA. E MEU MARIDO NAO ESTA DANDO. ELE FAZ TUDO O Q OS MENINOS KEREM, E AINDA NAO DEIXA EU CORRIGIR. NEM TODA MADRASTRA É RUIM COMO A MAIORIA PENSAM. PQ SE NAO EDUCAR DESDE PEQUENO QUANDO CRESCER NAO CONSEGUE. TEM QUE CORTAR O MAL PELA RAIZ.

    • Nara

      Meu caso é bem semelhante ao seu,meu enteado de onze tbm mora comigo. E toda responsabilidade sobre ele é minha porque o pai passa dias fora por conta do trabalho, e a mãe pouco se importa com o que acontece com ele. Cansei de pedi apóio e ajuda dos dois. Hj hajo com ele por conta própria. trato ele como meu filho, do meu jeito q a meu filho. crio os dois iguais não faço pra um, o que não faço pelo outro. E assim vou vivendo e amando eles dois.

  9. JF

    Acho que meu caso é o mais complicado, estou casada ha 4 anos e junto com o meu marido a 7 anos. Desde que conheci ele a filha dele ficava 1 semana inteira com ele e 1 semana inteira com a mae. Sempre me dei muito bem com ela, saiamos juntas, eu agradava…ela me chamava ate de mae. A mâe dela é professora de faculdade e entao trabalha pela manha e a noite, justamente nos horarios que a filha dela estaria com ela, entao por esse motivo minha enteada acabava ficando com os avos. Como eu e meu marido achavamos errado, então ela inclusive ,a pedido da escola passou a ficar domingo, segunda,terca, quarta e quinta com agente e sexta com a mae, e alternados os finais de semana. Ou seja as responsabilidades da crianca ficaram pra mim, pois como tenho uma filha de 2 aninhos e tenho uma empresa com meu pai me dou o direito de ficar em casa de manha com elas. Bom a minha dificuldade é que mesmo eu fazendo tudo isso, colocando no banho, fazendo lição, me preocupando com o que come, como esta na escola, q horas vai durmir, a minha relação com ela esfriou. Estamos mais proximas mas ao mesmo tempo muito mais distantes. Imagino que seja pq eh dificil aceitar ordens e cobranças de uma mulher q nao eh a mae. Muitas vezes preciso brigar, pois crianca apronta e normalmente estou so eu e as meninas, se eu nao chamar a atenção nao tem ninguem que faça, emtao muitas vezes desagrado minha enteada e meu marido pq chamei a atenção. Estou em um beco sem saida, mais gostaria q a mae dela ficasse com as responsabilidades, pois depois que isso passou pra mim eu e minha enteada nao nos entendemos mais. Por mais q eu faça…esse texto mostra o lado deles, e entendo perfeitamente pois eh oq eu esperaria de uma pessoa caso eu me separasse e minha filha viesse a ter uma madrasta. O problema eh a convivencia, pois no texto mesmo fala q a maioria fica com a mae e ve o pai de vez em quando. Nao é isso que eu quero, so queria q nossa relação nao fosse afetada, se eh que isso eh possivel.

  10. Chris

    É, realmente é muito dificil nunca perder a paciência com enteados mal educados. Tenho dois, uma de 8 anos e um de 6 anos. Os conheço desde pequenos (1 e 3 anos) e meu relacionamento com eles era ótimo. Até que cerca de três meses atras as ofensas, xingamentos e mal criações começaram. Coincidentemente o relacionamento do meu marido com eles também começou a piorar, conseqüência do mal relacionamento do meu marido com a mãe das crianças. No passado a convivência até era tranquila, mas desde o fim do ano passado, deixou de existir. Ela que deveria educar, impor limites, ensinar princípios e valores, apenas da presentes caros, computadores, tablet, iphone ( a mais velha de 8 anos tem um iphone 5!!) e muitos brinquedos. Meu marido sempre se omitiu na educação das crianças mas as coisas chegaram a um ponto insustentável pois a nossa educação e a nossa maneira de vermos as coisas é muito diferente da mãe das crianças. Recentemente meu marido deu duas broncas neles por desobediência e como conseqüência as crianças não quiseram que o pai os buscasse na escola. A Mae que não ligou para saber o motivo da bronca consentiu mais esse desejo das crianças e os buscou mais cedo na escola, impedindo que o pai os pegasse, conforme, inclusive decidido judicialmente. As crianças acabam contando para a mãe somente o que eles querem. O pai deu bronca gratuitamente, eles nunca fizeram nada. A Madrasta brigou com eles, sem motivo, eles não estavam tocando o terror dentro de um avião. Recentemente a mãe disse ao meu marido que eu deveria me colocar no meu lugar imediatamente. Sempre fui a boa drasta, sempre cuidei deles como se fossem meus filhos, sou eu que organizo os passeios do final de semana, o dia dos meninos e o dia das meninas, a ida ao cinema, a manicure, as viagens de férias, dou banho, ajudo eles a escolherem roupa, escolho a alimentação das crianças. Cansei de ficar com eles enquanto o meu marido trabalhava, ouvi muitos desaforos quieta. As pessoas de uma forma geral não sabem que não são meus filhos e já passei muita vergonha com eles. Ontem, o menino de 6 começou a me ofender e pedi respeito. O pai que estava ao lado, ignorou o que estava acontecendo. Ele disse que eu não era a mae dele e não podia dar bronca. Respondi que era a mulher do pai dele e que exigia respeito. Ele queria pegar o telefone para ligar para a mãe para contar o que aconteceu, me pareceu orientado para isso. Me acabei de chorar. Virei refém de duas crianças mal educadas, sem limites, dentro da minha própria casa. Não posso exigir nem o mínimo de respeito deles que sofro ameaça psicológica, e obviamente não quero ser mais um transtorno no relacionamento do meu marido com a mãe das crianças. Entendo que o meu marido deveria se impor, a responsabilidade é dele, afinal os filhos são deles e teoricamente, a madrasta tem que ser a pessoa legal. Por mais que eu entenda que essa comportamento deles é reflexo do comportamento da mãe e da orientação dela para me atingir e atingir ao meu marido, é muito difícil abstrair e fingir que nada esta acontecendo. Sei que não é meu dever educa-los, mas muitas vezes estou sozinha com eles e não posso me omitir quando os vejo incomodando ou ofendendo outras pessoas e também não posso mais me omitir quando me ofendem ou me desobedecem, já que meu marido se omite. Infelizmente essas crianças aprenderam somente a receber, temos que fazer tudo por elas, mas não podemos exigir nada delas.

    • dani

      Nossa. vivo situação parecida em casa. fiquei comovida com sua historia

    • SU

      prezada,

      sinto muito por voce, sei bem o que é isso.
      mais como eles nao mudaram, eu decidi mudar.
      nao aceito ninguem me chamar de madrasta.
      nao me envolvo em NENHUM assunto relacionado aos filhos dele.
      quando estao em minha casa, é o pai que tem que fazer e servir as refeiçoes.
      ja Informei que so aceito que eles morem em minha casa, se a mae pagar pensao, suficiente pra pagar uma baba, pois eles sao pre adolescentes, mortos de preguiça!
      e se meu esposo tiver achando ruim, a porta da rua e a serventia da casa, sempre o faço lembrar, que se ate hoje nao tenho filhos, e porque não quero ter responsabilidade com crianças.
      não pense que sou má, mais e que ja fui muito boazinha pra esse povo, e sabe onde eu fui parar? na Delegacia, aceitei reconciliar meu casamento, por razoes que ate eu desconheço, mais hoje as coisas sao diferentes, e hoje vejo tudo com outros olhos. QUEM PARIU QUE EMBALE.

      • liza

        concordo com vc esta coberta de razao

      • Larissa

        uhuuulll é isso aí! Quem pariu que embale!!! Está coberta de razão! Agente dá a mão e elas (mães e crianças) querem logo o pé.

      • Bia

        Su.. Concordo com vc e se eu fosse vc não engravidaria. Tenho um filho com meu marido e 3 enteadas adolescentes! Mas se um dia meu casamento não der certo nunca mais quero saber de homem com filho.

        • karol

          no meu caso eles tem mãe, acontece que nunca temos um momento para nós.antes de casarmos eles sempre iam ver a mãe. agora eles não vão mais. e o mais novo, são dois disse que vai acabar com esse casamento, tem apenas 8 anos. e infelizmente está acabando mesmo.tento ser amiga mais é dificil. os filhos falam alto com o pai dele, responde e não obedecem. o que eu devo fazer.por favor me aconselhem.

      • Ivania

        Boa tarde,
        Tenho um casamento a 08 anos ,meu esposo tem duas filhas uma de 09 e 14 no que mora com a mae inicio tentei ser amiga arrumava cabelo vestia ate cuidei da menor com dengue ,mais elas tem uma mae capeta que fica ligando a cada 30 minutos ,hoje nosso relação com as filhas e muito dificil elas ficam disputando o pai e jogando contra mim ,meu marido chega perto de mim a menor chamam para tirar ele de perto de mim.
        Cheguei a pensar em separação varias vezes por estes motivos o que devo fazer?

    • [email protected]_ AQUARIANA

      TOU NUMA SITUAÇAO ASSIM TAMBEM. MEU MARIDO NAO FZ ND P MELHORAR NOSSO RELACIONAMENTO

    • Tayná

      Oi gente,boa noite.
      Eu tenho um enteado de quatro anos de idade,nossa relação é otimaaaaaaaaaaaaa !! Ele é criado pela minha sogra e meu sogro, pois meu esposo trabalha embarcado e eu estudo e trabalho e desde que meu enteado nasceu, minha sogra pegou para criar, porque a mãe dele so pensa em festas e agora que casei , ela quer tomar a criança, não sei com qual objetivo. Mais enfim, minha relação,com meu marido é tranquila, porque meu enteado no carnaval, e meu esposo não estava com ela, apenas pegou ela na festa e aconteceu, porque eles já tinham namorado durante quatro anos, mais enfim … Eu vivo uma historia graças a Deus , linda de amor, e meu enteado tem mania de dizer que eu sou a vida dele , ele me liga, manda audios pelo whatsApp … Então, existe uma ótima relação, eu faço tudo que uma mãe faz, alimentação, higienes, tudo, claro … Ele já disse uma vez , que eu não era a mãe dele , mais logo depois ele voltou para o meu colo e disse que eu era a vida dele , me liga para saber aonde estou, me conta o dia dele na escola, diz que estar com saudades … Então temos uma relação ótima. Ele já perguntou ao meu marido, quando é que vamos morar nos 3 juntos. E meu marido perguntou a ele , se ele queria morar com a mãe dele , e meu enteado disse que não, que ele não queria morar com a mãe. Mais sim, comigo e o pai. Eu não sei como aconteceu, mais a gente foi se apegando, a gente deita na cama juntos, a gente sai, ele me abraça toda hora.Eu faço de tudo para não discutir com meu marido na frente dele , mais as vezes acontece, e meu enteado acaba unindo a gente , claro como toda criança ele defende ao pai, mais depois ele vem me abraça, chora quando eu digo que vou sair … Ele vai com o pai me buscar no trabalho e ja vai rindo .. E me apertar kkk então gente o segredo é orar , não sou madrasta e sim mãe e adoro essa minha experiência,e logo logo chegara a nossa princesa e tenho certeza que tudo vai continuar bem. Porque fui criado com padastro e eu chamo meu padastro de Pai, por causa do cuidado .. Então orem, e Deus vai fazer tudo dar certo.

      • Tayná

        Meu enteado foi feito no carnaval*

  11. Andreia Silva

    Boa noite, sou mãe de dois meninos 2 e 11 anos e madrasta de menina de 12 Anos. Tenho uma relacionamento de altos e baixos com a minha enteada pois sinto que ela só quer o pai para poder ter as coisas que pretende e que a mãe pretende mas há momentos que não se passa nada e normalmente damo-nos super bem que até chego a lhe dar mais do que dou aos meus filhos.Neste momento cortei relação por completo com ela pois ela anda na mesma escola com o meu filho mais velho e em duas semanas consecutivas e em dois momentos usou o meu filho para se mostrar grande, para rebaixa-lo…. Já não é a primeira vez….. de tempos em tempos acontece e quando acontece tenho conversas com ela para lhe chamar atenção ao erro e tento sempre voltar a estaca zero com ela.

    • Andreia Silva

      Penso que tambem ao não me relacionar com ela… ele poderá sentir que errou e tentar melhorar. fiz desta maneira desta vez porque já estou cansada de falar sobre isso.

  12. sirlene

    Adorei chegou no momento certo!!!!quero mais dicas

  13. cleide

    tenho uma entiada com 22 anos e ela tem uma filha com 2 anos e o pai da criança morreu, ela é muito fogada ela quer qui eu tome conta da filha dela ela naum cuida da criança e mim deixa muito irritada naum sei o qui eu faço, ela mora do meu lado e ta namorando guando o namorado chega ela larga a criança aqui e eu naum tenho nem temppo pra dar atençao pro meu filho , sou viuva a 3 anos meu filho tem 5 anos tem hora qui eu perdo o controle mais naum falo nada pra ela falo pro pai dela, mim ajude eu estou em crise com meu marido por essa cituaçao meu marido é divociado tem 2 filhos uma de 22 outro de 25 que posso fazer pra naum perde a paciencia? obrigada anteciosamente josicleide valentim

    • thayã

      Tenho 20 anos e meu namorado 31 ele tem 3 filhas , uma de 10 anos do primeiro relacionamento e duas de 6 e 2 anos do único casamento ,não conheço as meninas ainda,mas por estarmos juntos a quase 4 meses e pretendemos ficar juntos definitivamente, essa é uma questão muito difícil. Já percebi como eles são apegados ele é o tipo de pai que faz tudo pelas filhas. Sempre que esta com elas me manda fotos vídeos e vejo também como são educadas,unidas e percebo que terão ciúmes do pai com outra mulher, pois quando se casou a mais velha era muito nova e era só ela. já tenho um carinho por elas , afinal são a vida dele ,mas tenho receio de como será essa nova vida, eu meu namorado e mais 3 filhas dele, apesar dele dizer que vou tirar de letra e vou me dar muito bem por conta que eu já gosto de crianças.
      Não quero acabar o que temos juntos, mas quero sim fazer parte da vida dele e isso inclui as filhas …

      • Adma

        Minha querida, vou te dar um conselho. Não case. Você é nova e pode escolher. Escolha um homem solteiro. Você vai ver que casamento é muito dificil. Mais ainda quando o homem tem filhos de relacionamentos anteriores. A gente acha que é tudo um conto de fadas. Mas a realidade é dura, por mais que haja amor.

        • Maria

          não case mesmo procure um cara sem filhos,acredite se eu pudesse mudar alguma coisa na minha vida hoje é ter me relacionado com um cara que tem 2 filhas, foi a pior decisão da minha vida,

          • Paula

            Desculpe-me, essa resposta era para a Li. Mas Tb tenho algo para lhe falar. Concordo com vc até certo ponto. Acho que temos que nos colocar no lugar das pessoas. Imagine se essa moça já tivesse um filho… E ai? Dariam o mesmo conselho aos homens para não se casarem com uma mulher que já tivesse filho? Pois vou falar uma verdade: os homens são muito mais prexonceituosos com relação a isso. Se eles podem escolher, sempre escolhem a que não têm filhos…

          • Alberta

            concordo plenamente com adma e maria. Não case com homens que já tem filhos de relacionamentos anteriores. quando conheci meu marido só tinha 18 anos. o filho dele ainda era um bebe.Hoje estamos casados a 20 anos, temos 3 filhas e ele o meu enteado. todos esses anos sempre foi um tormento o meu relacionamento com meu marido quando o menino está nos visistando ou passando férias e ter que aturar a mãe dele e as graçinhas do seu marido com ele para agradar é terrível quando fazem questão de te humilhar e maltratar e brigar a troco de nada com suas filhas e com vc só para fazer o menino se sentir melhor que todos.menino que já é um rapaz de 21 anos. Devido a esse tipo de criação que dão a ele, está se tornando um adulto sem pespetiva de futuro. o menino não progride e se acomoda na paparicação do pai. Triste! Recomendo sempre as minhas filhas que nunca se envolvam com homens com ex mulher e principalmente com filhos.

      • Paula

        Concordo com vc em tudo o que disse, pois já passei por isso e meu casamento acabou porque não tive o apoio das outras pessoas. No meu caso, eu tinha que fazer sim o papel de mãe, porque a mãe do meu enteado já havia falecido. Eu colocava regras e essas regras causaram muitos conflitos com os familiares. Porém eram regras para o bem da criança, por exemplo, o refrigerante que já estava desgastando os dentes da criança eu comecei a controlar, mas a família achava isso um absurdo, porque coitadinho, já não tinha mãe e, coitadinho, ainda tirar o refrigerante… (Detalhe: não fui tão radical, pois ele podia beber uma vez na semana, além de Tb poder beber nas festas, que eram muitas)

      • Anne

        Se quizer ser feliz não case! Você tem a linda e bela oportunidade de construir a sua família.Não der um tiro no claro. Bjs

  14. Eli

    Olá! Achei interessante o texto, mas preciso de algo mais específico. Moro junto com um rapaz e o amo muito, mas ele foi traido e deixado pela esposa qdo o filho tinha apenas 4 aninhos. O filho foi criado pela avó, que tentou suprir a falta da mãe fazendo todas a vontades e trantando como bebezinho. Ele tem 8 anos e vive com a gente há 1 ano e meio, e tenho muuuuuuuuuuiiita dificuldade de me relacionar com ele, pq dias ele se aproxima e dias me agride. Parece que me ama e me odeia. Tenho que educar e ensinar a se comportar melhor, de acordo com a idade dele e isso gera muito mal estar. Estou quase desistindo, fico muito irritada e o pai não se importa tanto com o comportamento dele. Por favor me ajudem! Gostaria de saber como devo agir 🙁

  15. Andréa

    Aqui o fim de semana é dela. Os meninos, um de 8 anos e outro de 6 anos moram conosco e é difícil ser a madrasta que não se envolve na educação. Principalmente quando a mãe deixa a desejar.
    qual a dica para o meu caso?

  16. Vitoria

    Infelizemente este é um exto para madrasta de fim de semana, e cadê para aquelas que de fato estão la no dia a dia exercendo o papel de mãe, se ser, e o eterno dilema ate onde posso ir….
    Moro a 6 anos com meu marido e meus enteados moram comigo, quem sabe o que eles vao jantar, quando tem medico e o nome dos melhores amigos sou eu.
    Isso nao me faz melhor ou pior que qualquer outra madrasta mas tenho problemas que vão muito alem disso.
    Então so posso dizer que isso é muito pouco em uma relação tão delicada.
    PS: Tive 2 madrasta e tenho 1 padrasto e a relação com cada um deles foi completamente diferente, assim como é a que tenho com os meus enteados

    • Renata

      Vitoria, você tem toda razão, esse texto é mais para madrastas de final de semana mesmo, para madrastas de filhos que moram com as mães e passam finais de semana e, normalmente, um dia na semana, com o pai e madrasta. Obrigada pela coerente colocação. Você tem razão em ter uma relação diferente e mais profunda com enteados que moram com você! Se precisar de dicas quanto à isso, nos avise que faremos um post especial para estas “mãedrastas”! Mil Bjss e mais uma vez obrigada

  17. carhol

    oi olha eu , venho tendo uma certa dificuldade no relacionamento com o meu enteado . a mae dele faleceu a 1 ano e meio , faz 5 meses que estou casada com o pai dele . nao tivemos essa parte de aproximaçao . de uns 3 meses pra ca ele vem apresentando um certo ciume , revolta , quer chamar a atençao de td a forma , vem me tratando mal , so comigo ele age de uma forma e na frente do pai ele age de outra forma . ja tentei ser amiga dele , tentei ser mal , tentei ser legal , tentei ser chata , tentei me aproximar dele de varias formas . mas ele nao me da brecha , esta sempre colocando em assunto as ex dos pai , a propria mae , mas quando e colocado na parede e é falado que nada é do jeito dele que ele quer ele se revolta e começa a chorar , e consequentemente a me tratar mal , quando eu e o pai dele brigamos ele fica muito bem , me trata bem , brinca com o meu filho de 2 anos , e quando eu e pai estamos bem ele fica de cara fechada , trata mal a todos que estao por perto . ele nao quer dormir sozinho , tem medo do escuro , nao aceita o pai falar com meu filho ou ate mesmo comigo . alguem me ajude nao sei o que fazer …… ha alias a vo dele por parte de pai , diz absurdos para ele a meu respeito . ele nao respeita mais ninguem , e sim tem medo do pai ….

    • debbie conselheira

      carhol,

      o teu caso é mais fácil de resolver.

      porque a mãe da criança faleceu, e não foi uma escolha do pai ter terminado o casamento, mas aconteceu.

      foi o destino que se apresentou, e com o qual ele teve que aprender a lidar, simples assim.

      eu sugiro um acompanhamento psicológico para a criança, e talvez para você também.

      acho que até o teu marido podia entrar nessa, porque ele precisa aprender a SE IMPOR, tanto em relação ao filho quanto em relação à sogra.
      na verdade, ele tem sido, consciente ou inconscientemente, omisso.

      eu falo do acompanhamento de um(a) psicólogo(a) porque, via de regra, relações que envolvem filhos de outros casamentos são, em sua maioria, complicadas.

      ninguém melhor do que um(a) terapeuta pra te guiar no raciocínio mais adequado, e te ensinar (e ao teu marido e enteado) a pensar de modo justo.

      que Deus te abençoe!

  18. Rosemary Pereira

    Rose
    Estou no meu segundo casamento (7 anos)meu esposo tem 2 filhas,uma tem 15 anos e a caçula tem 12 anos. eu tenho uma filha do meu primeiro casamento, tem 17 anos. Casei com ele a caçula tinha 5 anos, até hoje a nossa relação é difícil, porque ela nunca me aceitou.Ela tem muito ciúmes do pai, hoje ela esta com 12 anos, é uma pré adolescente que não aceita eu falar nada, desde os 5 aninhos que ela não aceita eu dar um conselho,crítica,chamar a atenção, não aceita nada e pra ajudar o meu esposo não me apoia em nada, mas mima demais.elas vem para minha casa todo o final de semana, feriado prolongado e férias de dezembro, janeiro e férias do meio do ano.Perdi a minha privacidade dentro da minha casa a 7 anos.A mãe delas falam mal de mim, então eu não sei o que ela falou para a caçula, mas a mais velha me aceitou e me chama de mãe até hoje, minha filha tem uma boa relação com a de 15 anos mas a caçula somente o necessário.Eu não conheço nenhuma amiga minha que recebe as enteadas todos os finais de semana em sua própria casa.Já falei com meu esposo sobre isso, mas ele não abre mão. A caçula é uma menina bocuda, pirracenta,relaxada, ela consegui fazer eu e o meu esposo brigar, por exemplo: ela sabe que eu não que toma banho e deixa a calcinha no banheiro, não gosto que lava a louça com desaforo,ela fica dias sem escovar os dentes,não gosto que deixa a casa desarrumada,vive com o pé no chão marcando o piso que acabei de passar pano, ai vou falar com meu marido,ele apoia ela e não eu, então esta crescendo uma menina sem limite, sem educação, porque o que o pai dela fala é lei, só ouvi o pai, os outros ela não da valor (ouvi o pai quando lhe convém)Já passei por maus bocados. Eu acho que ela cresceu e passou da hora de me respeitar,na minha casa quem dita as regras, sou eu!! me doeu muito a rejeição dela por, passei por 4 secessões com a psicóloga e me ajudou muito. Eu criei a minha filha com limites, com educação, com modos de menina, A relação da minha filha com o meu marido é maravilhosa, ela chama ele de pai desde seus 10 anos até hoje, e eu não consigo ter a mesma relação com a caçula, hoje eu estou cansada não quero mais lutar, dar murro em ponta de faca, desisto da caçula, porque eu não tenho apoio do meu esposo, ele passa a mão na cabeça dela, então ele que sofra as consequência, que a vida vai trazer. Se eu for contar aqui tudo que passei nesse 7 anos, vai dar um livro. Hoje estou bem graças a Deus.Deixei a caçula de lado. Quantas vezes no passado apresentava ela para meu ciclo de amizade (amigas)como minha filha, ela respondia “não sou sua filha” eu fica com vergonha.Mas passou…..hoje não me preocupo mais se quer me aceitar ou não, hoje quem não quer saber dela sou eu.

    • Ivania

      Rosimere
      Estou passado por isto.
      So casada a 08 anos
      meu marido age igual ao seu.
      Estou em crise no casamento
      Depois que vc deixou de lado ,seu marido reconheceu

  19. ANELY SANTOS OLIVEIRA

    POIS,MINHA VIDA NAO ESTÁ INDO BEM.MEU ESPOSO TEM 4 FILHOS E EU NAO TENHO NENHUM,QUANDO CONHECI ELE JA TINHA FEITO VASECTOMIA,NA EPOCA EU TINHA 30 ANOS,ERA NESSA IDADE QUE EU QUERIA TER MEUS FILHOS,HJ TENHO 41 ANOS,OS FILHOS DELES FREQUENTAM MINHA CASA,PRINCIPALMENTE A FILHA MAIS NOVA QUE ME CHAMA DE MAE, MAS O ANO FOI PASSANDO QUE PERCEBI QUE ELS MUDARAM DE COMPORTAMENTO,NAO SEI MAIS O QUE FAZER MEU RELACIONAMENTO NAO ESTÁ INDO BEM ESTOU CONSTRUINDO COM MEU ESPOSO MAIS NAO VALE APENA DE EU INVESTIR JUNTO COM ELE,POPIS, ELE TEM OS FILHOS EU NAO

  20. Ca

    Me casei há 1 ano e cinco meses. Meu marido era viúvo a pouco menos que um ano quando nos conhecemos e tem cinco filhos; Desses, duas são casadas, um rapaz é noivo, uma tem deficiência mental e a caçula é adotada. Meu marido é a melhor pessoa desse mundo, porém ele e a esposa não souberam administrar a ciumeira entre os filhos e eles vivem com atritos velados; Uma das filhas, já casada, arrumou todo tipo de confusão comigo, principalmente quando o pai se mostrou disposto a casar e se mudar de Santa Catarina para São Paulo; Ela acha que eu separei a família (e não o fato de a mãe ter morrido); Enfim, tento de todas as formas contornar essa situação me mostrando sempre amigável e disposta a perdoar, mas não é fácil. Há dois meses a filha adotiva, de 13 anos, que também tem todos esses problemas, veio morar com a gente. Eu já sabia que ela era muiiiito mimada, pelo fato de ter sido adotada, todos, pais e irmãos, a mimaram demais. Agora ela está morando comigo e já pude ver o jeito que é. Totalmente egoísta. Me trata bem somente quando quer ganhar alguma coisa; Quando não, sei que está forçando, mas não é obediente e nunca quer fazer nada que a gente lhe propõe, quer fazer apenas o que quer. Pior, eu tenho uma filha de 16 anos. Minha filha é muito doce, meiga e quieta; Esse aliás é o defeito dela, ser quieta demais; Ela tem um pouco de fobia social e não consegue se relacionar com os de fora, porém é uma boa menina. Tem defeitos também, é muito preguiçosa e só quer viver dormindo ou no computador, porém o que eu peço a ela para fazer ela faz sem questionar; Agora a outra, percebendo toda essa calma da minha filha, passou a gritar com ela e a dedurar tudo o que ela faz de errado pra mim (trabalho o dia todo e as duas ficam sozinhas em casa); Quando minha filha lhe faz uma pergunta do tipo “o que vc tem” (porque a adotiva vive de cara feia), ela dá gritos pra dizer que “não tenho nada, me deixa”, etc; Já vi minha filha pedindo desculpas pra ela várias vezes, porque se assusta com esse comportamento e essa agressividade gratuita; Pior que isso, ela grita com o pai, que não a adverte e não faz nada, pois já está acostumado a conviver com isso e acha que tem relevar porque ela “tem traumas” (em razão da adoção); Não sei o que fazer. Na minha casa, ela já viu, ninguém grita um com o outro, os filhos me respeitam (tenho um de 32 que só vem de vez em quando), todos são educados e bem humorados. A menina, que eu estou disposta a amar como se fosse minha filha, só ri se vamos pra piscina, pra praia, pro shopping, enfim, só se estivermos fazendo algo que ela goste. Se não ela emburra, fica com bico, cara feia e se alguém pergunta o que houve, ela grita; Vive dizendo que está com dor disso e dor daquilo, mas quando vc vai medicar ela diz que não gosta de tomar remédio, ou seja, só quer chamar a atenção; Ela é muito difícil de lidar. Nada tá bom. Já não sei o que fazer porque tenho me sentido muito infeliz com tudo isso; Não quero ficar tendo que corrigi-la toda hora, porém não gosto da maneira como ela age e como trata minha menina. O que faço?

  21. maria portela

    Olha,tenho uma entiada de 11 anos conheço o pai dela a quase dois anos, temos uma boa relaçao, o unico problema e que o pai dela pega ela ridos is dias para durmir com elas, todos os dias, e tenho duas filhas,as minhas moram comigo,e vao para casa do pai a cada quinse dias, no sabado e voltam no domingo, acho muito errado o que acontece nas veses que estou sozinha que seria o momento de ficarmos juntos,sempre estamos em tres,eu,ele e a filha dele, tenho um carinho enorme por ela, mais acho que nao esta havendo uma compriençao,e um respeito,da parte deles pois quando peço para ele ficar um dia so comigo, ele mente pra ela,ele e um pai muito protetor,bem presente, admiro muito mais acho que ele tem que falar a verdade para ela, e fazer ela entender que ele precisa ter momentos comigo..nao sei o que fazer diante desta cituaçao, pois gosto muito dele, e tambem me dou super bem com ela….

  22. maria portela

    Olha,tenho uma entiada de 11 anos conheço o pai dela a quase dois anos, temos uma boa relaçao, o unico problema e que o pai dela pega ela ridos is dias para durmir com elas, todos os dias, e tenho duas filhas,as minhas moram comigo,e vao para casa do pai a cada quinse dias, no sabado e voltam no domingo, acho muito errado o que acontece nas veses que estou sozinha que seria o momento de ficarmos juntos,sempre estamos em tres,eu,ele e a filha dele, tenho um carinho enorme por ela, mais acho que nao esta havendo uma compriençao,e um respeito,da parte deles pois quando peço para ele ficar um dia so comigo, ele mente pra ela,ele e um pai muito protetor,bem presente, admiro muito mais acho que ele tem que falar a verdade para ela, e fazer ela entender que ele precisa ter momentos comigo..nao sei o que fazer diante desta cituaçao, pois gosto muito dele, e tambem me dou super bem com ela….e sinto muito a falta de estarmos juntos, prefiro acreditar que ele nao quer magoar ela em falar que ao invez de ficar com ela, ira dedicar aquele dia a mim, mais ela tem 11 anos, ja entende as cousas, pois as minhas filhas sao pequenas e estou sempre falando a verdade para elas, para que elas entenda quye podemos ter varios momentos na vida, e que todos que me dedico sao emportantera minha vida…ja pensei em desistir por varias veses dessa relaçao, pois sofro,e choro muito,me magoa profundamente, cada atitude.pois prefiro sofrer com a verdade, do que com a mentira, ate pq nesse caso ele esta mentindo pra ela, e me escondendo,e assim ela vai acabar magoando as duas….

  23. Julyanna

    aqui é “alguem” querendo ajudar…bjos

  24. Andreia

    Eu sou uma madrasta só que por ser madrasta dela não tou conseguindo escola para ela uma a mae dela já morreu ai eu e meuarido agente foi na Bahia busca ela só que eu não tou conseguindo escola para ela eu ficou com muitas raiva porque tei pessoa que falar que eu não sou responsável por ela porque.

    • Andreia

      Ola ela só tei 5anos e ela me chamar de mãe eu amor quanto ela falar isso me ajunda porfavou eu quero coloca ela na escola .tei gente que falar que eu não sou responsável por ela estão que dizer que eu posso perde o meu serviço para ficar com ela eh eu não sou responsável.

  25. Viviane

    Oi … Boa noite ! preciso de ajuda !! Namoro a 9 meses e ele é divorciado a 2 anos e tem 2 filhos , um de 16 a e outro de 11 a .Eles cresceram em um ambiente de brigas constantes , e devido a isso o filho de 11 a não respeita o pai … só fala palavrões , xinga o pai por nada e eu fico desesperada por não saber o que fazer pois nunca passei por isso ! Preciso de ajuda … obrigada !

    • Jaqueline

      Oi Boa Tarde, sou madrasta de uma criança de 3 anos. Porem ela veio morar comigo e o pai quando tinha apenas 1 ano e quatro meses, deste então eu e o pai que cuidamos. A mãe biológica não tem contato com a criança desde de que entregou ao pai, por vontade dela mesmo. Porem ainda não sei como agir perante a situação, se devo ser neutra ou me entregar a cuidar dele. E muito difícil.

      • debbie conselheira

        oi jaqueline!

        nossa, que dó dessa pequenininha! (você não deixou claro se é menino ou menina…)

        ao que parece, a mãe dela não faz a menor questão de ter a guarda, nem sequer cuidar dela, e pelo visto, Deus te deu uma grande chance de fazer a diferença (e que diferença, hein?) no mundo.

        que bonito!

        eu oro pra que você aceite este desafio com amor, e pra que você também ore a Deus pedindo sabedoria (Tiago 1, 5 e 6) pra saber o que fazer naqueles momentos em que parece que a nossa sabedoria sumiu.

        sim, todas nós passamos por isso, independente de quão fortes e sábias sejamos, sempre aparece aquela situaçào nova, com a qual não fazemos a mínima ideia de como lidar.

        isso nos coloca de joelhos, e é lindo e poderoso ver uma mulher se dobrando diante de Deus pra pedir ajuda até mesmo pra saber como pensar.

        que seja assim, cada vez que teu cérebro te enganar tentando fazer com que você pense que não é capaz.

        vai valer a pena ver mais uma pessoa bonita crescendo, além de você.
        afinal você tem nas mãos a grande oportunidade de fazer crescer um ser humano, como isso vai ser gratificante!

        • Samantha

          Será? Será que valerá a pena? Será que vale a pena mesmo todo esse sacrifício em favor de crianças que não são suas? Eu vivia muito bem com meu marido, cheia de planos e viagens. Tínhamos a casa pra cuidar e apenas um do outro. Um dia o conselho tutelar ligou e mandou buscar as crianças. As quais víamos com certa frequencia, mesmo morando em outro estado. Eles estão há um ano conosco. São educados sim, graças a Deus. Mas minha vida mudou demais e eu não estou conseguindo aceitar isso. Planos se foram, independencia e privacidade junto. Agora é tudo por eles e pra eles. Trabalho e ainda chego em casa pra fazer o jantar, coisa que nem me preocupava antes. Não tenho nem metade do meu marido mais. São adolescentes, um casal, tudo tem que ficar pedindo, tudo tem que ficar mandando. Arruma a cama, lava a louça, passa uma vassoura na casa. Tudo o que ouço do meu marido é que a educação que eu tive não pode ser a mesma que eu quero dar. Detalhe, eu não tenho filhos. Assim como a colega Anely, ele fez vasectomia. Não sei se vou aguentar, acho que vou acabar desistindo. Eu o amo, mas não foi essa a vida que eu sonhei pra mim.

  26. denise castro

    oi , tambem sou madrasta, mais meu enteado ja é mais velho, completa 14 anos hoje, nossa relação é otima, saimos juntos so eu e ele, e sempre pego no pé do pai dele pra eles saírem juntos, momento pai e filho. mais teve um tempo que a mae dele quis botar ele contra mim , mais como ele sempre se deu super bem comigo nada aconteceu. hoje ate com a mae dele me dou bem kkkk… sou muito feliz, não por ser madrasta dele, mais por ser uma amiga…

  27. maria da cruz silva paz

    sou madrasta de 3 crianças tem dias que penso que vou ficar doida com tanta bagunça,meu marido não me dar mais atenção não e mais carinhoso comigo.temos uma filha de 2 anos ele não tem tempo de brincar com ela por que seu tempo esta restrito aos dois filhos mais novos do primeiro casamento,as vezes tenho vontade de jogar tudo pro alto mais tenho dó das crianças, eles não querem separar do pai seria muita maldade minha fazer isso,exigir que eles vá embora,sendo assim eu pergunto:o que eu faço,pra ter meu marido de volta e não magoar as crianças??

  28. Camila

    Boom, no meu caso esta sendo muito dificil aceitar a filha do meu namorado. a gente namora a 9 meses e descobrimos agora que ele tem uma filha de 1 ano. Estou passando por grandes dificuldades de aceitar, por ser a primeira filha dele e neta dos meus sogros. durante esse tempo antes de descobrir, criei um sentimento de que eu iria dar o primeiro filho e neto, eu realizaria o grande sonho dele, de ser pai. E agora ele tem uma filha, e a mãe dela, que por sinal ta mexendo os ‘pauzinhos’ pra que minha sogra e meu namorado caiem na dela.. (Pra quem nao sabia quem era o pai) …. Estou pra frequentar psicologa, pq nao consigo aceitar, estou sofrendo demais, emagrecir, perda de apetite, ansiosa, depressiva… Mas também nao queria terminar, pq realmente eu amo ele. Esta sendo muito dificil…

  29. Cristy

    boa noite
    meu caso é um pouco complicado pois meu marido se separou com a mulher não faz muito tempo e casamos em outubro passado , nosso relacionamento é novo e no começo eu percebi muitas coisas erradas com a educação do menininho pois ele sempre pega um red face, um warning na escola de não obedecer e falar muito…
    Ele é bem mal educado , então como vi que ia dar problema pro meu relacionamento eu me afastei do menino (ele tem 6 anos) e 4 semanas atrás eu tive que operar o meu pé e estou desabilitada de andar…Ele mesmo assim trouxe o filho dele que grita responde e não para de falar !!! Foi bem difícil , pois era o primeiro fim de semana do meu acidente! Mais ele não se importou comigo não !!
    falei pra ele pegar o menino e sair , mais não ficou em casa , me perturbando com gritos porque estou dormindo na sala , pois moro em sobrado não posso subir escada!
    de verdade sinto uma falta de consideração comigo e sinto que quando ele está com o menino ele esquece que tem uma nova família …
    esse fim de semana que terminou ele trouxe o menino de novo eu falei pra ele sair mais não ele fica em casa na sala (aonde é meu quarto agora )vendo filme que ele quer e o menino junto…ele não sai com ele pra me deixar em paz sabe ? ele fica !!! não sei o que passa na cabeça do meu marido , mais o filho dele precisa de um psicólogo …não posso falar nada pois vamos brigar por isso!!
    Está começando me irritar demais essa situação mesmo eu gostando do menino ele está me fazendo odiar de estar com ele tbm.
    preciso de palavras que me ajudem a LIDAR COM ESSA SITUAÇÃO DESESPERADORA QUE ESTOU!

  30. Ana Paula

    Bom meninas minha situação é a seguinte. Sou noiva de um rapaz seis anos mais velho que eu. Tenho 23 anos. Meu noivo tem uma filha de 6 anos. No nosso caso, o meu noivo que fica a maior Parte do tempo com a filha. Leva pra escola, da banho, faz as lições. A mãe só participa na hora de reclamarc mandar ou exigir alguma coisa. Fora isso, ela não ajuda em quase nada. Não ajuda com as dispesas, nem com os trabalhos de escola ela tem paciência para ensinar. Quem cuida a maior parte do tempo é meu noivo junto com a mãe dele(avo da filha). Eu não me mero em nada, afinal já tem gente demais ora educar. A mae que mais deseduca do que educada, os avós de ambas as partes e meu noivo. A menina para completar sente absurdamente ciumes de mim e sei que a mae dela faz a cabeca pra nao gostar de mim. Sinto que a menina gosta de mim mas não me vê com o respeito que deveria. Como futura esposa do pai dela e ate algumas vezes fala algumas coisas que
    Me deixa chateada. Eu tento contar ate dez e não levo em consideração. Afinal ela tem 6 anos e adulta sou eu. Mas tem horas que a gente se irrita. A mae da menina não tem um relacionamento muito bom com o meu noivo, ela é muito folgada e tem dor de cotovelo. Por isso, acho pouco provável que tenhamos um bom relacionamento. Fica muito mais fácil quando a mae da criança tem maturidade e encara a madrasta como uma aliada e não uma inimiga. Não sei onde essas mães querem chegar agindo dessa maneira, afinal querendo ou não… A madrasta acaba participando e muito da vida de seus filhos. Mas enfim, como nem tudo na vida é perfeito .. A gente conta ate dez, e evita se aborrecer. Eu não sou boa com crianças. Adoro a filho do meu noivo , mas ela me vê como uma disputa pela atenção. Mesmo eu tentando mostrar pra ela que não é isso. Ela as vezes não me trata tao bem como deveria. Talvez por eu não está na minha casa quando vou visita-los eu me sinto retraída com a situação… Não sei como agir com tanta gente por perto, avos, tios. Enfim… E acaba me fechando. Vamos nos casar em outubro desse ano e espero que as coisas fiquem mais fáceis. Afinal vou esta na minha casa , com a minha rotina e vou pode determinar as coisas do meu jeito e do jeito do meu noivo. Coisa que não da pra fazer na casa dos pais. Quero sua opinião. Um beijo.

    • debbie conselheira

      oi ana paula!

      antes de ler minha resposta, leia o caso da cristy.
      mesmo ELA ESTANDO NA CASA DELA, aconteceu o que aconteceu, então não pense que pelo fato de você “estar na sua casa” todas estas pessoas que você cita (principalmente a filha do seu noivo) não vão estar presentes na sua vida, e o que é pior, tirando sua liberdade e te fazendo passar a angústia de ser uma anfitriã perfeita, já que você sabe que a segunda mulher tem sempre com quem ser comparada, além de se sentir responsável por não ser desajuizada como a ex, enfim, dava pra discorrer só sobre esse ponto, mas não é o caso.

      apesar de você ter demonstrado badtante maturidade (“a adulta sou eu”) o que me preocupa é esta frase aqui:

      “Vamos nos casar em outubro desse ano e espero que as coisas fiquem mais fáceis.”

      isso não tem coerência!

      como você espera que “as coisas fiquem mais fáceis”?
      com um passe de mágica?

      se teu noivo não impõe limites agora, não é depois de casados que ele vai começar.

      mas mesmo assim, você deu o veredicto: “vamos nos casar”, então, dito isso, depois de ter lido (suponho que você tenha lido também) tantas mulheres contando suas histórias de pais separados, divorciados, que idolatram seus filhos, seja por culpa de terem se separado, ou tentativa de reparar o dano psicológico causado à criança com compensações exageradas de atenção, ou sei lá o que… se ainda assim você acredita que só porque você é “adulta” você tem cacife emocional suficiente para comprar esta briga sem causar mal a si mesma e entrar nesta roubada (desculpe a franqueza, mas não acho outro nome para esta situação), então… então boa sorte!

  31. fernanda

    Oi gente boa noite gostei muito das histórias me ajudou um pouco passo por um situação me difícil tbem no meu relacionamento

  32. daniela

    Faço todas essas coisas pra minha enteada,mas sinto que ela só gosta de receber e isso me machuca um pouco!Fico mais com ela d que o proprio ´pai dela.Um tempo atras eu e o pai da minha enteada brigamos e eu fui passar um tempo na casa de minha mãe.A minha enteada por sua vez não perguntou o que aconteceu,e qd nos encontramos ela em nenhum momento perguntou se eu estava bem…Fico cheias de duvida…será que ela gosta de msm de mim!será que ela realmente apoia o pai dela e eu,msm sendo amiga dela!Aceito sugestões sobre o que faço pra trazer ela mais pra perto de mim…As vezes sinto que é a mae dela que cria essa barreira entre ela(minha enteada)e eu.Ela tem 12 anos…me ajudem…obrigada.bjus

    • debbie conselheira

      daniela,

      pode ser que ninguém nunca venha a te falar isso, mas se você parar um pouco pra pensar, é VOCÊ quem está na situação de oferecer alguma coisa pra alguém, aí nessa história.

      você espera o quê? que uma criança (!) de 12 anos possa te oferecer apoio, consolo, amor, ou o que quer que seja?

      fala sério!

      ela ‘tá mais perdida do que você, em tudo isso.

      há uma década, mais ou menos, onde você estava?

      pois é, ela sequer existia!

      entende?

      não tem maturidade ALGUMA na cabecinha dela, coitada.

      então, sendo assim, já saiba de antemão que a única pessoa que pode oferecer alguma coisa nessa situação é você.

      nunca espere nada dela, pelo amor de Deus! muito menos um conselho de adulto, um ombro amigo, ou sei lá o que mais.

      não!

      pra isso a gente tem as amigas, os conselhos de pessoas mais experientes, vividas, os livros, os terapeutas, etc.

      enteado a gente AMA, e pronto.

      que nem filho: amor incondicional.

      se esperar recíproca, agradecimento, amor, apoio, conselho, blablablá… já era!

      você vai se frustrar.

      então, conselho de amiga virtual, ame sem esperar nada em troca.

      isso sempre vai gerar frutos, mesmo que seja no espelho.

      • daniela

        olá debbie..obrigada pelo conselho!!!foi muito bom,abriu a minha cabeça…na vdd eu nao esperava da minha enteada,ombro amigo,conselho…nd disso…somente gratidão por td que faço!Mas vc tem td razão,ela é criança e está totalmente perdida!Pra mim agora está melhor,vc me ajudou a entender melhor a cabecinha dela!Obrigada mesmo…bjão

  33. claudia

    foi muito bom os conselhos . mas tentei a proxima minha enteada do meu marido mas a mae destancia ai fica dificil

    • Nicole

      Não é facil…quando o ciúmes toma conta..um sentimento ruim..inexplicavel..mas afinal são crianças..não tem culpa do nossos passados.

      • karine

        Estou noiva e tenho uma enteada de 6 anos, meu relacionamento com ela é bom, e com meu noivo melhor ainda, acho que o problema maior sou eu e o medo de coisas que podem vir acontecer, tenho medo de ter que sustentar a casa enquanto meu marido da pensão e gasta com visitas a filha, ela mora há 300km de distancia, então de vez enquando vai visita-la e nas férias é toda na casa dele, mas cada visita nao custa menos de 500 reais, + presentinhos e afins.. a situação financeira me assusta, gosto muito da maneira como ele lida com ela, muito justo, rigido… cada vez que penso em encontrar a ex dele fico mau, nao é ciumes, sei lá pq, ela não é incomodo, é bem resolvida, mas não sei, o medo de tantas situações existentes.. mas ai, perder o amor da minha vida por medos?? não casar com ele por medo de coisas q nem sei se vao acontecer? já fui casada mas não tive filhos, tenho 31 anos, dá um medo imenso.. e não sei como lidar, a vontade é de sair correndo… mesmo sem ter um motivo logico pra isso

  34. nilda mantelmacher

    Sou viuva a 3 anos m casei novamente no iniciou da falta do meu marido meu filho fugiu d casa não ia a escola matava as aulas eu ficava desesperada tive q mandar meu filho com 10 anos de idade p ficar um tempo com a minha irma em Alagoas hoje m casei novamente e vivo muito triste sinto a falta do meu filho meu atual marido não quer a volta do meu filho eu não sei o que fazer m ajude por favor estou dezorientada com essa situação

  35. Nice

    Meu enteado está com 9 anos, mora comigo e com o pai desde os 7 anos, pois a mãe mora a 1.000 quilômetros de distância e abriu mão da guarda.Quando completou 8 anos passou a me chamar de mãe e diz que me ama é muito carinhoso comigo, mas tenho sim que impor limites e cuidar da educação, determinar o horário para dormir e acordar durante semana, enfim tudo o que eu faria por um filho legítimo. Nossa convivência é harmoniosa, mas ao completar 9 anos está ficando muito teimoso e as vezes me constrange com comentários impertinentes. Tento driblar isso conversando com ele e explicando que nem tudo que ele pensa deve ser dito, pois pode magoar as pessoas. Gostaria de dicas para madrastas que como eu são muito mais mães do que a mãe biológica no caso do meu enteado fica nítido que a mãe biológica faz questão de se ausentar, raramente faz contato com o filho. Eu não tenho filhos fora meu enteado que amo e faço de tudo para que tenha uma infância feliz.

    • tatiane

      Boa tarde! Meu caso e completamente diferente, a minha enteada veio para minha convivência com apenas 3 anos.
      A mae dela sempre foi contra, me humilhava me chingava e chinga ate hoje, dai a minha convivência com ela se tornou insuportável estou a ponto de me separar pq não aguento mais meu marido fazendo oq faz por ela, só peoucura o pai para pedir agora fez 9 anos veio pedir ao pai uma casa para morar com a mae dai eu já cheguei ao ponto de desistir do meu relacionamento

  36. Beatriz, a 'enteada'

    Uma vez a minha madrasta me falou que minha mãe não me ama… Ela errou?

  37. RACB

    Olá!!! Concordo com seu posicionamento a respeito do comportamento da madrasta. Mas eu estou passando por uma situação que não está muito fácil pra mim.
    Sou casa à seis anos e em agosto de 2014 minha enteada de 15 anos veio morar conosco. Nós ainda não temos filhos. Ela morava com a mãe e com a irmã (por parte de mãe) em outra cidade. Pensei que seria um pouco mais fácil de conviver, mas acontece que desde a primeira semana minha enteada começou a fazer intrigas entre a mãe, o pai e eu. Na última intriga e briga que tivemos que por ventura foi muito séria, buscamos um auxilio de uma psicologa. Assim ela segue fazendo um tratamento. Mas o problema que eu pessoalmente estou enfrentado é a de que não estou conseguindo conviver com ela. Ela é do tipo calada, não interage conosco, tem um olhar muito expressivo (parecendo que está “armando” alguma), mente, e não expressa suas vontades e seus sentimentos com a gente. Pra mim está cada vez mais difícil conviver com ela e meu companheiro não reage a nada do que acontece. Ele não sabe passar firmeza nem segurança quando fala com ela. Essas atitudes também influenciam meus sentimentos. O que eu faço?

  38. Carla

    Sou madrasta e agradeço parte dos conselhos, mas não concordo e não aceito deixar minha enteada maior a sós com o pai porque é muito pegajosa, já tem corpo quase de moça e parece não ter muita noção que abraçar o meu marido principalmente quando ele também sem noção está sem camisa ou querer que pegue ela no colo ou faça ele carregá-la no seu pescoço por trás não tem o mínimo de cabimento, mesmo ela tendo nove anos. Além disso, ele já dá 30% de sua renda para pensão e ainda dar mais? Ela aprendeu bem com a mãe ser consumista e nenhum dinheiro basta, tudo que possa dar não é suficiente, então não é bem assim, deixar ir comprar o que quer, ela já tem dois tablets dados pelas avós materna e mãe dele que é fissurada pelas garotas e convive bem com a ex-sogra do meu marido (!) e eu não tenho nenhum tablet por exemplo e nem ele etc, etc, etc. nem nunca a mãe dele me deu nada.

  39. Dani

    Eh só que eu nunca vivenciei essa situação porque tive meus filhos com o pai deles e não tinha nenhum filho antes. De repente uma paquera do passado aparece e se confirmou a paternidade. Surpresa pra ele e pra mim, não sei lidar com essa situação. E realmente e muito difícil.

  40. Leidiani

    Nesse caso é quando vão passarfim de semana e quando moram .

  41. WILLIAM

    Apesar de perceber que este é um espaço dedicado a mulheres, serei um pouco invasivo ao espaço de vocês… se me permitem…. tanto neste site quanto em outros que tratam do ser ” madrasta” existem muitos comentários que tratam de madrastas que dizem que lutam-educam-ajudam-compreendem- mas que no final as coisas desandam e que as mesmas madrastas acham que estão cansadas de carregar o “fardo” “estorvo”. Como pai e como humano sinto profunda decepção quando vejo comentários deste tipo. Por outro lado, fico contente quando vejo que algumas madrastas decidem ajudar o marido que ocupa o papel de pai de seus enteados….
    Mulherada, na minha humilde opinião, comentarei sobre as dicas que vocês listaram acima:
    Da dica 1) Realmente é muito comum a madrasta querer competir com os filhos a atenção dos pais… Não tenho dúvidas de que isso prejudica o casamento, pois nesta competição existe o risco de ficar claro uma imaturidade da madrasta que quis um marido mesmo sabendo que ele tinha filhos, mas que no cotidiano se incomoda com o desejo de atenção manifestado pelos filhos. Além disso, é um pouco incompreensível que adultas se troquem com crianças… claro podem ser adolescentes ou mesmo adultos, mas daí deve-se lembrar que são amores diferentes…. filho é sempre filho….. mulher/esposa é mulher/esposa.
    Da dica 2) Discordo que digam que a madrasta não tem que educar os enteados, por ser tarefa exclusiva de pai e mãe…. NÃO… madrasta pode e deve contribuir para a formação educacional do enteado, sem que para isso seja preciso ocupar o lugar da mãe…. Mãe é mãe, madrasta é madrasta. Se a madrastra pretender ocupar o lugar da mãe causará também conflitos, pois para os filhos poderá parecer uma concorrente da mãe, principalmente se for criança. Não sejamos ingênuos, na cabeça das crianças atuais ainda prevalece o vinculo familiar tradicional: pai – mãe – filhos. E a madrasta terá que ser madura para lidar com as situações.
    Da Dica 3) Madrastas tentem ser tolerantes o quanto puderem, não é para serem tolas ou bobas e demasiadamente permissivas, mas ser tolerante com as situações em que vocês se sintam provocadas pelos enteados. A madrasta deve edificar o lar, ela tem o poder de articular a harmonia dentro de casa.
    Da dica 4) NUNCA falem mal da mãe de seus enteados para eles ou de forma q eles possam escutar…. Como construir um bom relacionamento com o enteado através de agressões que possam invadir os sentimentos das crianças pela mãe? – não dá!
    Da dica 5) Com certeza, se a madrasta fortalecer a relação de pai e filhos(seus enteados), ela será referência de confiança e lealdade na relação entre todos.
    Da dica 6) A madrasta deve ser aliada do enteado e não uma rival…. dando força e apoio para os enteados quando estes necessitarem, inclusive nas demandas que precisem de aprovação do pai.
    Da dica 7) A madrasta deve cuidar das crianças, seja arrumando, fazendo companhia, orientando. E se já forem enteado adolescentes deve entrar em sintonia com necessidades do adolescente…. dessa forma os enteados certamente serão gratos e confiaram nas madrastas.
    Da dica 8) O pai precisa de espaço para construir o relacionamento de pai e filho, para que o filho sinta segurança nas orientações do pai, para que se espelhe nas qualidades do pai… Como poderão perceber e aprender sobre caráter, respeito, dignidade, honestidade e outras coisas se ficar isolado? Como?
    Dica 9) PELO AMOR DE DEUS… por que a maioria das madrastas se incomodam com o que os pais gastam com os filhos(seus enteados) ?
    Nesse momento, a madrasta pode perder e controle e fazer uma mistura de imaturidade, competição por atenção, rival, ciúmes, sensação de menosprezada e até ódio.
    Por que o pai terá que, cada vez que comprar algo para o filho, também compra para a madrasta? O que explica tamanha competição? – Eu particularmente, não sei dizer… só sei que eu e alguns amigos meus já fomos obrigados a comprar algo escondido das esposas madrastas de nossos filhos. Parece sem lógica, principalmente se o dinheiro é do pai.
    Da dica 10) Simples assim: Madrasta sinta carinho por essas crianças, afinal, você escolheu se casar com um homem que já tinha filhos, mas elas não tiveram escolha, foram obrigadas a conviver com você. Dedique um pouquinho do seu tempo para eles e torne essa relação leve! Tenho certeza de que você criará uma relação deliciosa e receberá muito amor em troca.

    Concluindo:
    A falta de maturidade poderá travar conflitos não apenas com os enteados, mas principalmente com o marido, desgastando o relacionamento.
    Que marido não vai amar ter uma mulher que não é a mãe dos seus filhos, mas que se preocupa com eles, com a saúde, alimentação, educação e felicidade das crianças… ham?
    Se você não tem vocação para ser madrasta, não entre no relacionamento … pois não é fácil mesmo, requer sabedoria e muita paciência… mas se houver amor e respeito pelo pai e pelos enteados tudo será possível e gratificante.
    A mulher que entra para o casamento, quer uma vida adulta, e se neste casamento entrar de brinde a qualidade de “madrasta”, a mulher deverá assumir o papel de sábia, edificadora da harmonia e do lar.
    A madrasta deveria estar ciente do seguinte, se ela está entrando para o rol das madrastas, é porque comprovadamente o pai das crianças já saiu de conflitos conjugais, e se houver problemas e desarmonia em casa, existirá o grande risco mais um descasamento.

    • isabel cristina de castro

      William perfeito o seu comentário em todos os sentidos…

      Cris

    • Mariana

      Olá,

      Suas dicas são realmente maravilhosas e um tanto quanto “conto de fadas”…todas as mulheres que postaram suas angustias e conflitos com seus enteados o fizeram pelo mesmo motivo: madrasta não tem direito, apenas obrigação!”…o texto é lindo, mas na vida real não se aplica!as pessoas se apaixonam e se casam…todos tem o direito de constituir uma nova relação graças a Deus por que se não fosse assim homens e mulheres teriam que viver eternamente solitários caso o primeiro relacionamento não desse certo e o pior se desse relacionamento tivessem filhos…toda relação é difícil, conviver ê um desafio, porém penso que o que desgasta mesmo uma relação seja de madrasta, padrasto e até pais, é a falta de respeito. O que observo em todos os comentários é o fato das frustrações tanto da criança quanto a ex mulher refletir nas costas da madrasta que pelos conselhos do blog tem que ser uma especie de Jesus na cruz…pagando por todos…penso que o respeito deve ser estabelecido pelo pai, é bem verdade que ser madrasta é uma escolha, mas não é por isso que essa pobre tenha que carregar o fardo só. Seria lindo se fosse possivel seguir todos os passos descritos…mas como ficou bastante claro, a maioria dos enteados não respeitam nem seus pais, quanto mais uma pessoa que não é seu parente…as ex mulheres usam seus filhos como arma para atingir seus ex’s…o dinheiro além da pensão estabelecida também é apenas mais uma disculpa para provocar, porque ambos precisam sustentar em todos os sentidos o filho. É preciso ter maturidade, paciência…sobretudo é preciso ter coragem para se fazer ser respeitada. Vivemos em tempos diferentes dos nossos avós, a configuração familiar vem ao longo dos tempos se modificando, é preciso entendimento dessas novas configurações para conviver harmoniosamente, de modo que uma criança possa transitar em ambientes diferentes sabendo como se comportar…uma criança quer apenas atenção e por vezes chamar atenção, sempre do pai ou mãe, dessa forma quem impõem os limites são eles(pais)…
      Para concluir, madrastas devem ser respeitadas e tratadas com carinho por seus companheiros, eles devem fazê-las ter o devido respeito por todos da familia, incluindo cunhada, sogra, etc…os enteados não são obrigados a gostarem da nova companheira dos pais, mas devem tratá-las respeito.

  42. cremilda lima

    casei pela segunda vez cm homem que tem filhos mas agora estar dificil pq o pai nao cosegue ver que estar sufocando as filhas a ponto de nao ter paciencia quando elas esiste no erro,mas o mesmo so age quando alguem aponta o erros ,ele reage cm agresao as criancas que ja tem 12e11 anos e quer descubri as coisas so mas nao tem oportunidade,mas elas viveram sem cmpleta diciplina ate agora nao tem hora pra nada nem responsabilidade cm suas obrigacoes ou seja banho igiene etc…e muito triste ja sao mcinhas e as pessoas cometam que sao maleducada eu tenho vergonha pos nao tou acostomada com tandas coisas erradas …meu filho tem 11 anos e nao da trabalho cm nada,toma banho escova dentes lava as coecas dele estende a toalhas ,e esta convivendo cm as meninas que o oposto dele nao sei cmo me dar cm essa situacao ,opai ao mesmo tempo que concorda disconcorda

  43. Camla

    Dos diversos depoimentos, muitos estão me ajudando a compreender minha situação..
    a duvida que tenho agora, é sobre a pensão. a mãe da criança veio atras do meu namorado depois que a criança ja tinha 1 ano de idade, pedindo dna.. deu positivo e eles entraram em um acordo de 400 reais por mÊs para uma criança de 1 ano e meio.. é um valor adequado?
    outra duvida, seria se caso ela entrasse na justiça, ele tem uma oficina porem nao declara nada… nao tem nenhum controle contabil do dinheiro … como o juiz procederia nessa situação? ele obrigaria ele pagar mais.. como provar os rendimentos…
    obrigada!

  44. rayana Corrêa

    Odeio meus enteados, até porque eles nem são filhos legítimos do meu marido, fiz ele abandonar eles!

    • Lanessa

      Estou em situnção complicada também. A mãe da criança e um idiota. Usa a criança para atingir nossa relação. Ele tem 9 anos e muito inteligente e me adora. Até fala que gosta mais de eu com pai dele do que ele com a mãe. Só que eu não tô suportando. Vim para outro estado pelo meu namorado e ele disse que era só fds a cada 15 dias. achei que conseguiria, porque o amo mais que tudo. Mais não tô suportando. A criança tá vindo todos fds e faz birra se tento sair só com pai dele. Deita no meio da gente no sofá se Abraço o pai ele quer abraçar tbm.Se sento lado do pai quando saímos ele faz birra. Pra almoçar etc também. Se falamos no futuro (casa filhos etc)ele se enfia no meio. Se ganho presente da sogra para mim e namorado ele diz que é dele também. Pqp tá difícil . Eu brinco do pega com ela ensino coisas que não sabe cuido dele e das coisas dele. Mais tá demais. Eu não tenho momentos de intimidade com meu namorado quando ele está porque é impossível até beijar ele. Não pode dizer que me ama na frente não posso nem colocar sutiã no banheiro não posso fazer NADA e se questionar que ele dá mil vezes atenção ao filho e eu fico de escanteio diz pra nunca ficar contra que ele sempre escolheria o filho e não devo me intrometer. Olha. Da vontade de desistir as vezes. E muito difícil. Tenho 19 e ele 34 . Eu não tô conseguindo conviver com ciumes. Tudo é o filho. Sai para lugares que só vai homem echama o filho e eu fico em casa. Quando saímos ele vai junto também. E ainda fala em trazer ele pra morar. Não consigo. Me ajudem. Se o filho pergunta algo ele é paciente se eu pergunto as vezes mesma coisa ele bate com os pés. Ele tá se intrometendo de mais. Não posso nem sentar com meu namorado. Nem andar de mãos dadas que ele cola junto. Já passaram por isso ? Como superar? Tô até com medo de ter filho e perder a relação de casal.

      • debbie conselheira

        oi Lanessa!

        você não está tendo problemas com o teu enteado.

        está tendo problemas com o teu marido, o pai do teu enteado.

        é ele quem não te respeita.

        por isso que é tão importante deixar tudo bem claro logo no início, se a criança vem somente a cada dois finais de semana, todos os finais de semana, ou vai morar junto com o novo casal.

        acontece que as pessoas parecem TER MEDO de expor o que pensam e de colocar limites (muito importante!) e acabam frustradas quando as coisas fogem ao controle.

        um conselho bem inteligente pra você agora: por favor, amiga virtual, não engravide agora.
        porque você NÃO FAZ IDEIA de como tua vida é boa agora!
        mesmo com todos os teus problemas, você ainda tem a chance de pegar tuas coisas e se mandar, mas e se você engravidar?

        se você engravidar nessa falta de paz em que você se encontra agora, não sabe o inferno que te espera.

        então se cuide bem, e ore a Deus pedindo pra que Ele te guie a fazer a coisa certa.

        teu namorado, pelo jeito, não deve orar muito… porque não tem sabedoria nenhuma na forma como ele vem agindo com você.

        fácil, fácil te perder…

        • Lanessa

          Oi Debbie, você tem razão… Ouvi conselhos de umas pessoas casadas e me impus. Esse fds foi o primeiro que me coloquei como mulher da casa e foi perfeito. Não me senti sufocada como me sentia sempre. Sentei do lado do pai, ele disse que me ama em frente ao filho pq falei que caso contrario eu nao suportaria mais que tava no limite. Coloquei o menino para arrumar quarto só, colocar e tirar a mesa, escoovar e tomar banho sozinho, abrir e fechar a porta (n conseguia trancar e abrir), mandei colocar copo de agua no quarto pra dormir porque sempre nos acordava pra pegar agua pra ele (lado do quarto tem beebdouro e ele tem medo msm com luz acesa) mandei ir dormir sozinho na cama pq ele esperava o pai pra pegar no colo. Ele fez cara feia mais foi e dormiu e tudo que faz eu elogio e incentivo. Não cortava um frango sozinho nem macarrão, e ensinei, não sabia oonde tinha prato e mostrei, enfim… Tava muito mimadinho com tudo nas maos e to ensinando como deve se comportar na nossa casa… Porque a casa e dele por herança mais tbm e minha !! E eu sou a mulher do pai dele e a dona da casa.. Tudo ta melhorando e espero botar mais moral aos poucos. Acho que ja fiz foi muito em pouco tempo. Vamos ver se o pai continua colaborando. Ai criança falou (papai estamos ferrados, as outras faziam tudo e agora nois que tiramos a mesa) e eu falei tiram sim pq eu fiz a comida e arrumei toda bagunça de vcs, tem que ajudar sim pq ja ta bem grandinho… ai puxei ele no canto dps e proibi de falar de ex pq se fossem boas nao eram mais ex. Resumindo, ele me respeita mudou um pouco mais logo vai ver que e pro bem dos dois (pai e filho) e quem sabe ate nao diminui as visitas né vendo que agr nao e tudo nas maos dele? pq na mae dele ela bota moral… acham que fiz certo?

          • Lanessa

            Detalhe, tem 9 anos (faz 10 semana que vem) e tinha atitudes de 6…
            Não sabia fazer NADA sozinho, nem escovar dentes porque tinha medo. e esses dramas so fazia com pai pq comigo ele ia sozinho…

          • Larissa

            Isso aí Lanessa!Parabéns! coloquei e coloco vários limites, afinal essa é a MINHA casa. Mesmo assim, ainda é dificil, me sinto sufocada, sem privacidade, mas pelo menos os ciúmes diminuíram um pouco e a ideia de vir morar aqui está ficando mais distante.

  45. Tatyanna

    Ola, tenho 2 entradas uma de 3 e outra de 6 anos quando eu comecei a namora com o pai delas abas tinham 4 e a outra tinha 2 anos e minha convivência com elas è perfeita tenho elas como minhas filhas…

  46. Josy

    Meu marido nunca foi um bom padastro pro meus filho estamos juntos ha 12 anos e ha 1 mes veu mora com nos o devo fazer trata ela igual ele trats meus filhos

    • Josy

      Vrio mora com nos a filha dele

      • debbie conselheira

        oi josy!
        se você “pagar na mesma moeda”, imagine o in-fer-no que não vai virar a tia casa!
        eu sugiro que você converse seriamente com teu marido.
        com calma, e em um momento em que ele não esteja com fome, porque é comprovado que os homens ficam muito mais irritados quando discutem com fome (dr, gary chapman, terapeuta norte-americano de renome).
        e vamos nos ajudando!

  47. Tatiane

    Bem minha história é um pouco que turbulenta conheci meu marido ha nove anos atrás ele já era pai de um menino hj de dez e uma menina de nove …eu tb tenho uma única filha de dez anos .Eu não posso mais ter filhos devido ao um problema mais como se nao bastasse em uma de nossas brigas ele engravidou uma outra mulher e hj a menina tem cinco anos .Sou apaixonada por criança mais acho muito complicada esta situação aceito os filhos dele mais quero eles bem longe de mim não por maldade .Os comentários me ajudaram de certa forma a ver que não estou sozinha nesta situação .Bjs

    • Pedro

      Boa noite, tenho uma filha agora com 10 anos, tinha 4 anos quando casei de novo,até hoje a minha mulher não aceita a minha filha , quando a vou buscar fica logo descontente e brava,já com a minha família e quase igual,diz mesmo que não gosta dela e muito menos da minha ex mulher,tento só a ir buscar quando ela está no trabalho para nem e ver porque sei que vai ficar brava, já se a minha ex liga para combinar de ir buscar a minha filha fica logo brava comigo .
      Faço tudo por a minha mulher sou Português ,a minha mulher é brasileira, devia de ser mais humilde e respeitar mais a minha relação com a minha filha , ai eu pergunto é normal? posso ser feliz vivendo assim?ignorando que nem tenho a minha filha por causa da minha mulher???obrigado

      • Lanessa

        Se quiser ser feliz, se ama mesmo a sua mulher, abra mão de certas coisas. Não da filha, claro… Corte as idas de sua ex ate sua casa, nao a deixe entrar, demonstre que ama muito a sua mulher mesmo na frente da filha e JAMAIS bajule muito a filha na frente dela ou mude como e com ela quando a filha nao esta. Ex: se andam de maos dadas e dizem q se amam e deixam de fazer na frente da filha e atende aos mimos dela (sentar do seu lado ao inves da sua esposa, largar a mao da esposa porque a filha ta te puxando pq ta com ciumes) etc… Sua mulher deve respeitar e amar sua filha, mais se a faz perder a privacidade e sentir ciumes da filha, ela a verá como ameaça e nao com amor. Talvez a culpa nao é dela e sim sua. Digo pq passo por isso tbm…
        Evite ligações noturnas da mae da filha, deixe sua mulher atender as vzs pra se sentir que ela quem esta do seu lado e isso que importa e tbm atenda em viva voz, entenda… Mulheres odeiam as ex e isso nunca vai mudar, so de voce atender ela morre de odeio, se passar a atender no viva voz, e deixar ela atender as vzs, ja ajuda mt, o meu companheiro fez assim e mudou muito minha relação com a ex. E passei a tratar melhor o filho dele quando começou a ser o mesmo quando ele estava e quando n estava e quando começou a por limites nas birras dele. A criança nos é dada para cuidar e ensinar viver, se mimar muito alem da convivencia ser afetada pela falta de obediencia da criança (a mulher quem manda na casa) ela sentira odio toda vez que a vir chegar. Não sei se consegui explicar direitinho, mais se fizer isso será feliz com as duas mulheres da sua vida e as duas passarão a serem amigas. Bj espero ter ajudado…

  48. Gessica

    Gostei muito das dicas , tenho um enteado lindo que amo muito . Afinal ele é filho do homem que amo ,realmente é difícil pra uma criança entender que seus pais se separaram e e ele terá que conviver cm outras pessoas , acho que temos que entender que são a pena crianças e não podemos exigir que tenham uma maturidade que as vezes nem nos adultos temos .
    E sempre que tiver divergência conversar em um tom agradável e fazendo carinho é o que indico . Eu dei um caderninho de condições e dei ao meu e sempre que está chateado ele escreve eu leio , e escrevo pra ele .
    Espero que ajude alguém

    • debbie conselheira

      puxa vida, gessica, você tirou de letra, teu problema, hein?
      criativa e inspiradora.

  49. keylla soraya cosmo morilla

    bem dificil mesmopois nem os pais são santos assim .
    ja criei minha enteada uns 2 ano e meio e depois que a menina estava com saude bem a mãe pegou de volta sofri muito.agora a mãe avia arrumado um homem e outra barriga e levou…. agora a mãe arrumou outro hoeme e outra barriga e mandou de volta .está menina quando estava com a mãe viu e ouviu de tudo relatos contados pela criança e pessoas da propria familia a criança sofreu ate um abuso …
    agora estou com ela e quem cuida ,da comida ,lava,passa,vai a reunião de escola leva a medico cuida quando ta doente da conselhos encina ai vcs a lei me fala que não tenho direito .nossa então sou empregada da mãe pois como sabemos o pai só mantem a casa e que cuida são as mães .para ajudar a mãe da criança manda e desmanda e eu tenho que acatar tudo da mãe !!!? não posso determina o que acho ou o que pode !…..sou escrava das palavras da mãe.agora mesmo me manda msg mandando eu por ela no cras onde ficava dia todo quando tava com a mãe a menina nunca aprendeu nada lá nem matematica ,nem falar direito sabe isso que ja tem 11 ano me diga que lei e essa afff sou escrava e por amor sou umilhada e tirada todo o tempo.

  50. Claudia

    Boa tarde,
    Gostaria muito de algumas dicas. Tenho 43 anos, meu marido tem 41 e vivo uma união estável de 8 anos e tenho um enteado de 15. No começo ele frequentava minha casa a cada 15 dias. Agora, todo final de semana esta lá. Não tenho mais privacidade com meu marido, pois ele viaja a semana toda a trabalho e fico sozinha. Quando chega na sexta feira ele já passa para pegar o filho e meu final de semana é assim: sabado fico em casa para fazer tudo o que não consigo durante a semana porque também trabalho, aos domingos ele vai para a mãe dele e eu para a minha, quando eu não vou ele deixa o filho dele comigo e vai para a casa da mãe sozinha. Resumindo: não tenho tempo com meu marido. Já propus que ele fosse pra casa a cada 15 dias, mas meu marido diz que ele está numa idade que precisa do pai por perto. Então o que fazer? O garoto chega em casa e passa o tempo todo no quarto comendo e dormindo e o pai na casa da mãe e eu????? tenho que ficar cozinhando e cuidando do filho dele que não sabe fazer nada sozinho com 15 anos????? Não estou mais aguentando, já brigamos muito e ele diz que eu não gosto do filho dele, mas eu estou transferindo toda a raiva que sinto do meu marido, por ele não perceber que que eu preciso de um tempo só com ele, para o filho dele. Não aguento mais, por favor me ajudem. Obg.

    • debbie conselheira

      nossa, claudia, você precisa mesmo colocar LIMITES no teu casamento.

      caso contrário, vai ser sempre vítima de um marido controlador (as coisas têm de ser feitas à sua maneira) e manipulador (te fazendo se sentir culpada por “não gostar do filho dele” quando, na verdade, não é nada disso.

      você só está querendo um pouco de privacidade!

      não se sinta culpada por isso, mesmo que ele tente te manipular pra que você se sinta.

      eu sugiro que você tenha uma conversa séria com teu marido (ore antes!) pra explicar como você se sente mal com a vida que ele vem te impondo a levar.
      se ele não se importar e continuar te obrigando a conviver com essa situação desconfortável dentro da tua própria casa sem NO MÍNIMO levar em consideração as tuas emoções, é hora de repensar teu casamento.

      tomara que ele esteja aberto a te ouvir!

  51. elda silva

    quero receber dicas

  52. cleva

    Eu sou madrasta, não consigo me da bem com meu enteado, e um adolescente de 15 anos, era criado pela a vo, e agora ela não aguenta mais, entregou cheio de bira mal educado, q faz as coisas do jeito dele, e agora alguém, pode me ajudar?

  53. WILLIAM

    Géssica, você está de parabéns pela boa vontade.
    Pedro, muito cuidado. Vc está deixando de ser vc mesmo e tendo que fazer coisas pra sua filha escondido de sua mulher… tavez você esteja send dominado. e vc não pode aceitar isso, assim como a mulher/esposa/madrasta tem situações que concordam em se impor. Digo que também há situações em que é melhor o pai se impor. Vc esta construindo uma relação que poderá ter consequências ruins no futuro. Sua filha será sempre sua, lembre disso. e olha, sua mulher pode ser brasileira, americana, japonesa, holandesa, rs…mas isso não definirá sentimentos ou aproximação dela com sua filha. Sr. Pedro, já se passaram muitos anos, e sua esposa não aceitou a criança até agora? Sinceramente, acho que ela jamais aceitará. Melhor vc dialogar sobre a relação de vocês, pois se considerar que sua felicidade dependa do bom relacionamento familiar envolvendo sua esposa e filha…. dificilmente haverá felicidade….

    • kelly

      Olá!Vou tentar resumir um pouquinho a minha história que começou em dezembro de 2000 quando eu era ainda uma menina,tinha apenas 16 anos e comecei a namorar com um rapas de 21 anos que foi meu primeiro namorado e que apresentei aos meus pais.Ele já havia morado antes com uma mulher e tinha 2 filhos com ela,um que já estava pra completar 2 aninhos e outro tinha 5 anos.Meu pai não aceitou o nosso namoro devido a ele já ter tido uma família antes e eu ser muito nova,mais eu já o amava e queria viver esse amor independente de tudo,e passei por cima de todas a barreiras pra vive lo.E uma delas foi que logo no primeiro mês de namoro ele me disse que os dois meninos morariam com ele e que se eu quisesse terminar o nosso relacionamento ele entenderia,mais eu sempre fui muito amadurecida pra minha idade e resolvi encarar com tudo nossa relação.A mãe não quis ficar com as crianças pois sempre foi farrista e irresponsável.E assim namoramos por 2 anos e sempre tive uma ótima relação com os meninos,respeito,carinho estavam sempre presentes em nossos encontros.Em fim nos casamos em dezembro de 2002 e assumi de vez o papel de mãe deles,levando e buscando na escola,indo a reuniões,ajudando com os trabalhos escolares e em tudo o que eles precisavam,só não quis que me chamassem de mãe pois me achava muito nova e não me sentiria bem rsrsrs E assim se passaram os anos comigo cumprindo fielmente o meu papel,confesso que algumas vezes até palmadas precisei dar mais nada que eu não faria com um filho meu,acho que fiz até mais que meu papel de madrasta e tinha eles como filhos mesmo,corrigia quando necessario e todos viam o meu cuidado com eles,chegando a brigar com quem fosse pra defende los.Quando fiz 25 anos resolvi ter meu filho e engravidei e eles já estavam com 14 anos e 11 anos e então tive uma menininha linda que é minha vida e que nos trouxe muita alegria e completou de vez a nossa família.Eles me ajudavam sempre que precisava de algo e com o tempo foram ficando menos dependente e assim pudi tirar de letra o que sempre planejei que era ser mãe só depois que eles já não fossem tão dependentes de mim.Confesso que com o tempo e a chegada da adolescência algumas coisas foram mudando,o comportamento já não era mais o mesmo mais meu esposo sempre me deu carta branca pra dar todas as ordens dentro de casas e tomar quase todas as decisões relacionadas a eles.Teve algumas vezes que cheguei a me arrepender de tudo mais já não dava pra voltar atras,então ergui a cabeça e segui em frete,toda relação tem seus altos e baixos,seja ela com filho,marido ou enteado então por que comigo seria diferente.A mãe deles nunca ligou pra pega los fim de semana e depois que ela queimou a boca do mais novo com uma colher quente quando ele ainda tinha 5 aninhos por que ele respondeu ela eu nunca mais quis deixar eles irem pra casa dela e ela não fez questão,no fundo acho que minha relação com eles até foi boa por que não teve a influencia dela.Hoje eu e meu esposo ainda estamos casados e em dezembro de 2015 completaremos 13 anos de casados e 15 anos juntos.Até hoje eles me respeitam e se tiver que dar um não eles me escutam.Eles já estão rapazes e ainda moraram conosco,um vai completar 20 anos e o ouro tem 16,minha filha vai completar 6 aninhos e eu tenho 31 anos e meu esposo 36 anos e temos uma família linda e normal como qualquer outra.Agradeço a Deus por tudo pois sei que ele tem o melhor pra nós.

      • INGRID

        Oi.. Bom namoro uma pessoa a 7 meses e ele tem um filho de 12 anos, porem nao consigo me dar bem com o menino. O filho dele nao é mal criado nem nada, pelo contrario faz de tudo pra que eu goste dele. o que me incomoda é que ele mora com o pai e fica fazendo certas graças para chamar atenção, isso é coisa de criança e ele já nao é mais criança, isso me irrita muito. nao consigo pensar em nós morando juntos. preciso de ajuda.

  54. Vi

    Ao meu ver as historias tem dois lados e duas medidas. Eu me envolvi em um relacionamento c uma pessoa c filhos e o melhor conselho é: fujam disso, pois tanto pai qto enteados demonizam a madrasta e todo e qq esforço p sucesso acaba sendo respobsabilidade da mesma. Hoje tenho um filho e por ter passado essa situação entendo q é de minha responsabilidade tb fazer de tudo p meu namorado e filho conviverem bem, ser uma ponte essencial p essa relação dar certo. Meu namorado se apaixonou por uma pessoa q tem filho e eu optei por ficar c um cara q nao tem… E aí? As mulheres tem o dom de saber controlar situação, por isso os homens abusam disso, somado ao sentimento e jogam as madrastas na roda de fogo c filhos e familia deles. Caiam fora, se amem, pq ng tem obrigação de amar e aturar o filho dos outros q quer descontar a frustação do fracasso do relacionamento dos pais. Se for inevitavel vontinuar, ponham esse cara na roda, façam ele colaborar, incluir vcs, aproxima-las…vcs se apaixonaram e ele tb. Vamos parar de queree carregar o mundo nas costas, isso me rendeu anos de sofrimento, terapia, mas tb aprendi q qdo DOIS querem da certo. Bjs

    • Rose

      Bom dia! Preciso de ajuda. Meu marido tem filhos de 11 e 7 anos…estamos casados há um ano e eles tem guarda compartilhada.Tem bom relacionamento com a mãe dos filhos e livre acesso na casa dela onde eles moram. Ele nao devolveu as chaves da casa nem controle do portão. Pedi que devolvesse as chaves da casa pois não mora lá mais e isso me incomodava. Controle do portão não me incomoda…quando ele vai buscar os filhos ele abre o portão e a porta da casa estando destrancada ele entra como se morasse la…anda pela casa e quartos…conversa com a mãe dos filhos e ex dele no quarto dela, onde eles dormiam juntos…isso tem me incomodado muito e magoado… pedi que pegasse os filhos na frente da casa, quando chegar avisar e aguardar no carro….ao levar abrir o portão e aguardar até ver que tão em segurança com um adulto, na maioria das vezes a mãe deles. Estou errada? me ajudem, por favor.

  55. Erica

    Li o texto, mais como diz o meu próprio marido “você se encaixa na maioria das coisas” o grande problema em minha casa e que eu fico questionando o comportamento dele (meu esposo) quando junto ao filho. Sempre falo que as correções feitas pela mãe do adolescente (não quero falar o nome dele) devem ser estendida aqui pra casa também, isso não acontece. meu marido quando não gosta de alguma coisa que eu faça ou diga ele logo me “repreende” na frente do filho, já falei para ele não fazer isso, ele diz que é uma reação automática.
    Sempre digo pra ele que a educação do adolescente deve ser feita como se ele estivesse ainda casado. mais não adianta, a mãe é sempre a má da história o pai e o bonzinho, só fica na conversa e não se fala mais nisso, e a mãe esta sempre reclamando das mesmas coisas. sempre digo pra ele que o filho dele mente, que fala o que ele quer ouvir. mais não adiante. exemplo disso é que a mãe esta sempre reclamando que o adolescente não quer estudar e quando o pai liga pra ele ele diz\ que esta estudando. bom são coisas assim que tenho que ligar. não estou dizendo que sou perfeita mais necessito de ajuda, sei que sou rígida quando se fala em educação até porque sou professora e vejo as mesmas coisas acontecendo com os meus alunos. se estou errada. quero acerta.

    • Lucia

      Vi o caso da Clara la no comecinho, e é identico ao meu.Estou hj com meu marido daz 12 anos, quando o conheci sua filha tinha dois anos, ele tinha acabado a pouco tempo a relação com sua ex-namorada mãe de sua filha.Na época passamos as maiores e piores situaçoes possiveis para fi armos juntos, a sua ex era uma piscopata tive problemas desde a perseguiçoes até agressoes, tudo …tudo q vcs imaginarem nesta vida esta mulher tentou me fazer, perder o emprego, tudo, ameaças de morte…..entao ela nunca admitiu que a filha vesse o pai….quem dera a min….um advogado amigo meu falou tbem para que eu não ficasse proxima a criança, pq ela estava fazendo falsos b.o contra eu e meu marido, falando q a gente perseguia ela e a criança, então fomos orientados a ficar distantes.Nem os avós não podoam ver a criança.A criança foi crescendo e meu marido estava indo atras da filha mas aí a propria filha o re usava, pois ela ja tinha 11 anos Entao ja entendia e parece que a mãe estava mais sossegada.Agora olhem mi.ha situação final de semana passado a menina já com 14 anos reaparece das cinzas, do nada…..Engeaçado que só foi a pai estudar e arrumar um bom emprego, começar a comprar bens…..Pois a um ano atras meu marido era moto taxi e ela virava a cara pra ele na rua……apareceu do nada super me comprimentou….mas quando meu marido virou as costas ela fez cara feia pra min….tem base ??? Nao tenho filhos…e me chao está aberto….a mae dela depois de 14 anos não se casou, nao reconstruiu a vida…..e eu só achei estranho pq não é muito natural isto tudo…..quem conhece toda história ybem fvou perplexo. …..Eu super resumi..,,,mas tentamos crescer junto com ela e a mãe não aceitou…depois ela mesma nos ignorou e agora assim do nada ????

  56. Débora

    Gostaria de deixar meu relato:
    Minha história é um pouco complicada, começa assim:
    Na minha lua de mel fiquei sabendo que meu marido tinha uma filha recém nascida que até ele desconhecia pelo fato de não ter tido um relacionamento sério com a moça em questão, porém, a moça engravidou, quando chegamos da lua de mel, eu ainda muito abalada por que não esperava isso, dei a opinião de fazer logo o exame de DNA que comprovou a paternidade.
    No começo desta novidade, tentei fazer o melhor pra que a criança tivesse um vínculo com o pai é comigo tb pra que Td resolvesse de forma natural, no entanto, a mãe dificultou esse vínculo sempre que pode … Hj a criança já tem 6 anos mas ainda Eh difícil o convívio, e quando a criança está com o pai, que é esporadicamente, eu não consigo me introzar pq não houve um convívio e por causa de Td o que aconteceu eu fiquei um pouco deprimida, não soube lidar muito bem com essa questao.
    Sei que Eh de extrema importância que isso resolva da melhor maneira possível. Quero fazer minha parte!
    Mas espero que a mãe tb entenda e faça a dela para o melhor da crianca!
    Não sei o que fazer, já que, quando surge o assunto, às vezes não sei me expressar é meu marido pensa que tenho ciúmes … Posso dizer que tenho uma grande magoa, mas sei que a criança não tem culpa!
    Alguém
    Poderia me ajudar?
    Uma palavra amiga talvez me abra os olhos!
    Obrigada!
    Débora

    • camila

      Oi Débora, bom quando a gente acaba de entrar pra esse novo mundo, (depois de 6 meses ainda nao me caiu a ficha) rsrs… a gente pensa que so acontece com a gente… Nesses 6 meses, conheci varias historias em comuns, e ja fui do pior sentimento de raiva, odio pro pior sentimento de terminar tudo, de nao conseguir levar esse barco…

      A minha historia, é em partes parecida com a sua.. namorava a 6 anos terminei, e fui a procura do meu ‘principe encantado’.. ate achei mais depois de 6 meses, em janeiro desse ano, apareceu um “pacote supresa” pra nois.. uma filha dele ja com 1 ano…
      Fiquei sem chão, emagreci 7 kg, vou em psicologa… Porque me sinto roubada, me roubaram o que eu mais queria dar pra ele, um filho, ser a familia dele… nao consigo aceitar 100%, que agora se eu quiser ficar com meu namorado, nao vai ser só nois, nossa familia, sempre terão duas pessoas a mais.. por mais que não aceite..
      mais falando de você, normal sentir tudo isso… e tudo vai passar cedo ou tarde.. vai depender de quanto tempo vc vai demorar para aceitar essa criança como filho dele.. e sua familia agora..

      Realmente eu ainda não sei se consigo continuar… pra mim esta sendo muito dificl, ter que dividir todo o meu sonho, ou roubado de mim, por outra… fora a pensão, mimos, aniversarios, e muitas situaçoes ainda por vir.. é um caminhão dificl, mais se você ama ele vc vai enfrentar tudo e nao vai deixar a peteca cair..

      cada pessoa tem uma reação diferente, uns tem mais facilidade de perdoar, aceitar, ou fica naquela negação..

      boa sorte.

  57. Lucineia

    Apesar de tudo sempre pensei e me comportei desta forma

  58. Anonima

    Tenho um enteado de 7 anos agora meu esposo inventou de ir deixar ele no colegio e sinceramente nao gosto porque ta virando bagunça daqui um dia estao chamando o casal pra reunioes ou melhor o proprio filho achar q o pai voltou pra mae. É una situacao dificil

  59. Adriane

    Olá.. Tenho uma relação muito boa com minha enteada.. Porém nem sempre foi assim.. No começo ela sentia ciúmes do meu marido, então passei a não abraça-lo quando ela estava perto.. E pra conquistar ainda mais o amor e confiança dela, deixei de ser adulta, sim, voltei literalmente a ser criança quando ela estava comigo..
    Adoro inventar brincadeira novas com ela, e me sinto muito bem, pois tbm mato akela saudade de ser criança!!
    As vezes quero deixar ela sozinha com o pai e pego o carro pra ir passear.. E ela vem toda dengosa pedir pra ir junto comigo..
    Você não ama a criança no primeiro instante q a conhece, mas ao passar dos tempos acaba tendo um amor imenso.. Ela só me faz bem quando vem me visitar..
    Amo muito ela!!

  60. dee

    Olá comecei a viver a pouco tempo com meu noivo e planeámos casar…tenho uma filha de 7 anos e ele uma de 8 anos, até este momento a minha filha está em África e eu estou na Europa. ..a minha do meu noivo vive com a tia numa outra cidade diferente que estamos agora. .constate mente mudam de escola ou cidade… a primeira vez que ela chegou a nossa casa… já falava palavrões tipo” cabrao e puta” e fala muito mal com o pai.. ela é carinhosa quando precisa de alguma coisa… insulta todo mundo a avó o pai mas isso só acontece quando ela vem praia família do pai…quando está com a família da mãe dizem que ela não diz essas palavras. .na escola o pai já foi chamado várias vezes por agredir outras crianças, fala coisas eu como adulto ficou admirada. .isto pra dizer que já falei com o pai sobre o comportamento da criança.. ele fala com ela mas pra ela aquilo é igual e ela diz isso na cara do pai… “não tenho nada haver” deixa me em paz..um certo dia sentei com ela no quarto e perguntei porque falava assim e porque estava a triste. .ela disse que sentia saudades da mãe que já não havia a muito tempo…ela que fala assim com o pai porque ele não foi vê lá no verão passado e que não fui boa com a mãe dela e pediu pra que eu não contasse ao pai o que me disse..pois ela com o pai poucas vezes é aberta… O outro problema que vejo é o seguinte quando o meu noivo esta a retaliar pra ela não dizer ou fazer aquilo … ela pouco se importa. .e o próprio pai segundos depois já está rir com ela… Eu perguntei uma vez pra ele assim achas que vais conseguir mudar a ela? Prontos outro dia fui com ela as compras ..Eu e ela o pai não estava compramos coisas de crianças jogos. .voltamos a casa ..dia seguinte voltou a dizer palavrões. .. chamei atenção e disse que não é correcto dizer isso. .. mesmo assim voltou a dizer.. peguei nas coisas que compramos arrumei ela veio a correr pediu perdão. .. não aceitei fui ficar no quarto e ela no quarto dela o pai chegou ela continuava no quarto. .. mais tarde pediu pra falar comigo a sós ..levou me pra o quarto e pediu desculpas.. e meu medo é minha filha vem cá viver e a educação que ela tem é muito diferente e neste momento ela também vive com a madrasta…e elas quando falam ao Skype dão-se muito bem que ela chegou a dizer ao pai que quer morar connosco assim que ela chegar… gosto da minha enteada e ela de mim mas o comportamento dela deixa me confusa pois não sei o que fazer ..tudo o que já disse ao pai foi o que a irmã a mãe dele já lhe disseram. .aconselhei a levar a menina pra o psicólogo. .espero que vocês me ajudem obrigada

    • carina

      bom dia, eu tenho uma enteada com perto dos 9anos, eu juntei-me com o pai dela, tinha ela 3aninhos , sempre tentei de tudo para ser amiga dela, dar-lhe presentes .. tudo para a mimar e fazer com que ela se adepta-se a mim… eu tambem tenho filhas elas adoram o meu marido e como se fosse pai delas respeitam , adoram-no . mas ao conntrario da minha enteada nem pensar.. peso para arrumar as suas coisas faz tudo mal, eu ensino mais de quantos vezes , mente muito , mal fala … nao sei que fazer . estou com uma depressao e nao esta a ser facil , lidar com ela, estou com o pai dela vai para 6anos e ainda nao se habituou as regras da casa ?? ja nao sei o que fazer 🙁

      • Duda

        Acho que o meu caso é o mais difícil. Eu e meu noivo nos conhecemos muito jovens namorados e ficamos separados por 4 anos. Nesse tempo ele namorou uma outra mulher e teve um filho com ela. Eles terminaram ano passado, e esse ano nós nos reencontramos e voltamos a namorar e hoje estamos noivos. A família dele não gosta de mim, eu não frequento a casa deles. O filho do meu noivo tem três anos, gosta de mim, eu também gosto dele, mas a mãe me odeia. Essa semana foi a festa de três anos do meu enteado e ela não deixou eu ir. Eu queria que meu noivo não tivesse ido, mas entendo que ele é o pai e deve estar presente nessas datas importantes. Mas é muito difícil quando a mãe da criança é imatura e reage dessa maneira. Ela posta indiretas no facebook. Com certeza quando o meu enteado crescer ela vai fazer a cabeça dele contra mim. Ele é muito agarrado com o pai e eu tenho medo de ficar em segundo plano.

        • Lanessa

          Sinto ter que te dizer, mais VOCE É SEGUNDO PLANO e sempre será até que ele não tenha mais o filho em vida e ainda assim sempre vai dizer que preferia a vida dele do que a sua. Sim, sao amores diferentes e eles sao do mesmo sangue, nao importa se a mãe é uma vagaba (meu caso) ou se é maravilhosa mais n deu certo (caso de um amigo) enfim, eu sou madrasta e conheço outras e te garanto, se coloque frente a frente com seu enteado e saira SEMPRE perdendo, é um grande desafio, mais a melhor parte do churrasco será sempre a dele e a segunda melhor parte, a sua. Acostume-se ou caia fora. Eu estou em conflito nessa decisao pq nao me conformo em isso ser pra sempre, mais infelizmente, me apaixonei por um homem vivido (q tem filhos) e devo aceitar (ou não)… e apesar de ser MUITO dificil, ainda não desisti pq apesar de os maiores carinhos irem para o filho, ele e uma criança e nos quem devemos (ou deveriamos) entender, e reconhecço que ele é um companheiro maravilhoso e pai maravilhoso tb… pena q nao fui eu a dar o primeiro filho e por isso passarei a vida toda sentindo ciumes e comparando TUDO inclusive o tratamento cm nossos filhos qndo tivermos. Não adianta dizer que não, sempre vai haver competições e ciumes…
          Bj

          • João Antonio

            Vivo com minha enteada desde que ela tinha 4 anos, hoje ela tem 19.
            Nunca dei uma bronca em minha enteada, sempre tratei muito bem, levava ela todos os dias pra escola, para passear nos parques e clubes, ensinei muita coisa como lições de escola, andar de bicicleta, dirigir carro, em fim tudo ou quase tudo que um pai faria a um filho.
            Por mais de 10 anos ela não via o pai dela, no início do ano o pai dela a procurou e eles tem se visto uma vez por mês.
            Minha enteada nunca tinha me falado um feliz dia dos pais, sempre respeitei isso e não achava ruim até o dia em que ela falou feliz dia dos pais ao pai dela(aquele que havia lhe abandonado e fazia mais de 10 anos que não via), nesse dia fiquei muito triste.
            Desde que seu pai apareceu não é mais a mesma, mudou muito seu comportamento, quase não fala mais comigo até do seu facebook ela me excluiu(ela acha que não percebi), evita ficar presente.
            Hoje posso dizer que aprendi uma coisa, não devemos criar muitas expectativas com enteados ou enteados, eles nunca irão nos amar como amam seus verdadeiros pais(aquele que fez).
            Filho não é aquele que criamos, filho é aquele que FAZEMOS e criamos ou seja só o da gente mesmo.
            Se for para ter um relacionamento com alguém que tenha filhos, temos que aceitar e a melhor coisa a fazer é manter o respeito e procurar se dar bem um com o outro, caso contrário procure alguém que não tenha filhos.

  61. Rita

    Sou divorciada á 5 anos, tenho 2 filhas 1 de 30 e outra de 28, ambas formadas e independente.Quando me separei me apaixonei por um homem da minha idade e maravilhoso.Tenho minha vida, meu apartamento e minha pensão e ele também.
    Fomos morar juntos, ele tem uma filha de 30 anos, já casada e um filho de 13 anos, que conheci com 9 anos. antes meu enteado só vinha finais de semana e morávamos numa praia maravilhosa. Como a mãe dele não cuidava de nada do menino ao ponto de sair a noite toda para baladas e deixar o filho sozinho.Incentivei
    meu marido a comprarmos um ap. mais prox. a cidade e pegar ele para cuidar.
    Fizemos isso.
    E minha vida se tornou um inferno.
    Meu enteado éum menino bom e carinhoso. So que a mãe não deu e não da educação nenhuma, eu ensinei e ensino muitas cisas boas a ele, cuido da casa, da alimentação, roupas e tudo o que eu posso.
    So que tenho limites.
    Meu marido não deixa eu me meter na educação dele.
    Ele passa todos os finais de semana com a mãe e quando vem. Socorro!
    Responde, faz provocações e é mal educado.
    O pai assina embaixo e eu peço para ele cuidar mais e conversar com ele.
    So que nao funciona muito.
    O menino nao gosta de estudar e é desorganizado, relaxado como a mae.
    Eu sou totalmente organizada.
    Já penso em ir embora daqui, mais amo muito meu marido e nos damos bem.
    Quando vejo que os problemas estão começando me isolo no meu quarto e fugo, dai evito atritos.
    A mãe do menino, parece a madrasta. rsrsrsr
    Ela não tem boa indole.
    Mas vou levando minha vida aqui, com jeitinho e cuidado.
    Bjosss em todas e boa sorte.

  62. Jéssica

    É normal uma criança se identificar de cara com a madrasta?
    Me relacionei com um homem que já é pai de garoto de 4 anos. O menino nunca tinha me visto mas assim de cara demonstrou confiança em mim. Brincou comigo e dizia coisas como. No carro do papai vai eu vc e o papai.

  63. reizina

    Tambem sou casada e meu esposo tem 2 filhos. Um com a mae e o outro com ele eu uma filha de outro casamento o nao sou maldrasta so tento educar da melhor forma como ele é adoledcente é muito dificil ja pensei em desistir so por causa do filho ele quer que eu eduque mas eu disse que ele tem que faxer isdo e eu so ajudo pois o enteado é muito desobediente quer queveu seja como empregada da casa dele e do pai e nao aceito isso e ai os conflitos vem pois meu esposo diz que eu tenho q educar uma filha de outro

  64. renata

    tenho casal de enteados,me dou super bem com menino q tem 16anos,mais já cm menina q tem 15anos não.ela e mto rebelte tento sempre agradala ela não conversa comigo,acho que tem ciúmes .tnho uma menina de 5anos ela n da bola pra irma.na€o sei mais o que fazer com ela;desisti de agrada€la

  65. Marisa

    Ola, li este post, e minha situação é a seguinte:
    no início eu e minha enteada nos dávamos bem, ela tinha 12 anos. amável. mas passando se os dias ela começou a me incomodar com sua falta de higiene, muita preguiça, não queria ajudar nos deveres domésticos e dizia a mãe que era feita de empregada. hoje ela esta com 15 anos, cada dia mais preguiçosa, cada dia mais “porca” já tivemos conversa, discussão e não adianta, já não aguento mais não sei mais o que fazer. eu não tenho mais falado, só que me fecho e fica só no básico da comunicação. me ajudem 🙁

  66. Paula

    Oi gente! confesso que fico bem tensa quando leio esses depoimentos. fico com muito medo do futuro, mas minha história é bem diferente da maioria, e ainda é “recente”.
    Conheci meu enteado quando ele tinha 6 meses. O meu namorado nunca teve nada com a mãe, nunca namoraram, familias nao se conheceram etc.. foi um casinho de poucas vezes e aconteceu. Hoje meu enteado tem 1 ano e meio.. nos damos muuuito bem! As vezes acho que ele confia mais em mim do que no pai. Sempre pede p vir comigo, até quando está no colo do pai ou dos avós.. enfim, como ele é tao pequeno, nao tem como demonstrar muita coisa ainda rsrs.
    tudo está correndo bem por enquanto.. pegamos de 15 em 15.. nao conheco a mae, mas gostaria de conhecer haha, meu namorado me deixa irritada as vezes! homens, em sua maioria, nao tem o menor tato para falar certas coisas, as vezes nao demonstram tanto interesse… resumindo: eu sou MUITO mais empolgada com o filho do que ele. Comprei os primeiros brinqueinhos p deixxar na casa do pai, roupinhas, fraldas, shampoo.. essas coisinhas pequenas. Nunca achei que tivesse algum extinto materno, até pq nunca convivi com um bebe.
    Mas tenho muito medo do futuro. Eu tenho madrasta, ja fui bem proxima dela, mas depois de diversas brigas com o meu pai, me afastei dos 2. Meu pai é uma pessoa muuuuito dificil. Ou seja, tenho certos traumas pessoais. As vezes penso que essa relação está fadada ao fracasso, que eu vou acabar me machucando muito em algum momento… vou me apegar a criança, e amanha ou depois posso nunca mais vê-lo.. é estranho. Entendem? Como faz? Nada ruim aconteceu ainda… mas ele é muito pequeno ainda. Fico pensando como que ele vai me ver na vida dele… nao quero substituir a mae! nao é essa a questao. Mas gosto tanto dele, e faço tanto por ele… queria ser importante tb 🙁

    • Paula

      opssss.. INSTINTO materno hehehe

  67. Danielle

    Boa noite, gente!
    Ainda vivo uma relação de diferenças com meu enteado. Mas, estou sempre lendo e procurando ajuda, pois é uma criança muito mimada. Encontro dificuldade na sua educação. As diferenças acabam abalando meu relacionamento com o pai. Mas, estou trabalhando e buscando soluções para tornar a relação mais leve!

  68. candida

    Esta impossível agora deu para leva-lo dormir na nossa cama.chego cansada de um dia cheio de trabalho. Depois de eu ter posto o nosso menino a dormir vem ele trazer o dele para dormir connosco em nossa cama. Nem no meu quarto tenho privacidade.
    O que faço?

  69. Priscila

    É difícil tudo o que estou passando, mais vou tentar seguir seus conselhos!

  70. mirvane

    Tenho 27 anos é namoro com um homem de 35 , a filha dele não me aceita, so saímos juntos apenas uma vez e ela já não quis mais, na verdade ela pensa q eu fui culpada da separação por isso a bronca maior, pq não fazia muito tempo e já começamos namorar, sendo q a mãe dela tbm começou logo , é não sei o q fazer para me aproximar, quando ela fica com ele as vezes não podemos nos ver e isso é ruim, hj ele quer sair nos 3 juntos mas não sei se ela vai querer, é piir não sou muito de conversar , esse é meu jeito, é não sei nem como agir.

    • mirvane

      Ah e a filha dele tem 16 anos.

  71. Jucele

    Bom… Quando casei com meu marido ele tinha dois filhos e eu uma, um veio morar com a gente e não adianta! Longe do pai ele é um e perto outro totalmente diferente! Eu até estou pensando em divórcio pois a situação chegou ao extremo. Minha filha é bem mais nova que ele e ele a maltrata! Quando chego contar pro meu marido ele não acredita em mim e ainda diz que minha filha é muito mimada! (Minha filha tem 3 anos e meu enteado 8) e as vezes os dois provocam ela tirando sarro e dizendo que ela é muito chorona!

  72. Soares

    Eu sou Homem tenho o mesmo problema que vocês, porem tenho certeza que essas mulheres que falam que jamais se envolveriam com homens que tenham filhos de outro casamento vive no mundo de conto de fadas, na vida existe milhares de possibilidades e nada é 100% do jeito que queremos, sempre que ganhamos algo, perdemos outro,se eu fosse mulher e me casasse com um homem que não tem filhos,experiencia e tal, com certeza a possibilidade de ter problema com traição, abandono ou até eu acabar sendo largada com filho no braço seria bem maior, claro que é relativo tudo isso, porém a madrasta que tem um homem fiel(Difícil mais tem), companheiro,amoroso e já é um ótimo pai, tem que pensar que o fato de ter que conviver com um filho de outro relacionamento pode ser encarado com um fato cotidiano e que ambos tem a responsabilidade de impor os limites e mudar a visão de que a Madrasta é a vilã, por que isso foi programado pelo mundo, pelas historias,religiões,desenhos infantis e pela a sociedade em si, então parem de se fazer de vitima ou de dizer que jamais casaria com alguém nessa situação porque algum dia vocês podem desejar que algum homem possa acolher seu filho sem demagogia e sim como um desafio a superar, em nome de um amor sincero, é isso que tento passar para minha esposa, e jamais coloco minha filha de 4 anos na frente do casamento, a dona da casa e minha mulher minha filha é uma criança e tem que aprender a respeitar os mais velhos independente se é madrasta ou não isso é o importante o resto é natural e consequência, então lembre se com amor e sinceridade você pode ser quem você quiser não é uma criança que vai controlar as emoções e o rumo de uma casa, hoje o problema maior é os adultos, Pais que deixam se dominar por ressentimentos e pena da criança e colocam tudo a perder e Madrastas Egotistas e infantis. !!! Só acho.

  73. patricia carla silva santos

    também sou madrasta, e me identifico com todos esse comentários

  74. Jacyelrycka de Sousa silva

    Olá tenho um enteado que é horrível de se lidar com ele. Ele é mal educado, desobediente, ignorante, entre outras coisas… Já tem 1 ano que ele mora com o pai dele. E isso me faz ter muito medo de meu relacionamento terminar por culpa dele. Pois ele me provoca na frente do pai dele só para começamos a discutir. .. Já n sei mas o que faço. Por favor me ajudem.!

  75. Ariane

    CONCORDO ENTRE PARTES. NÃO SOMOS OBRIGADAS A ATURAR CERTAS FORMAS DE CRIAÇÃO, EDUCAÇÃO QUE ESSAS MÃES DESNATURADAS DÃO AOS SEUS FILHOS.

    • yonne

      Gente!

      Amei a resposta da Renata, é bem isso mesmo. Na maioria das vezes o problema é a mãe dos filhos de seu esposo ser uma pessoa frustada e por mais que vc tente dar o melhor de si, eles sempre irão ficar do lado da mãe. O pior de tudo é que não é um relacionamento de pai e filho tão saudável assim depois da separação pq existe sempre o leva e traz de notícias que enche a paciência de qualquer pessoa. O que mais me incomoda é minha vida, minhas escolhas, minha casa, e minhas conversas serem de certa forma exposta para a mãe dos enteados: entendem.? e a presença dos filhos tira a privacidade SITUAÇÃO MUITO CHATA meu marido é uma pessoa maravilhosa, porém é difícil demais conviver com o casal de filhos que ele tem. No meu caso 50% dos problemas se resolveram, eles foram morar com a mãe deles e foi um alívio muito grande, porém quando estão presente é o pior dia da minha vida, sempre… é uma eternidade o dia não passa.

  76. Kelly

    Oi boa noite. Meu marido tem uma filha de 3 anos estamos juntos a 1 anos só que ele não quer que eu me aproxime da menina, tipo os finais de semana que agente podia fazer um passeio algo parecido ele nunca deixa eu me aproxima da menina. Isso me faz eu me senti mal. Não sei o que faço nessa situação. Queria tanto começar ter um bom relacionamento com ela. Amo crianças isso está me magoado bastante e já está até atrapalhando no meu relacionamento. O que faço me ajude.

  77. Marcos

    Minha enteada o pior…. Rouba minha coisas, da mãe, das amigas e das minhas sobrinhas, mente, só quer saber de beijar, e a mãe diz que isso é normal, vai mal na escola….falsifica nota é nossa assinatura… Até o psiquiatra não quis mais cuida dela, ainda vai na psicóloga mas não muda…….. Meu relacionamento anda de mal a pior, tenho uma filha de um ano…. M
    Não sei mais o que fazer………

    • anonimo

      bom gente sou casada a dois meses e meu marido tem um filho de apenas 3 anos o pequeno ficou com certo receio de ficar comigo apos eu ter me casado com o pai dele , antes quando namoravamos ele ficava comigo numa boa quando me casei que a mae dele ficou sabendo apos isso o menino passou a frequentar minha casa mais não queria mais chegar perto de mim e com tudo não deixa nem eu chegar perto dele acho que a mae dele deve ter falado alguma coisa pra ele mesmo tão pequeno deve ter entendido. tambem tenho problemas com meu marido em relação dele ter que ficar ligando para ex para saber do filho isso me encomoda bastante porque ele faz escondido não me conta e eu sempre acabo descobrindo isso me deixa com raiva pois acho que eu por ser esposa dele ele deve me contar que ligou para saber do filho porque a ex sempre adora ter um motivo para infernizar minha vida eleme escondendo isso da motivos para eu desconfiar dele e ficar com raiva da situação. ela e uma pessoa problematica meu esposo pega o menino de 15 em 15 dias por ordem judicial so que nem sepre ele pode pegar nesses dias pega antes ou depois para nao deixar de pegar e ela sempre faz graça quando o menino vem ela inventa que vai pegar de novo porq vai ter que sair e nao sabe se vai estar em casa a tempo para devolvermos o menino a ela so que agora ela esta gravida e agora sim ela vai querer empurrar o menino para ficar com a gente as vezes fico perdida porque so tenho 20 anos e meu esposo 30 anos fico sem saber lhe dar com certas situações porque ele não joga limpo comigo omite muitas coisas para não me contar porque ligou para a mae do filho dele fico sem saber como agir com isso e quando ele vai para minha casa aos fins de semana fico sem saber como agir com ele porq não sei qual vai ser a atitude dele comigo!!

  78. Oi Renata boa tarde tudo bem?

    Bom, você estando na posição que esta, sem dúvida acredita que boa relação com a madrasta é tudo, porém, tem uma coisa que aconteceu que me deixou sem chão, sou casada a 5 anos, e meu marido tem uma filha de 9, ela sempre me aceitou bem, sempre foi muito querida comigo e a recíproca é verdadeira porque das 10 coisas que você diz no seu texto, todas eu sempre fiz com ela, então tranquilo.
    A mãe dela, esta com câncer de mama e precisou retirar as mamas e colocar silicone, tratar enfim….eu e meu esposo demos total apoio a ela, porém, a minha enteada me surpreendeu no banho noite passada, dizendo bem baixinho que sente vergonha da mãe ter “bichinhhos”….me pegou de uma tal forma que fiquei sem reação, e senti o quanto ela estava perto de mim e muito mais colada, não queria desgrudar de mim, não sei como agir nessa situação, vc estando do outro lado, saberia me indicar alguma reação que devo ter, além de falar pra ela tudo que eu disse que é óbvio….. sua mãe tem isso porque é corajosa, forte….sua mãe é batalhadora, enfim eu falei tudo que podia, mas daqui pra frente como eu devo agir numa situação dessas?
    Desculpe o desabafo.
    Obrigada

  79. Paula

    E faciL falar dificil e sentir na pele .meu marido tem dois filhos e sao meninos o de 14 anos mim sao filhos de mulheres diferentes o de 14 mim aceita e respeita mas o de 6 anos e um nojo quando eu mim casei com o pai deles o mebo tinha 4 anos foi regeitado pela mae e ela dixz que nao queria o menino pir nada mas quando viu que o menino tava grande e bem tratado resovel pertuba a paciencia ela deu o menino para meu marido soque ele entregou para a mae dele cuida ele nao queria trazer o menino pra mora com nosco pq o menino era muito rebeude tou acustumada com criancas todas sempre gosta de mim mas ele Nao diz que eu sou ladrona robei ele e o pai da mae dele ele nao aceita o irmao 14 fala que ele e indiota burro e varias coisas mas grita com todos e ate msm com o pai .quem ver ele jura que a crianca mas calma mas se passa um dia com ele ja passa a repudir as atitude dele doir se odiada por um crianca amo o pai dele so que nao suporto mas as coisas que ele faz ru fiz um festa de aniversario para ele .e saber oq ele falou bruxa para de tenta mim agrada eu nao gosto de vc .vc faz isso pq e tua obrigacao gosta de mim e ainda sorriu de mim nao sei mas oq faze mim ajudem

  80. isabel

    Boa tarde!

    Não sou uma má madastra, só não gosto quando meu marido me obriga a pegar e levar o meu enteado na casa dele (enteado), acho que não tenho obrigação. O que é de minha competencia é tratar bem, me ajudem.
    Gostaria que voces me digam se é realmente minha minha obrigação pegar e levar e tambem ficar tomando conta dele quando o meu marido sai para trabalhar ou beber.

  81. Marisa

    Qd os enteados são crianças , é sempre mais fácil. Eu já comecei um relacionamento com enteados adultos. Nunca me aceitaram e antes de me conhecerem já me rejeitaram. Hj já são casados e com filhos, mas nossa relação não mudou muito. Mesmo depois de quase 14 anos me tratam com certa frieza, como se eu tivesse feito algum mal. E a enteada ainda é espacosa, exigente, chata e mandona. Acha q é dona da verdade e sabe tudo . É difícil conviver com uma pessoa tão arrogante e presunçosa ! Fico sempre na minha, mas nem assim tenho paz.

  82. Cristina

    Sou casada há um ano com um homem que tem 2 meninas de 9 e 15 anos. Sempre tivemos uma relação boa e harmoniosa. Elas começaram a me chamar de mãe logo no início, apesar de conversar com elas e falar que a mãe delas poderia ficar chateada, mesmo assim elas insistiram. Eu falava para todo mundo toda orgulhosa sobre o fato de me relacionar tão bem com as filhas do meu marido. De uns seis meses para cá alguma coisa mudou, elas continuaram a me chamar de mãe, a demonstrar carinho somente na frente do pai, a não conversar mais, me olhar de um modo estranho, porém sem reclamarem nada para o pai ou para mim. Achei estranho mas concordei com meu marido que era por causa da fase de adolescencia, do ciúme natural da filha com o pai. Comecei a não gostar mais dos fim de semana que elas vinham, pois ficavam o tempo todo caladas esperando que eu fizesse a comida, o café, etc.Em nenhum momento as maltratei, mas também não me sentia mais a vontade com elas. Até que um dia desses a mãe delas me procurou e disse que estava preocupada, pois elas falavam coisas monstruosas a meu respeito, que o pai delas estava as obrigando a me tratar como mãe, que eu obrigava elas a comerem comidas que não gostavam, além de contarem tudo o que falávamos em casa, entre outras coisas. E ela falou tudo na frente das meninas, deixando-as totalmente sem graça, pois la em casa elas, principalmente a mais velha, falavam muito mal da mãe com o pai,e que queria morar com a gente. O problema aqui, ao meu ver, é o modo de como elas foram manipuladoras, apesar da pouca idade que têm. Depois dessa eu vi que não da para seguir uma receita de como se relacionar bem com enteados, que cada caso é único.

    • Perla

      Ola !

      Tenho 38 anos e tive um relacionamento de 15 anos com um enteado que na época tinha 15 anos .Claro que no início ele me olhava de um jeito estranho mas dei tempo ao tempo e aos poucos ele foi ficando amigo um menino lindo hoje um homem maravilhoso. Eu realmente me apeguei a ele . Nos víamos pouco pois ele morava com a mãe há 700 km de distância e quando nos víamos era sempre muito bom . E a mãe dele também uma grande mulher .
      Bem … agora estou e outro relacionamento há 9 meses e com 2 enteados. Um de 13 e outro de 14. Eles passam um final de semana sim outro não conosco . São muito educados e comportados ,estamos nos conhecendo é uma fase de adaptação . Seus pais estão separados há 3 anos e foi uma separação dolorosa para eles. O pai é muito cuidadoso com os filhos . Acho que o respeito e compreensão é a chave para um bom relacionamento . O que eu não quero que façam com meu filho , não faço pros filhos dos outros .
      Tenho um filho de 20 anos fruto de uma relação aos 16 . o pai foi ausente na vida dele que agora aos 20 tenta aproximar mas não está conseguindo . Afinal a gente colhe o que planta . meu filho foi criado com muito carinho por mim e pelo meu ex e o considera como pai , a relação dos dois é de pai e filho tanto que neste meu novo relacionamento meu filho está com ele, apesar de ter nossas portas abertas para quando ele quiser.
      A relação dele com o pai foi destruída pela madrasta , que é a pessoa que está com o pai biológico desde que ele nasceu . Quando era pequeno , 4 / 5 anos eu deixei algumas vezes ele ir pra casa deles . Sempre que ele voltava ele contava que a madrasta o tratava mal . Cara feia , declarava que tudo que tinha dentro da casa dela era dela e do pai dele , coisas deste tipo (mesquinharia desdém ) . Eu tentei alertar o pai dele ,porém ele disse que criança inventa coisas e que o meu filho era mimado . Bom … o mimado cresceu , poucas vezes voltou a casa do pai por vontade própria e a relação com a madrasta não era nada boa . Meu filho sempre foi respeitoso , mas ela é amarga . Se trancava no quarto quando ele cresceu ela não poderia mais ameaça lo pois o menino tem 186 de altura kkk. Bom resumindo . O pai nunca mais consegui aproximação com o filho , e hoje se arrepende amargamente . Ele não sabe o que ele perdeu . Um garoto maravilhoso que todos amam. Trato muito bem meus enteados , espero que nossa relação seja maravilhosa como foi minha experiência anterior .

  83. Priscilla

    – Pois é sou `boadrasta’ pois minha enteada me chama de mãe isso é o meu orgulho só meu enteado é mais ciumento pois eu e a irmã dele somos bem proxima uma da outra e é dai que surge o ciumes sou muito feliz grata 😀

  84. barbara modesto

    eu sai de um relacionamento de 10 anos pois minha enteada me odiava e por mais que eu colocasse tudo que foi relatado acima eu nao consegui conquistala mas creio que nao e impossivel tem que ter muita fe em deus e paciencia de jo
    pretendo conhecer outra pessoa solteira ou viuvo que seus filhos sejam ja adultos e de preferencia casados
    felicidades para todos

  85. roberto dias

    estou com dificuldades no meu relacionamento com minha esposa, a filha foi criada cheio de dendo, com babá. agora já tem 15 anos e tem o dominio sobre sua mãe. Maus costumes que ela trouxe, não mim obedece. Não seio mais o que fazer, se mim separar a culpa é da menina. Faz até teatro quando discutimos se tranca e faz que está chorando. Seria uma boa atriz na Globo, Record etc..

  86. julia

    Tenho um enteado eu e o pai asumimos tudo cm colegio,trasporte, alimentaçao, e a mae nao nos ajuda em nada quando o pai do miudo lhe manda sms a cobrar mesada ela diz que homem nao pode cobrar mesada e nunca é dado mesada porque é pai.

    • JACI

      Concordo este texto so mostra do lado da enteada, a madrastra por sua vez e humana , na pratica e diferente.
      eu me casei, e meu companheiro ja tinha um filho de um outro relacionamento…logo depois fiquei gravida de uma menina.
      Não tenho uma boa convivencia com meu enteado, ele e mal educado, bruto , boca suja, e ainda tenho que aguentar as maldades dele com a minha bebe , o pai acha ruim quando eu fico magoada com as brutalidades dele com a nossa filha, ou quando ele faz uma malcriação ele diz que e coisas de crianças mas no entanto nao tem este tipo de pensmento quando e ao contrario e quem aprontou foi a minha bebe.
      estou prestes a ter uma ataque de nervos, pois prefiro ficar calada e ignorar do que entrar em conflito com meu esposo, porque sei que alem dele nao gostar ele acha que sempre exagero , estou de um jeito que fiquei traumatizada em sair em companhia dele, pois onde vamos e o lavamos, ele apronta, e mostra má educacao, so passo vergonha, ele acha que sou empregada dele se faço algo como pegar um copo d’agua pra minha filha ele, ja grita e exige o dele porfavor nao existe no dicionario.
      Tem dias que quero um pouco de paz e aproveitar, e descansar a cabeça… sair eu e meu marido e nossa filha, mas lá vem ele com meu pesadelo, querendo arrastar…acho que isso e culpa dos pais por nao imporem limites e achar que nos mulheres somos obrigadas a aguentar tudo… sou um ser humano, coisas que ele fala me machuca, tambem nao gosto de ver minha filha ser humilhada dentro da casa dela pelo filho de outra mulher ou ser saco de pancada e eu para nao brigar ter que ficar calada e aceitar e ter que trancá-la comigo no quarto para nao ve-la mais chorar.
      estou desesperada nao sei mais como lidar com este tipo de situaçao, se pudesse voltar atras acho que voltaria, nao desejo este tipo de vida para ninguem.

      • debbie conselheira

        eu queria ver quem escreveu esse post comentar comentários como este teu, jaci.

        tudo muito linnnnnnnndoooo na teoria, mas na prática… na prática é OUTRA história.

        vejo pais (principalmente os homens) tentando COMPENSAR o sofrimento dos filhos dando tudo o que eles querem e permitindo tudo também, só pra serem vistos como “bons pais”.

        isso é compra, não é amor genuíno.

        e nessas, a madrasta fica em uma sinuca de bico, não sabendo pra onde correr, se sentindo mal dentro da própria casa!

        queria ver um comentário sensato das donas deste blog em resposta a uma madrasta desesperada como esta.

        fácil falar…

  87. CSI

    Quando o texto diz que devemos pensar que o final de semana irá terminar e tudo voltará ao normal, para mim não é assim. Minha enteada veio morar conosco há 3 anos. Ela tinha 9 e veio morar conosco em razão da relação maravilhosa que sempre tivemos e de todo cuidado que eu tinha com ela e a mãe não. Ela mesma dizia isso, com apenas 7 anos. Meu marido é maravilhoso para mim, mas como pai deixa muito a desejar. É negligente e omisso assim como a mãe dela. Para eles, quanto mais tempo ela passar na rua brincando, melhor. Não se importam com nada e não educam, não dão regras e nem limites. Eu que direciono meu marido a comprar o que ela precisa e comprar coisas de qualidade porque por ele, é sempre o mais barato. A mãe mal dá 5 reais para ela comprar bala. Se ela estuda hoje numa escola particular é por conta de muita briga minha com meu marido! A mãe e eu nos falávamos, só o básico, mas hoje nem isso, porque eu levei ao conselho tutelar o massacre que ela fazia na cabeça da criança com chantagens emocionais e ela sofria muito. Pedia a ajuda da mãe com os estudos dela quando ia passar o final de semana lá, mas nunca recebi apoio e tudo que ganhei foi um texto desaforado no face dizendo que quem sou eu para ensiná-la como cuidar da filha… A filha, tem dificuldade de me respeitar e obedecer, mas demonstra muito amor por mim, às escondidas, porque tem medo ou receio que a mãe saiba desse sentimento. Na frente da mãe, me despreza. Ontem me disse que preferia que eu me relacionasse com seu pai, que é meu marido e a deixasse viver sob as regras deles (que é nenhuma), porque na verdade para ela seria muito conveniente. Que criança não quer viver solta? Estou tendo muita dificuldade de lidar com tudo isso. Não sei qual o ponto de equilíbrio entre fazer e deixar de fazer… Só um milagre!

    • Adriana Oliveira

      Gostei muito das suas considerações. Tenho um enteada de 11 anos. Acontece que eu não fico infernizando a vida dela e ela também não inferniza a minha. Não faço economias com as coisas para ela. Quando ela quer passear incentivo o pai dela a fazer isso. Procuro cuidar dela como se fosse minha. Mas não quero ela morando na minha casa. De jeito nenhum. Não a odeio, não tenho nada contra ela. Tenho numa filha especial que toma todo o meu tempo, quero ter outro filho. E a família do meu marido fica me infernizando para não ter. Não por causa da minha filha tenho certeza que é por causa dela. A menina morava com a mãe. Mas de tanto as tias falarem mau da mãe e ficarem fazendo comparações. Toda vez que a menina vinha passar as ferias na casa da avó eu ouvia comentários a respeito da mãe dela. Não acho que a mãe dela seja uma boa pessoa. Mas a vida que a menina leva com a mãe é totalmente diferente da vida aqui. Aqui ela faz vários passeios, viaja, tem um quarto só para ela.Isso tudo sobre os cuidados da avó. Aqui a avó ate corta a mistura no prato dela ate hoje. Enfim resultou que a menina fez uma denuncia de maus tratos da mãe.Meu marido foi obrigado a pedir a guarda dela. Isso sem me comunicar. Quando fiquei sabendo já tinham feito, Mas entre eles havia ficado certo da menina ir morar com a avó. Mas como nem tudo são flores, a avó não consegue tomar conta da menina, pois minha enteada não obedece mais. Portanto querem jogar para o pai, consequentemente para mim. E eu já havia dito que não queria. Não gosto da presença dela aqui. Estou com medo de tomar ódio dela por causa dos adultos. Estou pensando seriamente em acabar meu casamento por causa disso.

  88. jessica

    Oi tenho uma filha de 5 anos e uma entiada de 8 anos sou casada a 2 anos e minha relação com minha entiada não é muito boa pois todo final de semana q ela vai p minha casa ela q fic chamando a atenção do meu marido e me provocando tento não dar bola mas não consigo pois sinto muito ciume do meu marido com ela sei q ela sente a falta dele e eu queria e preciso de ajuda p controla este ciume pois sei q ele me ama muito e como ele disse amor de filho e diferente do amor q ele senti por mim sou esposa ele sabe lidar bem com minha filha e eu tambem queria saber lidar em ter uma enteada tenho 24 anos é a primeira vez que estou vivendo com um homem que tem filho ja pensei em até engravidar p nos termos o nosso filho pois até então cada um tem o seu. Por favor se alguem poder me aconselhar estou de coração aberto para receber ajuda

  89. Mary

    Olá,estou numa situação tão chata meu enteado agora está com 15 anos quando casei ele estava com 11 e meu marido tem a guarda dele. acontece que meu marido é do tipo de pai que faz todos os gosto do filho talvez por ser filho único eu optei por não ter filhos, a gente se dá muito bem graças a Deus nunca tive problema com ele e faço o papel de mãe em absolutamente tudo de médico á reuniões escolares até arrumei uma bolsa de estudo p ele, pois ele joga basquete pela escola. No começo de 2015 ele arrumou uma namorada e o pai dele aceitou numa boa eu sempre disse que não ia dar certo pois era muito cedo para assumir compromisso até aí tudo bem, mas de um certo tempo pra cá ele está mentindo muito p o pai dele e não sei como agir, ele sai dizendo que vai treinar e vai para a casa da namorada chega tarde da noite em casa sendo que ele sai cedo do treino e o pai dele acredita em tudo que ele fala e diz que confia muito nele e que tem certeza que ele nunca mente e isso está me deixando revoltada, porque eu sei que ele está mentindo eu até já tentei alertar-lo mas ele sempre acaba acreditando no filho sem falar que ele trabalha em outro Estado e joga toda responsabilidade em cima de mim, não sei mais o que fazer para me livrar dessa situação não acho justo dele está fazendo isso sendo que o pai dele não merece, mas também não quero me meter porque ele sempre convence o pai que é o melhor filho do mundo eu considero ele como um narcisista se acha o melhor em td e de todos e o pai patrocina tudo isso,mas isso está me fazendo muito mal.Espero que o pai dele caia na real e veja o que realmente está acontecendo ao redor dele.

  90. Ernesto

    ucha Lil, gostei muito de seu comentario. Mas a minha madrasta nao é assim, eu mesmo fazer tudo k ela ker nao adianta d nada. pork ela é muito má. kuando xto em casa mirepara com 5 olhos kuando saiu finz parer ke xta zangada e meu pai quando larga do serviço ampilía muita coisa para ele nem para cumer é nuito difícil do jeito k ela mi olha

  91. Cricri

    Tenho muita dificuldade em aceitar as filhas do meu marido apesar se saber que elas são muito difíceis por causa dele(aceita tudo oque elas fazem e elas se aproveitam disso. Se interessam pelo dinheiro dele é nada mais) porém o texto me ajudou muito abriu meus olhos para alguns detalhes importantes, parabéns e obrigado!

    • Carla

      Boa Noite pessoal!
      Todos nós que somos madrastas e padrastos temos desafios todos os dias não é mesmo!
      Só quem está no problema sabe o que passamos!
      Sou muito grata a Deus por ter conhecido meu marido, ele é uma pessoa muito especial e não tenho dúvidas de meu amor por ele!
      Acredito que tudo fica mais fácil se seu parceiro ( o pai das crianças ou a mãe ) impõe limites pras crianças, já que não é sempre que podemos dar nossa opinião, educa los como fomos educados. Porque quando vc é a mãe verdadeira vc pode sair do salto com as crias… dar uma de louca de vez em quando, rsrsrs
      Mas como somos as madrastas!!! tudo fica mais difícil e vc tem que engulir a seco 99% das vezes.
      Pois bem… fazem 7 anos que casamos, meu marido e eu ambos eramos divorciados, não tive filhos e ele 3 lindas meninas…ok, eu sabia disso mas não falamos em trazer elas pra morar conosco. A mãe delas com a separação deles começou a aproveitar a vida adoidado…se é que me entendem…teve outro filho com um parceiro que não ficou com ela, dávamos assistência para as meninas, pensão, mas muito incomodava meu marido a situação da ex, porque passava noites fora…deixava as meninas sozinhas…e bla bla bla. Então com 1 ano e 8 meses a filha mais velha veio morar com a gente.. a principio achei legal…depois de 6 meses as gémeas vieram…concordei pelo polo sofrimento de meu marido…enfim…já fazem 5 anos e meio que elas vivem com a gente, a mãe mal dá bola pra elas, já passou até 5 meses sem visitar, sendo que moramos na mesma cidade. Eu digo com experiência que não é fácil, a mais velha sempre vive de cara feia, não aquento mais engolir tanto sapo. Elas me respeitam, mas acabo me fechando pois não gosto de chamar atenção delas… mas peço as coisas quando não está certo.A de 17 sempre foi muito relaxada, as roupas jogadas me incomodam…toalha molhada, roupa atras da porta…percebo que ela me evita… espero que um dia ela reconheça que quando sua mãe não quis ela, eu estendi a mão, mas acima de tudo isso tenho um marido carinhoso, que impõe limites pra elas e sempre está de meu lado, ele percebe quando a mais velha está de cara feia e já pega no pé dela, inclusive dá castigos e diz pra ela se indireitar que ele não aguenta mais…sempre está emburada com tudo…aff.. não é fácil…e o mais incrivel de tudo é que a ex diz como eu consigo amar elas se ela não aguenta os enteados dela (dois meninos).
      Então pessoal não é fácil o que passamos, devemos amá-los sim…mas as vezes dá vontade é de chutar o pau da barraca, e dizer: arruma tudo e vaza com a tua mãe!!! Mas respiro, fico sozinha… deixo pra conversar o outro dia… falo com meu marido…ele chama elas sem saber que eu pedi, e assim estou a 5 anos, matendo um leão quase todos os dias…
      Um abraço a todos e boa sorte!

  92. alessandra

    adorei as dicas, mas estou passando por um problema muito serio, minha enteada naõ gosta de mim só sabe falar mal de mim, dizendo que eu destrui a familia dela sendo que qndo conheci meu marido ele já era separado ha 3 anos! a menina tem apenas 7 anos e fala coisas absurdas, ela não tem modos e nem educaçaõa ta sendo criada pelos avós o pai é um pouco ausente naõ convive com a menina. Mas nunca interferir na educaçao que ele da pra ela!ma ta dificil lidar com isso eu não tenho filho e nem quero cuidar do filhos dos outros, tenho pavor da filha dele não gosto dela a últma vez que ela ficou em casa fiquei muito nervosa minha pressão ficou alta ela me falava horrores pra mim , muitas vezes as brigas aqui em casa que tenho com meu marido é por causa dela! NAO sei mais o que fazer amo meu marido mas se for pra viver assim futaramente é separaçaõ.

  93. bruna

    Boa Tarde,
    me chamou bruna, tenho enteado morro de ciúmes dele.
    como posso parar com esse sentimento ruin

    • Adri

      olá, sou casada a 4 anos, meu marido vem de um casamento com filhas. Li muito sobre o assunto’madrasta/enteados/marido x pai’ enfim, altas teorias, porem no momento da vivencia se percebe as lacunas. E minhas dificuldades é com meu marido em 6 meses para cá estamos passando por conflitos devido a foma de vivencia com a enteada de 16 anos. Há duas questões a vivencia em nossa casa onde que a mesma é tratada como BB porem o mesmo questiona a filha frente a suas ações com a mãe em assumir funções do dia a dia, porem em minha casa isso não se faz necessário isso me entristece muito outro fator é a questão financeira, dentro do legalidade defendo que seja cumprido, porem as demais demandas deve ser avaliadas e planejadas, mas isso é respondido e encaminhado em 24hs. Já fizemos até analise mas ele não encarra que a filha já é uma adolescente e que temos que ter ponderação da questão financeira, pois somos um casal o qual deveria ter um planejamento conjunto das ações R$. Busco reflexões que me auxiliem em não acabar com meu casamento devido esses conflitos.

      • IONE MARIA DE OLIVEIRA

        Nina, bom meu filho tem uma madrasta que graças a Deus o trata bem. O fato é que ela as vezes fala umas coisas que o deixa meio triste, diz pra ele não chamar de tia pq é mãe dele tb, e isso direto a última vez que se viram perguntou se ele queria morar com eles. Ele tem 7 anos e ficou meio trisre achando que querem tirar ele de mim, digo pra ele não ligar que ele é lindo e todo mundo quer ele , mas vejo que isso tem mexido de forma ruim com ele, fica meio chorão e grudado demais em mim. Detalhe que não incômodo o pai dele com nada, ele manda a pensão e o resto não falo com ele quase nunca, como a mulher dele tem muito ciúmes dele qdo ele vai ficar com meu filho deixo meu filho na casa da avó e o pai pega e devolve lá, então realmente não entendo essas atitudes.

  94. [email protected]

    Olá, preciso de ajuda de vocês com uma certa urgência. Tenho um enteado agora com 25 anos. Mora conosco desde os 10, tinha um bom emprego resolveu deixar e ir embora morar com a mãe. Agora depois de 1 ano ele resolveu voltar, dizendo que queria trabalhar em qualquer coisa e voltar a estudar. O tempo tá passando e eu estou cobrando este trabalho em “qualquer coisa”, tive uma conversa com ele e tive a resposta que ele voltou pra estudar. Então perguntei a ele como você quer fazer faculdade sem ter um trabalho? Pronto, ficou chateado. Eu trabalho praticamente sustento sozinha a casa, o meu marido é autônomo e com a crise atual, sobrou pra mim. Agora eu sinceramente fico incomodada com a falta de atitude dele pra arrumar um emprego. Me ajudem, por favor. O que faço?

  95. adriana

    olá boa tarde!
    Li o texto e cada depoimento.
    De uma maneira ou de outra, vou ser sincera, é muito difícil convivência de enteados e madrastas, se é para o pai ,ás vezes, imagina com as madrastas e padrastos.
    Eu estou passando uma situação bem difícil, ainda não consegui saber se realmente é ciúmes do guri, ou meu.
    Pois bem, ele mora com a gente, sendo assim, tem o quarto dele, amigos em volta, tablet, internet.
    Mas não gosta de ir pra casa da mãe dele, mas há um porém, está sempre reclamando de tédio quando ficamos com ele aos finais de semana, sempre acaba em brigas o final de semana, ele não respeita o pai dele, responde, é mal criado, não aceita não de ninguém, bate porta, não ajuda em nada.
    Ai vem a minha parte, dou regras , pra brincar, pra entrar na internet, pra tomar banho, enfim, mas não acontece como eu quero, popis o pai ás vezes aceita, ás vezes não!
    Sendo que o pai, conversa muito com ele, explica tudo, diz que ele tem duas famílias, que tem irmãos, que tem tudo…, dá carinho, ajuda ele nos temas.

    Ai eu me pergunto, quando é assim, que estamos fazendo de tudo pra dar certo, mas a criança não se contenta com nada, como fazer? onde estão os erros?

  96. CELIO SILVEIRA PINTO

    Tenho 75 anos estou morando há 4 anos com uma pessoa que tem 44 anos, muito dedicada e atenciosa comigo. Tenho um enteado de 16 anos, muito paparicado pela mãe, avó e tia, fazer o gosto do menino ele é uma pessoa boa e me respeita bastante, mas não respeita a mãe teve outra educação da que dei aos meus filhos já casados, ele não gosta muito de estudar, só quer olhar TV e usar o celular, isso me irrita bastante.Foi casado 48 anos e fiquei viúvo. Gostaria de ter umas orientações para ajudar educa-lo.

  97. iiiiii

    eu tenho um intiado e a mae dele foi embora e deixo com o pai, faz seis meses e quando tudo aconteceu passou pouco tem eu conheci eles, so que antes ele tinha muito ciumes e agora nos estamos bem proximos, mas tenho medo de quando essa mae chegar, quando ela liga todos ficam estranhos comigo tando meu namorado quando ele, ela se faz de vitima para chama a atenção. o que faço para que ela nao segue uma sombra para nos.
    .

  98. leide

    Me add 71 981140067

  99. Ana Beatriz

    Eu gostaria de saber o que se fazer quando a guarda e do pai, e a criança e presente 24h por dia e o pai nao consegue administra o relacionamento com a esposa.

    • Rafaella

      Tenho 30 anos e meu namorado tem uma filha de 16 anos. Não temos uma convivencia diaria mas sempre que nos vemos a situação é agradavel e quando nos falamos por telefone ou zap também. Já a mae dela….Parece que ela que é a adolescente da historia, se eu fosse entrar nas provocações dela. No aniversario de 15 anos da menina ficava falando em alto e bom som a titulo de me provocar ”vem filha tirar foto com papai e mamae” como coisa ”eu tenho algo eterno com ele, vc nao”. É ridiculo, acho que o fato tambem dela nao estar namorando e ver o ex com alguém contribui para atitudes assim. Mas vamos levando !!

  100. tatiana

    sou madrasta de um menino. Peço a Deus que me de paciência, pois não é tão fácil assumir esse papel.

  101. Aline

    Esse texto demonstra que a culpa de uma relação ruim é toda da madastra…assim fica muito injusto. E quando vc faz tudo que é necessário e observa que a enteada é simplesmente má. Abusa do pai, dos avós pelo simples fato de demonstrar poder…dissimula falas, nunca tem intenção de ofender ou destratar. Não aceita presentes da madastra, recusa até a comida, vive de um sarcasmo que beira mal educação. Apenas me separo, qual a parte que o pai tem direito de recomeçar a vida,sem o egoísmo do filho.

  102. Mariana Guedes

    Disso entendo bem,
    Sou madrasta de 3 meninos (2 do primeiro casamento e 1 de um namoro),os conheci com 3,6 e 9, nem sempre foi fácil mas hoje eles tem 9,11 e 14 anos. Fico muito feliz qnd me ligam pedindo p virem p cá.
    Tenho tb uma filha de 7 meses, o xodó deles e da casa, não houve ciúme mesmo o irmão mais novo sendo uma crianca limitada. Já enfrentamos muitas coisas juntos e percebos juntos também o quanto podemos nos ajudar. sofri demais com a ex (mãe do mais novo, que ja morou conosco) ,e na minha Gravidez tive crise de depressão e ansiedade o q acabou me afastando deles. Foi qnd meu marido conversou com os 3 e enquanto achei q eles me odiariam foi o momento em q mais recebi carinho. Eles alisavam minha barriga, me aJudaram a escolher nome, arrumar o quarto, tudo! Tem defeitos igual todas as crianças. Na verdade tem personalidades quase tão opostas que nem diriam q são irmãos mas sou feliz com meus 4 pq sei q eles n são meus filhos, mas os amo muito e até as mães reconhecem isso apesar de todas as diferenças que temos.

  103. Letícia Santos

    Bom dia …Meu nome e Letícia tenho 20 anos ,me casei a um ano e meio meu marido e um amor faz de tudo para me agradar porem … a 7 anos atras em 2010 ele ficou com uma menina 1 vez , depois de 2 dias que ele ficou com ela ela voltou para o namorado que ela tinha e certamente 3 meses depois estava gravida , passou-se o tempo, e outro cara que era pai da menina quando foi agora no final de 2016 ele parou de pagar a pensao e a mae tinha que dar um jeito ne ? Dai na familia dele sempre rolava que a menina era filha dele e tal porque o tio dele morava perto dessa mulher e ficava falando e falando e ele sempre negando porque quando ele ficou com ela no outro dia ele deu remedio pra ela , (porem ela nao tomou ) e nao tinhamos contato nenhum com eles ate que do nada do NADA ela apareceu dizendo que queria tirar uma duvida porque NAO AGUENTAVA MAIS AS PESSOAS FALAREM ( detalhe 7 anos 7 anos depois) que era filha do meu marido , dai fez o exame e pronto meu casamento de la pra cá só vem de mal a pior deu POSITIVO ,e a menina tem 6 anos, e os papeis da paternidade ainda nem foram feitos de tao recente … foi mais uma questao de interesse financeiro da mae da menina ate porque na primeira vez que nos fomos la ela so falou de pensao . ele ve ela ja saimos juntos porem quando ele diz que foi la oque a mae pediu alguma coisa (detalhe que ela fica empurrando a menina) o meu rosto muda e o meu dia acaba dai eu fico com ciumes e com raiva isso tem nos atrapalhado bastante , nao sei qoue fazer nao sei como lidar mais com esse sentimento eramos so nós dois e agora nao (a menina nao mora com a gente )mas esta complicado aceitar e conviver com isso . Me ajudem …

    • Angela

      Letícia, bom dia, antes de tudo que Deus cuide de vcs. Gostaria como mae e ex madrasta de por alguns pontos que acho ajudarão. A novidade da paternidade creio que é para ambos, seu marido e você, mas também para essa criança, que deve estar assustada e confusa, pois ela durante 7 anos tinha uma outra pessoa no papel de pai. Ore por sua vida conjugal mas também por essa criança que nisso tudo é inocente. Você não precisa ser mãe dela, apenas trate com carinho e respeito, não sinta ciúme o amor de seu marido é seu, você é a esposa dele, essa criança ja´deve ter tanta coisa na cabeça dela, que talvez seu ciúme possa deixa la com mais medo ainda. Deus a ajudara com isso, olhe para seu marido e pergunte o que poderemos fazer juntos, para que convivamos melhor e com ela ? Pois ela sempre será filha dele, e é muito triste quando crianças crescem sentindo se rejeitadas. Deus a guarde, beijo no seu coração.

  104. Angela

    Bom dia, li a maioria dos comentários e percebi como a situação é difícil de ambos os lados. Já fui madrasta e me separei por causa de uma jovem de 24 anos, hoje não sou madrasta mais, porém a situação inverteu. O meu ex tem uma namorada e ela é a madrasta. Bom o fato é que deixei minha pequena passar as férias ( 7 longos dias ) com eles. Ela é extremamente alérgica e eu recomendei todos os cuidados possíveis ao pai. Resumindo total, 7 dias sem escovar os dentes, alergia da bochecha ate os pés, apenas mamadeira, pouca alimentação ou fast food.Fora isso estava super feliz, muitos passeios, muita praia…o fato é que cuidado é dos pais, pai e mãe, madrasta também apoiará isso tudo. Mas vejo que seria mais como coadjuvante, por exemplo: a mãe pede por favor, minha filha tem alergia, ela precisa comer isso, isso e tal… o pai deve seguir isso, pela saúde do filho, a madrasta só acompanha ver se está indo tudo bem, participa, mas o peso dessa responsabilidade é do pai. O fato é que muitas vezes, vemos pai, que não querem se estressar com a nova namorada e mulher, e por diversos motivos, pecam aos cuidados da criança. Eu sempre falo abertamente com o pai dela, porque acho que é dele que deve partir as diretrizes desse cuidado, responsabilizar a madrasta pelo fracasso de uma ralação assim, demonstra imaturidade, insegurança e de certo modo infantilidade.
    Também penso o seguinte, devemos tratar o próximo como gostaríamos de ser tratado, a mãe do enteando com respeito e o enteado tbm e principalmente respeito próprio, porque o homem da relação precisa aprender a administrar tudo isso.

  105. raiisah medelhos

    minha madrasta é mt mal comigo ela ginga minha mae me chama de filia do capeta de goorda descabelada e muito mais e eu nao faço nada oque fazer?

  106. ANONIMO

    FELIZMENTE ESTOU COMEÇANDO ESSA RELAÇÃO AGORA…TENHO UMA ENTEADA ATE GOSTO DELA ,MAIS O CIUME QUE SINTO DELA COM MEU ESPOSO ESTA PREJUDICANDO MINHA RELACÃO COM A MENINA..GOSTRIA DE SUPERAR TUDO ISSO…POR ONDE DEVO COMEÇAR?NÃO TENHO FILHOS E NÃO SEI LIDAR COM A SITUÇAO.

    • Fabaine

      Estou na mesma situação,não sei como lidar com esse novo processo na minha vida,não tenho raiva da filha do meu esposo e sim da situação,ainda mais que quando olho para a menina só consigo me lembrar do rosto da mãe dela.

      • elaine

        ESTOU NESTA SITUAÇAO FABIANE MUITO DIFICIL

  107. Fernanda

    Ser madrasta boa ou ruim vai do ponto de vista de cada um… Sou madrasta ha 3 anos de uma criança de 6 anos, que por sinal nos identificamos muito, incrivelmente, temos uma sintonia que só quem nos conhece entende!
    Porém nem sempre é tudo tão simples assim… sou mãe de um bebê de 9 meses, e as vezes passo uns mal bucado com minha enteada por conta da falta de compromisso da mãe e da tranquilidade do pai… eu preciso ser a chata da história, pois ela é criada do tipo pode tudo, até não ir à escola quando não quer… e tenho para mim que ela será um dos maiores exemplos para meu filho, por isso quero e exijo que ela seja uma boa criança, que tenha uma boa educação… as vezes tenho problema até com a avó paterna dela, por achar que a menina gosta mais de mim do que dela.
    é uma situação muito complicada. Sou do tipo que compro a briga… minha enteada, minha responsabilidade 🙁 as vezes sofro por isso…

    • soraia

      quando estamos em um relacionamento que tem filhos no meio e muito complicado tem que ser usado a maturidade , e a parti da hora que você entrou nele tem que aceita os filhos , primeiro que quando voce conheceu ele ele ja tinha os filhos , existir ex mulher não ex filhos .Entao e para sempre nao tem jeito de mudar isso agora e tentar conviver de forma mais agradavel e pacifica com os enteados .

      • Élbes

        Eu preciso de ajuda naõ sei mais o que faço e sei que o problema sou eu por querer meu marido só pra mim, tenho 26 anos e ele tem 32 tem dois filhos um de cada mulher, e estamos juntos já tem 7 anos o menino tem 10 anos a menina tem 8, meu marido é um grande homem faz todos os meus gostos, tudo o que quero me trata com uma rainha, casei sim sabendo que tinha filhos mais naõ consigo mais lidar com a situação ele pega um domingo sim, outro naõ, e assim vai indo e cade vez que pega eu me isolo sinto naõ fazer parte daquilo, naõ me pertence já tentei me misturar mais naõ consigo, falo que vou fazer tudo diferente mais chega no dia que pega as crianças eu travo, quero ficar sozinha e a todo momento fico chorando por ele naõ estar do meu lado, tivemos um filho agora meu bebê tem 10 meses, achei que nossa vida iria melhorar mais só piorou pois agora quero um marido só pra mim e um pai só pro meu filho, posso estar sendo egoista mais naõ consigo, amo meu marido a menina só fica grudada nele o guri acha que é o rei da casa, naõ tenho problemas nenhum com as maes deles mais cada um no seu canto, eu sofro por ver meu marido sofrendo, mais já tentei e naõ consigo, quero procurar uma terapia, algo pra me ajudar meu casamento já esta desgastando com isso falo que vou separar por essas questão mais o amor é mais forte, chega a semana de buscar eles eu já fico na maior depre, tudo me estressa naõ sei o que faço eu só queria ser feliz, sei que as crianças naõ tem nada haver tanto que eles tem medo de mim pois quando estou lá naõ falo nada, só olho de cara feia se eles fazem algo que naõ gosto meu marido tentar fazer de tudo pra agradar o meu lado e o lado deles mais é dificil a situação me ajudem por favor, pelo menos levantar a minha auto estima

  108. cristina

    boa noite !!! tenho 3 enteados minha convivência com eles são normal ,mas eles querem controlar a parte financeira do meu marido acho erradíssimo .Eu nunca entrei em conflito com eles mas ultimamente ando sem paciência e falando a verdade pq estou de saco cheio ,e a mae deles sempre se faz de vitima pra tudo chega ate chorar pra se mostrar .não com cordo com vc pq ” o marido gastar o dinheiro do jeito q quiser com os filhos pq o dinheiro e dele ” errado por mais q o marido coloque dinheiro dentro de casa não quer dizer q e so dele pq ai a mulher batalha junto se sacrifica faz economia pra ter algo na vida ,sem contar que se o casal se separa a mulher tem direitos. sinto mto mas vc so esta vendo o ponto de vista do marido e enteados e pra variar as madrasta se ferra.

  109. Nane

    Seria sensacional se esse tipo de relação não fosse algo tão difícil de se assimilar. Meu esposo tem três filhos, uma apareceu recentemente mas quando nos casamos essa filha já existia, fiquei chocada mas fui obrigada a aceitar, ou era isso ou terminava meu casamento. Os outros dois enteados moram conosco e não suportam ficar com a mãe que mora aqui na mesma cidade. Nas férias estiveram os três conosco e eu quase fui a loucura. Tudo o que eu preciso é de um suspiro pelo menos nos fins de semana,mas meu esposo não entende isso, acha que seria cruel mandar os filhos passarem os fins de semana com a mãe e não se dá conta que a falta de privacidade e de liberdade acabará levando nosso casamento à falência. Não tenho problemas com eles, o problema é que a mãe não faz absolutamente nada por eles e é a que tem mérito. Gostaria de viver um casamento a dois mas isso nunca foi possível. Viagens, passeios, fins de semana, nunca consegui viver a sós com meu esposo que é o maior partidário em incluir os filhos em todos os programas. Sinceramente, não sei se estou incomodada, o certo é que preciso de um pouco de sossego, tranquilidade em casa, ver a casa em ordem, poder deitar no sofá de vez em quando e não consigo nada disso. Infelizmente, se os pais separados tivessem um pouco de bom senso e dividissem o tempo com os filhos esses transtornos nesse tipo de relação seriam menores. Os pais devem entender que o espaço deve ser dividido e não só a vontade dos filhos deve prevalecer.

  110. Bruna Lopes

    Boa Tarde,

    eu sei que esse post ja faz um bom tempo e nem sei se vc vai ler, mas procurei por algo desse assunto é por que vivo algo parecido, e faço tudo que esta nessa lista, o problema é que meu namorado QUER que eu faça o papel de mãe, ele sai pra jogar futebol, beber com os amigos e quer deixar o filho comigo, eu não tenho filhos, e não pretendo ser mãe, não quero essa responsabilidade pra mim, mas tenho medo de falar e ele achar que não quero ou não goste do filho dele e comece a me achar um “mostro”. Queria ter uma conversa franca por ele, mas não sei como aborda-lo, entrar nesse assunto sem parecer uma louca que esta com ciumes. Preciso de ajuda.

    • ka

      Bruna, a sinceridade é o melhor caminho, se você o ama e a recíproca é verdadeira, ele irá entender.
      Eu mesma exigi que ao ficar com a filha, que não deixe sob minha responsabilidade, porque não tenho filhos, eu cuido…faço almoço pra todos e tal, mas não tenho muita paciência, então joguei limpo desde o primeiro dia, porque realmente não tenho o dom de ser mãe então ele já me conheceu assim não poderá me julgar, por isso é importante jogar limpo desde o início.
      Se possível converse com ele depois de uma noite de amor no seu caso e fale que não está muito confortável em ser mãe, porque não acha boa suficiente, enfim coloque a culpa em vc e diga que prefere que ele cuide mais do filho que o tempo passa rápido e que ele não pode perder esses momentos especiais ao lado dele, pronto acho que vai ajudar, saiba usar o poder feminino e vai aos poucos.
      bjinhos espero ajudar.

      • Tania Wachene

        Chamo me Tania, sou mocambicana tenho 33 anos e vivo situacao parecida estou com o meu marido ha 13 anos, meus enteados estao todos a viver comigo, um de 18 anos porque a mae mostrou-se incapaz de cuidar do filho porque nao tem tempo, os outros 3 tambem estao com problemas com a mae. Eu tenho duas filhas com o meu marido.

        Meu marido diz que eu cuido mais das minhas filhas e nao dos outros eu disse a ele que as minhas filhas sao criancas ainda 3 e 6 anos ela depende de mim.

        Nao maltrato os meus enteados, so procuro evitar confusão pois eu e o meu marido ja discutimos muito por causa deles, sempre que os filhos fossem la para casa antes destes viverem connosco sempre discutíamos.
        Preciso mesmo ajuda, nao sei como lidar com esta situacao

  111. Sabrina

    Olá me chamo Mara.
    Seus comentários são ótimos e graças a Deus fiz isso durante meus longos 20 anos de casados pois tenho 2 enteadas. Uma delas inclusive criei desde de 2anos e 4 meses quando casei com meu marido não tínhamos nada com a Graça de Deus muito esforço e trabalho construímos nossa vida demos moradias para cada uma delas uma já se formou em arquiteta em uma escola particular sempre chefiadas por nós e a outra está terminando Nando engenharia civil também particular é fora de nosso estado sempre participaram de nossa vida , as criei juntas com meus filhos para serem unidas pois tenho um casal de filhos viajando conosco, em nossos aniversários como uma verdadeira família sem separações. Mas hoje sinto-me como se elas vivessem querendo me magoar, quando saem conosco não conversam e ficam sempre cochichando baixo e quando vão falar com o pai delas sempre viram de costas e não me permitem ouvir nada não que eu queira escultar mas como se estivessem escondendo algo e depois começaram a tá chateando meus filhos que as amavam tanto. Não sei como agir pois é uma situação difícil pois já são de maior e já moram cada uma em seus apartamentos que nós demos pra elas e me sinto muito usada. E quando me chamam no celular e para pedirem dinheiro ou algum favor .
    Qual conselho me daria ?

  112. Tainá

    Muito bacana. Mas a parte de gastar dinheiro. Recebi de rescisão 20 mil reais. Se gastei 400 reais com minha filha foi muito. Como ele estava desempregado pediu minha ajuda. Em 1 mês gastou 8 mil reais com as duas filhas e com os outros 3 filhos da ex mulher que não são dele e são cada um de um pai. E ela agora fica mandando as crianças que não são filhas dele chamar ele de pai, pra ele ficar com pena e continuar enchendo de presentes. O resto pagamos dividas e investimos na empresa que abrimos.
    Conclusão: Não tenho mais nenhum centavo além da pensão da minha filha, que é só dela e a ex fazedora de filhos cheia de presentes caros em casa.

  113. Analice serra

    Bom dia, vivo uma relação muito conturbada pois, estou em uma relação dois anos com 2 crianças uma de 8 anos e oura de 4 anos, o menino menor obedece e a menina não, fica obedecendo ordens da mãe quando fica com ela ,a mesma dá várias instruções diferentes pois quando os pequenos voltam do fds, não querem tomar banho , dormir cedo, escovar os dentes, dentre outras coisas, desobedecem em tudo, falam gritando principalmente com o pai e quando vejo isso fico irritada, pois não tive essa criação. Não tenho um bom relacionamento com a mãe deles pois, a mesma já me fez muito mau os quais não consigo perdoar, a citar :sempre ela vem perturbar, com palavras de baixo escalão, gestos obscenos diga-se de passagem na frente dos próprios filhos um de 4 e outra de 8 anos, me chama de puta do baddoo, pois nos conhecemos através dessa rede social.estava dizendo na rua que que sou portadora da SIDA, manda várias mensagens para meu telefone mensagens baixas e outras vezes liga ameaçando, dizendo que tem uma pessoas que pode me resolver pois o meu peito não é de aço,Manda mensagens de cunho sexual para o telefone de meu marido, liga para o trabalho de meu marido várias vezes para esculhambar ele , ja ligou para a empresa que eu trabalhava e maltratou meu gestores, ja arrombou minha porta, me deu um tapa na cara quando eu estava de resguardo pois em janeiro perdi um filho com 5 meses.!Coloca as crianças contra mim, pois eles estão bem aqui comigo, quando ela pega eles ( quase nunca) no sabado a tarde e tráz no domingo a tarde, não passa nem 24hs com eles , eles vem todos diferentes, não querem tomar bando escovar dentes, não querem fazer dever, principalmente a menina maior de 8 anos , No momento estou desempregada porem recebendo o beneficio de seguro, porém mesmo assim eu o ajudo a criar essas crianças tanto na educação quanto no sustento alimentação roupa em fim. Ela não dá nada , aliás nunca deu e agora estar gravida de um outro homem e se acha no direito de vir na minha porta e falar o que quer, liga para meu celular me esculhambando. para culminar, hoje me ligou esculhambando e depois liga para meu esposo falando sou preconceituosa, inventando que a xinguei de macaca do cabelo duro, minha vida se tornou um inferno. Tenho um bom relacionamento com meu marido, porém ele acha que trato a menina diferente do menino. não sei se inconscientemente ao menos acho que trato os dois de igual modo. precisando de ajuda.Por favor

    • João

      Se a menina está assim com 8, espere então ela chegar na adolescência, que tudo vai piorar e piorar muito mais e sempre será assim. Eu entendo o que você está passando, pois passo por isso hoje, não tem coisa pior na vida que conviver com pessoas que não gostam da gente e mesmo sabendo desse sentimento somos obrigados a ficar fazendo coisas pra agradar, vemos a pessoa não fazer o mínimo, que é limpar o seu quarto e não podemos falar nada.

  114. Thais Pauline

    Boa tarde,
    Meu marido tem uma filha de 6 anos, extremamente agarrada com ele. estamos juntos há 1 ano e sempre recebemos a criança em casa nos fins de semana,tenho dois filhos meninos do 1ª casamento, de 4 e 6 anos, moram conosco. Por isso sei o que é ser mãe, não tento educar a minha enteada e sim cuidar quando está em casa. Ela gosta muito dos meios irmãos, brinca, conversa e aprendem juntos ás vezes rola um ciúme do pai, o que é normal. A minha dificuldade é com relação de não poder dormir em paz ao lado dele durante á noite. Pois a criança faz escândalos, chora e diz que ele tem que dormir com ela.E ele sempre vai para o colchão dormir com ela. Acho que isso não é normal, meus filhos não foram acostumados a dormir comigo.
    Acredito que esta situação invade meu espaço, e intimidade. Creio que com o passar do tempo irei perder o respeito, e se ela fizer 10 anos e ainda querer isso? Meu marido alega que não são todos os fins de semana que ela nos visita. E que ela tem saudades e ele também.Então isso quer dizer que ele também quer dormir com ela. O que devo fazer? Qual postura devo ter, levando em consideração que é o único momento em que exijo a presença dele comigo quando ela está em casa?

  115. ana clara

    tenho uma enteada da mesma idade da minha filha e quando ela vem consegue transformar tudo em um inferno, bate na minha menina na cara, até acertou a fivela do cinto no rosto da minha filha e o pai achou que estou indiferente? complicado mesmo, estou pensando seriamente em entregar os pontos e terminar a relação, pois se a menina é maldosa é só ver e corrigir, são crianças, se não corrige ficamos até com raiva do pai e da própria criança por ser maldosa.

  116. Diêni

    Ótimo! Sou enteada e madrasta e sempre tento fazer para minha ente o que meu padrasto e minhas madrastas sempre fizeram por mim (sim, meu pai teve diversos relacionamentos depois da minha mãe).
    Não me importa o meu relacionamento conturbado com a mãe dela, eu sempre faço meu melhor PARA E PELA MINHA PRINCESINHA. A criança não tem culpa dos problemas e escolhas dos adultos e jamais tentarei tomar o lugar da mãe. Bem como sei que tenho que entender a pequena como ser humano, com suas experiências, creio que em qualquer tipo de relacionamento a empatia deve ser o pilar.
    E o maias incrível é ver a reciprocidade dela. Um anjinho que amo de mais e que, com apenas um sorriso, faz tudo valer a pena.

  117. ADELAIDE JOAQUIM

    TENHO UMA ENTEADA E DESDE O PRINCIPIO A RELAÇÃO SEMPRE FOI NORMAL, MAS ELA É MUITO QUIETA MEU NAMORADO SENTE QUE A FILHA DISTANTE ME DOÍ VER UM PAI Q NÃO CONSEGUE CONVERSAR COM A PRÓRPIA FILHA, CHEGA E SÓ QUER FICAR NAS REDES SOCIAIS, RESPONDE COM SIM E NÃO. ALGUÉM TEM UMA DICA? ELA É ASSIM COM ELE NA MINHA PRESENÇA OU AUSÊNCIA.

    • Preocupada

      Nossa percebo que cada caso é um caso, vai da sorte, jogo de cintura, educação de todos os envolvidos…estou numa relação há 2 anos, e percebo que infelizmente meu companheiro idolatra seu filho! Ele se sente culpado e todo momento, período que ele está com ele tenta compensar isso e durante o tempo que ficam juntos eles faz todas as vontades do filho. Ele se apoia no filho como se ele fosse a pessoa mais importante do mundo,coloca ele na frente até dos seu próprios pais e família.Não vê defeitos no filho, até mesmo quando briga com o filho , ele sempre acha que a culpa é dele…eu fico preocupada porque não é saudável idolatrar e colocar ninguém num pedestal, o equilíbrio nas relações é a melhor forma de ter relações saudáveis. Tenho medo de que agora o filho em fase de vestibular, ele resolva fazer todas vontades do filho: comprar carro,pagar faculdade particular caríssima (sem o filho precisar se esforçar nas universidades públicas), dar apartamento de presente se passar no vestibular, não concordo em dar tudo de mão beijada pra ninguém até pq nem eu tive, tudo tem um limite,pq se não o outro se acomoda e não se esforça pra ter nada seu, vai ser dependente do pai a vida inteira e tudo isso vai pesar na nossa relação e na vida financeira do meu companheiro, pq vamos nos privar de termos e construir nossas próprias coisas, casa,carro em detrimento ao seu filho.Rezo para que ele equilibre essa balança, tenha bom senso e trate e veja o filho como uma pessoa que tem defeitos como todos nós, pq se isso não acontecer, vou ter que me retirar dessa equação, vou ficar ressentida ,não valorizada e minha relação vai se desfazer.O que acham?

      • elaine

        e verdade preopucada tenho casamento de 1 e meio, e estou tendo problemas com meus enteados porque eles sao loucos por dinheiro um tem 23 anos e o a outra tem 15 anos, meu relacionamentos com o pai deles foi devido a traiçao da mae dels com o pai, e conheci ele 3 annos depois mais eles me tratam como se eu fosse a chave do fim de tudo, quando a mae deles ,es,o quem o traiu na epoca, os filhos vivem querendo dinheiro, sempre toda conversa e somente dinheiro…dinheiro,,, nao sei onde acham tanto dinheiro que nao vejo, porem o rapaz nao vai mais em nossa casa, teve uma discussao com o pai por causa de dinheiro, a filha ainda vai mas me desafia na frente do pai nao faz nada na casa achando que ali e hotel, sem cabimento impossivel amar

  118. Marina

    Eu sou filha de pais separados, sou mãe e sou madrasta, ou seja, desempenho todos os papeis descritos acima, então me sinto à vontade pra dizer que é um texto com visão egoísta de filho querendo proteger seus próprios interesses, se esquecendo que do outro lado existem seres humanos que também querem ser felizes, têm vontade própria e desejam ser respeitados. Ok, falha comum, eu mesma já tive essa atitude como filha antes de me tornar mãe e depois madrasta. Realmente não é simples nenhum desses papeis, estou sambando no sapatinho pra tentar dar o meu melhor ao mesmo tempo me respeitando. E como são delicadas todas essas relações. Enquanto filha me arrependo dessa postura descrita acima, já tive pensei assim e hoje vejo que atrapalhei a vida dos meus pais preocupada com que todos se virassem pra poupar e satisfazer a mim e aos meus irmãos, “afinal coitadinhos de nós, não tínhamos culpa de nada”, me esquecendo que os filhos saem de casa e, se atrapalharam muito os pais na reconstrução de suas relações, acabam os deixando sós quando chega o momento de cuidar da vida. Enquanto mãe sambo no sapatinho pra que minha filha se sinta bem com meu novo relacionamento. Enquanto madrasta piso em ovos tentando respeitar enteado, ex-mulher, etc. Nesse samba do criolo doido de uma coisa eu estou certa: o importante é ter bom senso e respeito, próprio e alheio.

    • silvia

      Obrigada marina

  119. Ana

    Olá… Li alguns comentários e sinto-me igual a muitas de vcs. Essa relação madrasta x enteado é muito ruim… Estou à beira de um ataque de nervos por causa da minha enteada. Eu tento gostar dela mas não consigo. Ela não deixava eu sentar do lado do pai dela quando saíamos, queria sempre ficar do lado dele e eu de escanteio cuidando da minha filha, 5 anos… É horrível, penso em separar todos os dias mas minha filha sofrerá muito e terá também padrasto e madrasta. Espero que tudo melhore mas acho difícil. Estou casada a 6 anos e antes de casar namorei 5 anos quando minha enteada só tinha 2 anos, hoje ela tem 13 e está tudo mais difícil agora que é adolescente. Depois que casei com o pai dela, ela morou 2 anos com a avó e tudo agora é pior já que é uma adolescente. Tem dias que estou gostando dela mas logo passo a odiar… É amor e ódio o tempo inteiro. Mais ódio do que amor… às vezes penso que nunca vai mudar, será sempre um inferno na minha vida, pois está atrapalhando meu casamento também. Brigamos muito meu esposo e eu por causa dela. Quer ser dona do nariz, só faz o que quer, é petulante demais!… Preciso de ajuda, não sei até quando irei aguentar essa situação. Só sirvo pra pagar as contas para ela, nada mais.

  120. Lu

    E quando os filhos moram com o pai e a madrasta? Aí a coisa muda de figura.

  121. Anonimo

    Li o texto todo, porém estou tentando me encaixar nele e preciso de ajuda. No meu caso minha enteada tem 19 anos, é uma mulher feita que ja tem relação sexual com namorado e que há 05 anos mora com o pai (ela é filha de uma ex noiva dele, e ele assumiu a paternidade qdo ela tinha quase 02 anos, mas desistiu de casar com a mae dela). Ele se relacionou por 12 anos com outra moça, desses 12, 04 foram casados e após o divorcio nos conhecemos e estamos juntos ha 02 anos. essa ex esposa culpa a garota pelo termino do casamento. No começo eu via as coisas com muita pureza e admiração, mas agora eu sofro, porque ela quer atenção do pai, quer sair sozinha com ele, sendo que eles moram juntos, e ela não sente esta necessidade em relação a mae dela. Quando vai visitar a mae fica apenas um dia e ja volta. A mae se juntou com outro e tem 03 filhos pequenos mas minha enteada não sente a necessidade por eles como sentem pelo meu noivo. Eu não entendo essa necessidade, fico confusa, e estou chateada, antes era um inferno a casa deles porq a madrasta anterior vivia em pé de guerra com ela, (mas antes de ela vir morar com o pai a relação era ótima, tanto que foi idéia da madrasta trazer a garota). Eu nunca separei os dois pai e filha, mas ela só vê o lado dela. Meu emocional esta sem forças. Eu tenho 02 filhas, uma de 07 e uma de 15 e elas não são assim em relação ao pai delas e tá td certo. Eu hein

X Leia também: